Home » Áudio e vídeo » Pixar libera versão gratuita não-comercial do RenderMan

Pixar libera versão gratuita não-comercial do RenderMan

Agora você pode utilizar gratuitamente o RenderMan, a poderosa ferramenta de renderização que a Pixar utiliza em seus filmes para criações não-comerciais

5 anos atrás

brave-merida

Excelente notícia para você que trabalha com animações: a Pixar cumpre uma promessa feita no ano passado e finalmente liberou uma versão gratuita não-comercial do RenderMan, o motor de renderização responsável por compor o visual fantástico de todas as animações do estúdio e de outros filmes.

A ferramenta foi desenvolvida pela Pixar em meados dos anos 80, e além de ser peça chave na identidade visual de pérolas como Toy Story, Wall-E e outros também foi utilizado para compor os efeitos especiais de dezenas de outros longas, desde Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan (1984), passando por Forrest Gump (1994), Titanic (1997),  O Grinch (2000), a trilogia O Senhor dos Anéis, os prequels de Star Wars e muitos, muitos outros. A ferramenta é tão importante para o cinema que ela recebeu um Oscar especial por serviços prestados.

Isso porque o RenderMan não é exclusivo da Pixar. Qualquer um com dinheiro suficiente pode comprar uma licença do software e utilizá-lo como bem entender, mas agora o estúdio pretende tornar a ferramenta mais popular, oferecendo uma versão totalmente gratuita, sem nenhuma restrição e que não inclui marcas d’água ou qualquer outra pegadinha em seus trabalhos.

renderman

Aos olhos da Pixar, limitar o RenderMan apenas para quem pode pagar (muito) “freia o desenvolvimento da indústria do cinema”, portanto oferecer o software gratuitamente é a forma que ela encontrou de capacitar mais profissionais no uso de sua ferramenta de renderização.

O RenderMan pode ser baixado aqui e possui versões compatíveis apenas com sistemas operacionais de 64 bits, mas roda em Windows, Mac e Linux. Como dito ele é livre para uso não-comercial, mas se você quiser compor algo para ganhar uma grana em cima não precisará morrer em alguns milhares de dólares: a licença comercial custa US$ 495, com uma taxa de renovação anual de US$ 200.

É importante lembrar que o RenderMan não faz tudo sozinho: como ele é um software de renderização ainda depende de ferramentas de modelagem. O Maya e o Katana são compatíveis, mas o Blender não (por enquanto, esperamos).

Fonte: AT.

relacionados


Comentários