Home » Miscelâneas » Espírito de porco destrói HitchBOT, o robô mochileiro

Espírito de porco destrói HitchBOT, o robô mochileiro

Não podemos mesmo ter coisas legais: HitchBOT, o robô mochileiro que dependia da boa vontade de outros é destruído por um vândalo na Filadélfia

4 anos atrás

hitchbot

Realmente não podermos ter coisas legais. Projetos que dependem da boa vontade de outros estão sempre sujeitos a acabarem sabotados por gente mal-intencionada, sabemos disso, mas mesmo assim ficamos tristes quando vemos um projeto interessante ir para o vinagre por causa de pessoas maldosas.

Foi o que aconteceu com o hitchBOT, um projeto de pesquisadores canadenses com o intuito de testar a receptividade dos robôs. Bem, podemos dizer que ela não é das melhores.

O simpático robozinho não era uma unidade móvel, suas partes mais avançadas se resumiam a um painel de LEDs onde exibia mensagens e expressões, um software que permitia conversas limitadas, uma câmera que registrava seus melhores momentos a cada 20 minutos e um GPS, a fim de rastrear sua posição. Ele foi desenvolvido pelos pesquisadores David Smith e Frauke Zeller como um companheiro para os viajantes.

Já que ele não podia ir de um ponto a outro por vontade própria, o hitchBOT era deixado na beira de estradas esperando o próximo motorista disposto a lhe dar uma carona. Ele viajou com sucesso pelo Canadá, Alemanha e Holanda, e participou de um casamento, passou uma semana com uma banda de heavy metal, entre outras aventuras.

Então, no dia 17 de julho o robozinho chegou aos Estados Unidos. Ele desembarcou em Marblehead, Massachusetts com a missão de chegar até San Francisco, e trazendo uma lista de objetivos. Ele passeou por Boston, assistiu um jogo dos Red Sox e até conheceu o mar. Mas não chegará nunca ao seu destino final.

Um vândalo não identificado danificou permanentemente o corpo do hitchBOT durante sua passagem pela Filadélfia, e os pesquisadores infelizmente não podem rastrear sua posição porque a bateria do GPS está esgotada. Não se sabe qual seu destino final, é provável que o meliante possa ter atacado o robô atrás de suas peças, ou simplesmente o destruiu por maldade.

É realmente uma pena que um projeto que não visava fazer mal a ninguém, que contava apenas com a solidariedade das pessoas tenha encontrado seu fim não mãos de gente mesquinha e sem coração. Mas bem, humanos são humanos.

RIP hitchBOT, você serviu para provar mais uma vez que não dá para contar 100% na generosidade humana.

Fonte: Time.

---

UPDATE: acharam o que sobrou do htichBOT.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários