Home » Especial » Hangout sobre as primeiras impressões do Moto X de segunda geração

Hangout sobre as primeiras impressões do Moto X de segunda geração

Leiam nossas primeiras impressões sobre o Novo Moto X, um oferecimento das Lojas Colombo. #publieditorial #ad

5 anos atrás

Post publieditorial
moto_x_2014

Recebi ontem (24/09) pela manhã o Moto X de segunda geração para testes, e gravei um Hangout sobre ele ao lado do Thiago Mobilon do Tecnoblog e do Renato Arradi, da Motorola Brasil. Usei o aparelho pouco ainda, por isso não vou fazer um review, mas sim um hands-on rápido sobre o smartphone, mas se quiser assistir antes ao bate papo sobre o Novo Moto X, é só ver o vídeo abaixo.

Lojas Colombo — Lançamento do novo Moto X com os blogueiros Thiago Mobilon e Nick Ellis

O Moto X é uma grande evolução em relação ao primeiro modelo, a começar pela belíssima tela de 5,2″, pra mim um tamanho perfeito. Com vidro Gorilla Glass 3, a tela do Moto X 2014 tem resolução Full HD (1920 × 1080 pixels), com densidade de 424 pixels por polegada. Como usuário de longa data do iPhone, logo estranhei o branco da tela AMOLED, que é mais amarelado do que o das telas LCD, mas isto é logo esquecido e mais do que compensado pelo brilho e intensidade do preto e das cores, além da função que mostra a hora e as notificações acendendo apenas a área necessária. Na hora que você desliza o dedo sobre uma notificação para acionar o programa, ainda pode ver a data e a duração da bateria.

Com um acabamento metálico nas bordas, o Moto X ganhou ainda mais personalidade, algo que já era um dos seus pontos fortes desde o ano passado, a experiência de segurar nas mãos um material mais nobre é muito melhor. Outro grande mérito do novo Moto X é que ao contrário do modelo antigo, ele vem com um processador topo de linha, quad-core Snapdragon 801 da Qualcomm a 2,5 GHz, além de 2 GB de RAM, ou seja, especificações para brigar de igual pra igual com qualquer um. Também me agrada muito a inclusão de materiais diferentes, no Brasil temos o modelo de bambu sendo vendido, e segundo o Renato da Motorola, o de couro pode chegar em breve.
Nick_Novo_Moto_X_preto

O sistema é o Android 4.4 KitKat, com upgrade garantido pro vindouro Android L, mas com alguns detalhes que realmente tornam o Moto X um smartphone especial. O Moto X foi criado para ser usado sem as mãos, e está prontamente atento para escutar a sua frase de chamada e atender aos mais variados comandos, incluindo abrir a agenda, navegar até um endereço ou enviar uma mensagem pelo WhatsApp, por exemplo. O Moto X pode assim ser usado para o mal, com seu temível recurso para tirar selfies com contagem regressiva atendendo a um comando de voz.

Minha parte favorita é que dá pra personalizar a frase ao gosto do freguês, desde que ela tenha três sílabas (ou algo bem próximo disto). O modelo que estou testando, por exemplo, atende a “Kirk to Enterprise”, e sim, eu também testei “May The Force Be With You”, com resultados igualmente satisfatórios. Na hora de configurar, você precisa gravar a frase três vezes, e o próprio Moto X te avisa se a frase não for adequada.

Indo além dos comandos de voz, o Moto X tem sensores infravermelhos que podem ser muito úteis quando você estiver na cozinha preparando uma comida trocando fraldas ou realizando outra tarefa que te impeça de tocar na tela, assim basta passar a mão sobre o aparelho para acender a tela com o relógio e as notificações. Se tiver alguma mensagem, por exemplo, basta dizer sua frase e falar novidades para que o Moto X as leia em voz alta para você.

O mesmo acontece se você está no carro ou em trânsito, e o Moto X pode ser configurado para ler mensagens e notificações em voz alta sem que você precise tirá-lo do bolso. Na hora de acionar o modo noturno para silenciar notificações, basta dizer sua frase e dar boa noite para o Moto X.

A câmera e a bateria melhoraram, mas teria sido o suficiente?

A nova câmera de 13 megapixels está realmente muito melhor do que o modelo anterior, mas continua sendo um dos únicos pontos questionáveis do aparelho. O grande problema é a interface, que muitos acham minimalista. Ao clicar na tela você tira a foto, e ao deslizar o dedo, aciona o zoom. Vou poupá-los de ver as fotos de teste, pois como fotógrafo sou ótimo blogueiro, mas em defesa da câmera, digo que com o HDR ligado com o controle de foco e exposição ativado, você pode arrastar o colchete para definir o ponto de iluminação e foco, e assim tirar fotos de boa qualidade, com cores fiéis e muitos detalhes, algo praticamente impossível com o primeiro Moto X.

Um dos calcanhares de Aquiles do antigo Moto X era a bateria de 2.200 mAh, e como o modelo novo traz uma bateria de 2.300 mAh, eu tinha a preocupação de que seu consumo fosse muito rápido. O que posso dizer que nos meus dois dias de teste em um uso realmente intenso com o Moto X, a bateria tem durado de 7 a 8 horas, algo mais do que aceitável para aparelhos com uma tela destas dimensões. Como não sou um usuário normal, diria que a bateria cumpre bem o seu papel, que essencialmente é aguentar o dia inteiro no tranco até você conseguir chegar na próxima tomada.

Também é importante citar que o Moto X é muito maior do que o modelo anterior, e pessoas com dificuldades de usar telas grandes podem optar pelo Moto G ou por outros smartphones com tela menor do que 5 polegadas. Dito isto, a verdade é que ele não é tão grande para o seu tamanho de tela, e com 10 mm de espessura e pesando 144 gramas, não pesa em nenhum bolso, além de não entornar de jeito nenhum. Em termos de capacidade, o Novo Moto X continua com dois modelos de 16 e 32 GB, e ainda sem a tão sonhada inclusão de um slot para cartões de memória.

O preço também é um ótimo argumento de venda, afinal a Motorola está cobrando R$ 1.499, mesmo preço sugerido do Moto X de primeira geração.

Este post é parte de uma campanha da Lojas Colombo para o Moto X, mas todas as opiniões são nossas.

relacionados


Comentários