Home » Hardware » Aiko Chihira, a japinha-robô que fala por linguagem de sinais

Aiko Chihira, a japinha-robô que fala por linguagem de sinais

Toshiba apresenta Aiko Chihira, um robô humanoide que é capaz de se comunicar utilizando linguagem de sinais com uma excelente fluidez

5 anos atrás

aiko-chihira-001

O Japão não dorme no ponto quando o assunto é robótica, e a CEATEC 2014, a maior feira de tecnologia do país está aí para provar isso. De modelos bonitinhos como as cheerleaders da Murata a outros mais rústicos como o da Omron que joga pingue-pongue, tem de tudo um pouca no evento.

Porém a novidade que está chamando a atenção de todo o mundo tem nome, sobrenome e vem de uma família tradicional japonesa: conheça Aiho Chihira, a humanoide desenvolvida pela Toshiba capaz de se comunicar através de linguagem de sinais.

A montadora japonesa, que assim como a Honda não vive apenas de fazer veículos automotivos desenvolveu um androide com aparência o mais humana quanto foi possível, o que invariavelmente faz Aiko adentrar no perigoso Vale da Estranheza: nós sabemos que não se trata de um humano, mas se parece tanto com um e se move com uma fluidez tal que o cérebro entra em parafuso, o que causa desconforto. Ainda assim as aplicações para a qual Aiko está sendo direciona superam essa aversão.

Aiko possui um conjunto de 43 atuadores, 15 deles somente na cabeça, que são responsáveis pelas expressões e movimentos precisos na hora de fazer os gestos da Nihon Shuwa, também conhecida como JSL (Japanese Sign Language). Sim, ao contrário do que muita gente pensa a linguagem de sinais não é universal, a LIBRAS é exclusiva da língua portuguesa do Brasil; o inglês tem uma linguagem própria, o francês também e o japonês não é exceção. A Toshiba entretanto pretende programá-la para também falar a ALS (American Sign Language) no futuro.

A princípio as capacidades de Aiko são bem limitadas: ela é capaz de se apresentar, fazer reverência e expressar algumas feições. Ela não fala entretanto, até para aproximar o contato com pessoas com deficiências vocais/auditivas. A Toshiba, que a desenvolveu em conjunto com a Universidade de Osaka (responsável pela aparência da robô-japinha) possui planos ambiciosos para ela, pois pretende apresentar uma versão que consegue se comunicar livremente com outra pessoa até 2020, aliado à expertise do Shibaura Institute of Technology e do Shonan Institute of Technology, que proverão tecnologias de reconhecimento de voz e aprendizado. Tudo para ajudar famílias e profissionais de saúde de dependem da linguagem dos sinais para cuidarem de seus entes e/ou pacientes.

https://www.youtube.com/watch?v=izH08FB2mxU

Fonte: C.

relacionados


Comentários