Home » Ciência » Um algoritmo que sabe quando você está bêbado

Um algoritmo que sabe quando você está bêbado

Pesquisadores gregos desenvolvem algoritmo que consegue reconhecer com até 90% de certeza se você está bêbado através de suas expressões faciais

5 anos atrás

homer-bender

Álcool, a causa e solução de todos os problemas da humanidade. Beber é sempre muito bom, mas o problema é quando você exagera (ou é um fracote que não aguenta um pint de chopp sem corar). Controlar beberrões em um ambiente público pode ser bem útil em algumas ocasiões, principalmente para a polícia que em alguns casos não pode obrigar o motorista imprudente a dar aquela baforada.

E se houvesse uma maneira altamente eficaz de identificar quem passou do limite apenas olhando para a fuça do sujeito? É nisso que uma equipe de pesquisadores gregos está trabalhando.

Uma turma de cientistas da Universidade de Patras está trabalhando num sistema que consiste de um algoritmo de análise e de uma câmera infravermelha, para analisar áreas do rosto mais suscetíveis a entregar o bebum. A gente sabe que após alguns copos, a pessoa tende a ficar ruborizada porque os vasos sanguíneos relaxam e se dilatam, fazendo com que fiquem mais próximos da pele, além da temperatura da área subir. Isso varia de pessoa para pessoa, principalmente devido à capacidade individual de metabolizar o álcool. Pessoas com deficiência da enzima aldeído desidrogenase (asiáticos principalmente) ficam corados com mais facilidade.

Eis como os pesquisadores fizeram: eles fizeram imagens térmicas de 41 voluntários, antes e depois de ingerirem quatro taças de vinho. Isso já fez com que o nível de álcool no sangue subisse para 0,05%. A partir daí utilizaram uma rede neural para comparar os dois estados das fotografias pixel por pixel. Descobriu-se então que as melhores áreas do rosto para identificar uma pessoa embriagada são as temperaturas da testa e do nariz.

Com isso em mãos a equipe desenvolveu um algoritmo capaz de identificar com 90% de precisão se uma pessoa está bêbada ou não. Ele funcionou mesmo com rostos com os quais não fora treinado. A pesquisa pode ser encontrada aqui.

Os pesquisadores acreditam que um algoritmo mais preciso pode ser útil para a polícia identificar bêbados sem que precisem fazer o teste do bafômetro. Outra aplicação interessante seria instalar o sistema em carros, que simplesmente não dariam a partida caso o motorista tenha passado da conta. Eu acrescentaria uma mensagem “volte pro bar”, já que dirigir o mala não vai mesmo…

Fonte: Popsci.

relacionados


Comentários