Home » Ciência » Quem diria, o Raspberry Pi 2 não funciona em Central City

Quem diria, o Raspberry Pi 2 não funciona em Central City

Quer sacanear aquele seu amigo hobbista chato que insiste em mostrar DOOM rodando no Raspberry Pi 2? Seus problemas acabaram: descobriram um bug onde disparar uma câmera com flash de xenônio perto do bichinho é suficiente pra forçar um reboot.

5 anos atrás

CW-Flash-Kastors-Korner-

Ok, a rigor a analogia deveria ser com Asgards, dadas as circunstâncias do causo, mas você entenderá a minha escolha.

A história envolve o Raspberry Pi 2, aquele microcomputador (céus, como esse nome não faz mais sentido) do tamanho de um cartão de crédito, com consumo de meros 4,5 watts; com 1 GB de RAM, slot pra cartão micro-SDHC, CPU ARM quad-core Cortex-A7 de 900 MHz e capaz de rodar Linux, BSD e até Windows 10. Tudo isso por 10 ações da Petrobras. Ou US$ 35,00 na civilização.

É uma bênção pra hobbistas que precisam de uma plataforma mais complexa que o Arduíno, e desenvolveu uma comunidade quase tão grande. Só que ele não é solução para tudo, e principalmente, é uma plataforma de desenvolvimento. Existem milhares de motivos para soluções finais custarem muito mais caro, incluindo cubesats de brinquedo que usam Androids como CPU e por isso sobrevivem só algumas semanas.

Um pessoal descobriu, por exemplo, que assim como todos os vilões em Central City, o Raspberry Pi 2 é vulnerável a… Flash.

Andrei Gherzan — Don't take a picture of your Raspberry Pi 2

Basicamente, a blindagem do Raspberry Pi 2 é um lixo, ele é completamente vulnerável a pulsos eletromagnéticos, e quando você aciona um flash de xenônio, além da luz visível, radiação eletromagnética é emitida em outras frequências, inclusive as que afetam os chips do brinquedo. Com todos os sinais internos misturados, o coitado do PCzinho entra literalmente em kernel panic, e reseta.

Uma vez conheci uma criatura que passou semanas montando e desmontando um circuito na faculdade, nunca funcionava. No final, vencendo o orgulho ela chamou o professor e entregou os pontos.

Ele chegou, olhou pro circuito, olhou pro osciloscópio, desligou a lâmpada fluorescente da bancada e foi embora. Portanto, meninos e meninas, fica a dica: bancada é bandada, jogo e jogo, treino é treino, não use pra produção equipamentos que não são certificados pra isso, e descubra as maninas e ziqueziras da plataforma.

Palavra do Campeão Mundial de reinstalar modem e stack TCP/IP do Windows e só depois lembrar de tirar o telefone do gancho e descobrir que estava sem linha por conta da TELERJ.

Fonte: NW.

relacionados


Comentários