Home » Ciência » Espaço » E pur no si muove — RIP Ciência Brasileira

E pur no si muove — RIP Ciência Brasileira

Manja o maior telescópio do mundo, que estava empacado por causa de calote brasileiro? Não está mais. Como? A gente pagou? Filhx, olha em volta, estamos no Brasil. Tiraram da pauta de votação no Congresso.

4 anos e meio atrás

PoorUnderstanding-442x450

Hoje é um bom dia para a Ciência Mundial. Lembra do E-ELT, o European Extremely Large Telescope, um telescópio gigante que será construído no Chile, envolvendo vários países? O projeto estava empacado desde 2012 pois o Brasil estava dando calote, como fez com a Estação Espacial Internacional. Os europeus chegaram a criar planos de contingência caso o Brasil continuasse enrolando.

Não mais! Agora o programa pode correr sem preocupações, o deputado Fábio Garcia (PSB) retirou de pauta a votação dos recursos para o projeto no Congresso, e considerou isso uma grande vitória!

Nas palavras do supracitado parlamentar:

Solicitamos a retirada de pauta de um acordo que o governo federal fez com a União Europeia que faria o Brasil gastar 800 milhões de reais com pesquisa astronômica. Os astros que precisam ser enxergados no Brasil é o povo brasileiro que sofre com a ausência de saúde, educação e segurança pública de qualidade! Tamojunto!

Um país que tem um Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação que cria uma LEI proibindo inovação merece um deputado ENGENHEIRO que quer investir em educação mas não entende que ciência faz parte disso. Note que nem estou comentando o erro atroz de concordância do texto dele.

É muito triste ver países que eram basicamente piadas de economista como a Índia, ou mato, como a Pior Coréia, passarem o Brasil em ciência e tecnologia. Essa mentalidade equivale a derrubar os laboratórios da EMBRAPA e usar o terreno pra plantar feijão. Estamos cavando nosso próprio túmulo como nação geradora de conhecimento.

Astronomia, caro deputado, é a base da nossa civilização, a humana. Só depois que começamos a observar os astros pudemos criar calendários, definir matematicamente o conceito de ciclo das estações e então planejar para colheitas, cheias, plantio. São esses cientistas perdulários e seus brinquedos orbitando Marte e Vênus que tentarão nos tirar da enrascada do efeito estufa.

Eu quero te apresentar alguém, nobre parlamentar. Esse sujeito aqui:

220px-ChandraNobel

Ele se chama Subrahmanyan Chandrasekhar. Ele é o 3º de 10 irmãos. Nascido em 1910 se dedicou a uma carreira científica. Sua pesquisa é fundamental para o entendimento que temos hoje de estrelas e buracos negros. Durante a 2ª Guerra ele foi convidado para trabalhar no Projeto Manhattan, mas ficou preso na burocracia. Prestou trabalho como consultor inclusive sugerindo a idéia polêmica de que em determinados projetos mulheres deveriam ser utilizadas, pois são mais metódicas e fariam trabalho melhor que os homens.

Quando ele morreu em 1995 deixou para trás um legado inestimável para a ciência mundial. Sua vida, sua obra e o Nobel de Física que ganhou em 1983 são motivo de orgulho para seu país. Por causa dele, e tantos outros, quando o Senhor Presidente dos EUA visitou a Índia um tempo atrás, no meio do desfile vários carros traziam alusões ao Programa Espacial Indiano. Um país que por tanto tempo foi sinônimo de pobreza encara o homem mais poderoso da Terra dizendo Nós fomos a Marte. De primeira, coisa que nem vocês fizeram.

Segundo seu ponto de vista, caro deputado, isso tudo é inútil. Chandrasekhar teria feito melhor se em vez de astrofísica tivesse estudado agronomia. Ou melhor, já que ciência em si é inútil, ele deveria ter ido direto pra uma fazenda, plantar curry.

Felizmente o senhor não detém poder político na Índia, Deputado Fábio Garcia. Felizmente sua influência nefasta e suas opiniões retrógradas só afetam o Brasil, e de qualquer jeito a gente já sabe que não vai a lugar nenhum mesmo…

E, como não podemos terminar sem demonstrar que no Brasil tudo pode piorar, eis que surge a notícia: o querido Marco Feliciano desarquivou o projeto para o ensino de Criacionismo nas escolas.

Feliz 2015 pra todo mundo.

Leia também:

relacionados


Comentários