Home » Ciência » Não tem onde guardar seu genoma? Sobe pro Google

Não tem onde guardar seu genoma? Sobe pro Google

Outro dia, outra inovação do Google. Dessa vez um projeto onde oferecem espaço e recursos de API para armazenamento de... genomas. Já são 3 mil, sonham em milhões, o que para a Ciência seria maravilhoso.

5 anos atrás

Genesis_Chamber

Preservar DNA é algo complicado. Parece simples mas é uma simplicidade enganosa. Uma meia velha dura no máximo duas temporadas de Cocktail, e não há garantia de recuperação da informação genética. Pra piorar, só guarda parte dos seus genes. Preservar seu genoma inteiro exige mais equipamento, nitrogênio, uma câmara Gênesis, e isso pode vender em qualquer farmácia de Krypton, igual plutônio, mas por aqui não.

A melhor forma de garantir a preservação de seu genoma (a melhor se você não for o Mr Catra) é sequenciar, armazenar e manter backups em vários lugares. O problema é que embora uma simples célula faça isso, o DNA é extremamente eficiente em termos de densidade de informação. Nossos HDs nem tanto. Em termos de dados brutos um genoma humano ocupa 100 GB. Usando uma série de técnicas de compressão dá pra trabalhar com 1 GB, mas se for pesquisa científica a sério, são 100 GB mesmo. 

Poucos computadores do mundo carregam em memória 100 GB. Mesmo o armazenamento é complicado. O Instituto Nacional do Câncer dos EUA vai gastar US$ 19 milhões para mover seu banco de genomas pra Nuvem, são 2,6 petabytes.

Esses dados são essenciais, comparar os genes de indivíduos com condições semelhantes pode ser a chave para entender o funcionamento de milhares de doenças. Só que isso custa caro.

Ou melhor, custava. O Google Genomics é um serviço que já hospeda 25 genomas de acesso público, e pretende armazenar muito mais, cobrando US$ 25 por ano. Um valor pra lá de razoável. ainda mais por vir com uma API completa e até um browser de demonstração.

genoma

Guardar os dados é só parte da equação, o segredo é Big Data, tratar selecionar e comparar esses genomas. Se se tornar popular o Google e todos os cientistas participantes terão acesso a uma cornucópia de informações. Mutações antes imperceptíveis aparecerão, tratamentos serão escolhidos baseados em descobertas feitas com esses genomas. Se o DNA é o Livro da Vida, o Google está lançando uma versão em eBook.

Fonte: TR.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários