Home » Mobile » Acessórios » Executivo explica onde o Google errou com o Glass

Executivo explica onde o Google errou com o Glass

“Ter tratado o Glass como um produto finalizado foi um erro”, admite Astro Teller, diretor do departamento de pesquisa e desenvolvimento do Google.

4 anos atrás

google-glass

Pela primeira vez alguém de dentro do Google admite o que muita gente já vinha dizendo há algum tempo: a empresa errou com o Glass. A afirmação veio de Astro Teller, executivo e diretor do laboratório GoogleX, a divisão de pesquisa e desenvolvimento de Mountain View durante uma palestra no evento South by Southwest em Austin, nos Estados Unidos.

Durante a palestra Teller falava sobre o valor do fracasso, e embora não considere o Glass um ele reconhece que a empresa teve acertos e erros com os óculos inteligente. Sob seu ponto de vista o programa Explorer foi algo que o Google fez muito bem, pois atraiu visibilidade para o produto e com isso muitos desenvolvedores se sentiram impelidos a trabalhar com o Google Glass. Entretanto o excesso de visibilidade foi um problema:

A decisão ruim que tomamos foi permitir e algumas vezes encorajar atrair atenção demais para o programa. Em vez de as pessoas verem os aparelhos Explorer como voltados para aprendizado, elas tratavam o Glass como se fosse um produto finalizado, pronto para o consumidor.”

Mesmo custando salgados US$ 1.500,00 e com venda restrita, isso não impediu que usuários e a mídia o tratassem como um gadget pronto para o mercado consumidor, e muito da culpa vem do próprio Google, por tê-lo posicionado assim. Tratar um experimento de laboratório dessa forma geralmente leva a problemas, como Teller bem apontou.

O executivo lembrou que para o Glass se tornar viável é preciso trabalhar mais em questões de privacidade do gadget, bem como limitações técnicas: a bateria é um bom exemplo. Os usuários do Glass queriam utilizar o aparelho o tempo todo, fazer consultas, gravar vídeos e tudo mais o que ele permitisse, e é óbvio que uma bateria de míseros 570 mAh não pode suportar um uso tão intenso.

Apesar de tudo o Google não pretende desistir do Glass, já que prometeu uma nova versão melhorada ainda para este ano, com chip Intel e melhor gerenciamento de energia. De qualquer forma Mountain View está aprendendo com seus erros e pode ser que os óculos espertos tenham uma melhor sorte na próxima. Eu gostaria disso, vimos vários projetos legais de entusiastas e seria uma pena se ele morresse porque o Google colocou o carro na frente dos bois.

Fonte: Extreme Tech.

relacionados


Comentários