Twitter vs. Turquia: Round 2, FIGHT!

free-speech

Ah, a internet… uma ferramenta que muita gente não entende e outros tantos se recusam a aceitar. Vide a Turquia, que tem se estranhado com o Twitter desde o ano passado. Resumindo a ópera, o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdoğan havia forçado um ban do passarinho azul do país, por conta de denúncias de diversas falcatruas que os usuários estavam compartilhando a respeito de sua pessoa.

O bate-cabeça continua, embora o mais novo capítulo não tenha envolvimento do nobre (só que não) parlamentar: uma corte prometeu banir o Twitter (de novo) caso ele se recuse a censurar a conta de um jornal local.

A exigência veio na quinta-feira, um dia depois que uma corte local da cidade de Adana decidiu que o BirGün Halkin Gazetesi, um jornal de esquerda está impedido de veicular documentos sobre uma ação policial envolvendo caminhões pertencentes à Agência de Inteligência do país, que se dirigiram à Síria. Segundo a denúncia do jornal (e cujos documentos foram compartilhados no Twitter e também no Facebook), o governo de Ancara estaria fornecendo armas aos rebeldes. A Al Qaeda também seria um cliente dos turcos.

A decisão da corte (cuidado, PDF) trata o caso como questão de segurança nacional e exige que os documentos sumam da internet, e para completar os nobres juízes exigiram a cabeça da conta do jornal. O Twitter atendeu algumas das determinações e apagou postagens individuais, entretanto se recusa a censurar a imprensa local e não pretende apagar o canal do BirGün.

Do outro lado a corte entende que tanto o jornal quanto o Twitter estão “interferindo com as investigações” e pondo em risco a segurança nacional. Em nota o porta-voz Nu Wexler disse que a rede social “continuará a trabalhar diligentemente a fim de proteger os direitos de nossos (seus) usuários preservar o acesso a milhões de pessoas na Turquia”. Diante dessa posição, a corte entende que a rede é passível de banimento mais uma vez por se recusar a cumprir uma exigência judicial.

De minha parte acredito que a briga continuará e o Twitter está certo em defender o jornal. Já a Turquia continuará forçando a barra e tentando censurar ou bloquear a rede social de todo o jeito, pois ficou claro que os poderes executivo e judiciário de lá não curtem muito quando algumas verdades circulam livremente.

Fonte: NYT.

Relacionados: , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar