Home » Meio Bit » Games » Warner sabia dos bugs em Batman: Arkham Knight para PC há meses

Warner sabia dos bugs em Batman: Arkham Knight para PC há meses

Denúncia: Warner Bros. sabia de todos os bugs presentes na versão para PCs de Batman: Arkham Knight há meses, mas vendeu o game mesmo assim

3 anos e meio atrás

batman-arkham-knight

E a saga bugada do Cruzado Embuçado nos computadores continua... a Rocksteady e a WB Games prometeram resolver todos os problemas de instabilidade que ocorrem com a versão de PC de Batman: Arkham Knight (ao ponto de só quem tem uma máquina realmente potente conseguir jogar, e mesmo assim com configurações medianas), até porque as vendas estão paradas e a Warner quer dinheiro. Tudo bem que o título já é um dos mais vendidos do ano nos consoles, mas podia fazer mais.

Só que a distribuidora, embora tenha cancelado a comercialização do game não é nem de longe a santa nessa história. Segundo fontes apuradas pelo site Kotaku, a Warner Bros. sabia de todos os bugs meses atrás, mas decidiu lançar a versão de PC simultaneamente com as de consoles mesmo assim.

A denúncia veio através de duas fontes anônimas que participaram do processo de desenvolvimento de Batman: Arkham Knight. Resumindo a história a Rocksteady teria sido negligente com a versão de PC (o que é uma novidade nessa indústria, diga-se de passagem) por anos a fio, e que os problemas presentes nas cópias finais estavam presentes no código há pelo menos um ano. E a Warner sabia de tudo.

O que aconteceu teria sido uma combinação explosiva de erros acumulados. Primeiro, a equipe de programadores encarregada de escrever o código-fonte era a mesma responsável por debugar o jogo, o que num projeto tão grande não é uma estratégia muito inteligente. A atenção aos erros só foi dada quando o game já tinha sido praticamente todo escrito, o que atrasou o desenvolvimento do game como um todo.

Aí você pensa: “então as versões de console foram mais tranquilas”. Não, não foram. A Rocksteady, que preferiu se concentrar nas versões de PS4 e Xbox One sofreu muito com as novas plataformas, e as versões eram tão ou mais bugadas quanto a de PC, tanto que o lançamento foi postergado várias vezes (lembrem-se que o game deveria ter saído em 2014). O foco direcionado aos consoles fez com que a Warner repassasse a tarefa de finalizar e debugar Arkham Knight nos PCs para a Iron Galaxy Studios. Há informes inclusive que a Rocksteady sequer pôs as mãos na versão computadores, deixando tudo a cargo do estúdio contratado para resolver a bucha.

Sabe o que acontece quando você passa o desenvolvimento de um game para um terceiro sem acompanhar o que eles estão fazendo de perto? Coisas como Aliens: Colonial Marines. É um convite ao desastre, e foi exatamente o que aconteceu.

No fim das contas, a Warner sabia de antemão todos os problemas que o jogo teria nos computadores, previu o enorme backlash que sofreria, fez as contas e concluiu: “dane-se, vamos vender assim mesmo e depois tiramos de circulação quando a chapa esquentar; já teremos enchido os bolsos de grana de qualquer forma”. E o resto é história.

A estratégia de vender um game cheio de bugs e depois prometer um patch de correção não é nova entre os jogadores de PCs, mas a atitude flagrante da Warner deixa claro que é mais importante para a distribuidora fazer dinheiro rápido do que agradar os fãs que esperavam pelo game há tanto tempo, mesmo que isso signifique reclamações em grande número e devoluções através do Steam, o que muito provavelmente não se aplica a todo mundo.

Fonte: Kotaku.

relacionados


Comentários