Home » Ciência » Espaço » Camponeses chineses invejando o programa espacial brasileiro

Camponeses chineses invejando o programa espacial brasileiro

A maior (ok, única) vantagem do Brasil não ter um programa espacial de verdade é que a gente tem menos chances de despencar sobre as pessoas os restos dos nossos foguetes, no máximo matamos pinguins. Já a China não pode se dar a esse luxo. Clique e veja o quase desastre do dia 31…

5 anos atrás

lm3a_01

Existem dois tipos de lixo espacial. Três, se você contar os filmes do SyFy. Um são os materiais em órbita, como pedaços de satélites, tanques de combustível de foguetes e uma luva. Esses causam problemas como o mostrado em Gravity.

O outro tipo é o lixo que cai. Quando um foguete é lançado os estágios iniciais, carenagem, foguetes auxiliares, tudo segue uma trajetória parabólica e termina de volta no chão. Por isso quando possível os países preferem lançar seus foguetes sobre o mar. As chances de atingir um navio são bem menores, e ninguém vê foguete no fundo do mar. 

No caso da China e da Rússia eles não podem se dar a esse luxo, como resultado o Casaquistão é cheio de lixo espacial. Na China eles tentam lançar de uma base próxima a um deserto, mas nem sempre é viável. Como resultado, peças vivem caindo em regiões povoadas.

A imagem de abertura é o primeiro estágio de um foguete Longa Marcha 3A, lançado dia 31/12 do ano passado. Como planejado ele cumpriu sua função social, entregou seu destino nas mãos de Newton e caiu. Dessa vez tudo registrado por câmeras.

A base de Xichang foi construída no meio do país, numa época em que morriam de medo de espionagem e/ou ataques dos imperialistas ianques americanos do norte, então a segurança da população era um fator menor. Hoje já não é politicamente sustentável essa roleta russa. Imagine que divertido, você está tranqüilo na hora do almoço, comendo um pandaburger, quando sem aviso ou barulho do seu lado cai isto:

lm3a_03

lm3a_06

lm3a_09

A nuvem laranja é hidrazina, excelente combustível de foguete e bem tóxico, mais um bônus da brincadeira.

No dia que um negócio desses acertar um — e é questão de quando, não de se — a mídia vai cair de pau, denunciando a “irresponsabilidade” e a ganância dos operadores, e é capaz até de pedirem uma moratória de lançamentos. Elon Musk e outros terão que aparecer na CNN dando explicações e o teatrinho estará armado.

No lado bom pelo menos a mídia chinesa não chamou de “OVNI” e não saiu consultando especialistas para determinar a origem do “suposto foguete”.

Fonte: SFN.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários