Home » Internet » RIAA quer que BitTorrent bloqueie material com copyright

RIAA quer que BitTorrent bloqueie material com copyright

Mais uma da turma do copyright: RIAA deseja que a BitTorrent trabalhe com eles para bloquear conteúdo protegido distribuído de forma ilegal

4 anos atrás

copyright

A gente já entendeu que a MPAA e a RIAA estão fazendo de tudo para tentar impedir o compartilhamento de material com copyright, seja batendo nos usuários ou nos sites e portais que compartilham material livremente na internet. Ainda assim, sabemos que a maior fonte é mesmo a Locadora; torrent é fácil de usar, prático e dá resultado.

É por isso que a RIAA mudou de estratégia e apontou seus canhões diretamente para o fornecedor da tecnologia: o BitTorrent.

A empreitada da RIAA em fechar sites e programas que compartilham música ilegalmente não vem de hoje, vide os casos do Napster e Limewire. Ainda assim, a pirataria continua crescendo e não dá sinais de que o cenário irá se reverter tão cedo. O BitTorrent, através de diversos clientes (o mais popular ainda é o uTorrent) é a ferramenta de compartilhamento principal, embora nos últimos tempos tenha se esforçado para andar do lado correto da lei.

Só que isso não é suficiente para a indústria. Em uma carta publicada no último dia 30 e endereçada ao CEO da BitTorrent Eric Klinker, o VP da RIAA para assuntos sobre pirataria Brad Buckles expressou sua preocupação pelo uso dos clientes oficiais de BitTorrent para distribuição de material com copyright ilegalmente; dos 1,6 milhão de torrentes ilegais compartilhados em 2014 nos Estados Unidos, 75% vinham deles.

Assim sendo, a RIAA acusou formalmente a BitTorrent Inc. de ser “a fonte do software que se usa majoritariamente para a violação das leis de copyright” (cuidado, PDF). Evitando pegar muito pesado, até porque provavelmente reconhece a tecnologia P2P como útil para a comercialização legal de conteúdo (como alguns artistas já fazem hoje de forma independente), a indústria deseja recrutar a companhia como aliada desenvolvendo um método de verificação dos arquivos compartilhados, de modo que o BitTorrent bloqueie torrentes piratas.

Desde já duvido muito que isso aconteça. A própria carta de Buckles já deixa claro que a BitTorrent não fez o menor movimento para “reconhecer o elefante na sala” em negociações anteriores, entendendo que a forma como seus usuários utilizam a tecnologia não lhe diz respeito. Matt Mason, CCO da companhia inclusive já teria dito que a pirataria “ocorre fora do ecossistema do BitTorrent”, tirando o seu da reta.

No mais é divertido ver que os donos dos direitos autorais estão arrancando os cabelos para tentar conter a pirataria, sem entender que ela é como a Heil hidra: corte uma cabeça e duas nascem em seu lugar.

Fonte: Ars Technica.

Leia mais sobre: , , , , , .

relacionados


Comentários