Home » Hardware e periféricos » Google confirma (sem querer) que o Chromebook Pixel 2 vem aí

Google confirma (sem querer) que o Chromebook Pixel 2 vem aí

Google confirma estar trabalhando na segunda geração do Chromebook Pixel, mas o faz um pouquinho antes do momento certo

4 anos e meio atrás

chromebook-pixel

Quando o Google introduziu o Chromebook no mercado, sua primeira tentativa não deu lá muito certo: o Pixel era uma máquina excelente, um verdadeiro canhão para matar formigas. Com um hardware de ponta para rodar um SO que essencialmente só funcionava online, ele era sob todos os aspectos um desperdício. E o preço sugerido de US$ 1.299,00 não ajudava em nada.

Com o tempo as empresas parceiras entenderam que o Chromebook precisa ser uma máquina essencialmente barata, a fim de cooptar os usuários que usam o computador apenas para tarefas triviais, como ler e-mails e editar documentos online. Só que mesmo isso evoluiu, já que hoje em dia o Chrome OS conta com o Photoshop e outros programas, e dá até para rodar o Linux dentro dele.

Já que a resistência a máquinas mais potentes que rodem o SO do Google meio que diminuiu, a empresa julgou que é hora de tentar com mais uma versão do Pixel. Só que a revelação foi feita antes da hora.

Rumores de que um Pixel estaria sendo desenvolvido em Mountain View circulavam a internet já há algum tempo, mas a confirmação veio através de um vídeo publicado pelo Google na noite desta segunda-feira, em que a executiva do Google for Work Renee Niemi diz com todas as letras que unidades limitadas do Pixel 2 estarão disponíveis em breve. Segundo a mesma o novo Chromebook de ponta será uma plataforma de desenvolvimento, o que explica a baixa disponibilidade.

Só que como alguém comeu bola dentro do Google, o vídeo foi parar no YouTube. A empresa pouco tempo depois tornou o vídeo privado, para evitar que mais informações sejam soltas.

O que se sabe até agora: o Pixel 2 contará com uma nova placa de desenvolvimento conhecida até o momento como “Samus”, equipada com portas USB 3.1 e um processador Intel Core de 5ª geração. Há indícios de que ele também terá uma tela touchscreen, tal qual seu antecessor.

De minha parte não vejo problema nenhum no Google querer lançar um Pixel 2; a minha crítica é quanto ao preço: o original era um absurdo de caro e como a linha se caracterizou por oferecer ultrabooks baratos e funcionais, lançar outro modelo custando os olhos da cara pode não ser uma boa ideia.

Fonte: 9to5G.

relacionados


Comentários