Home » Áudio e vídeo » Sony prevê prejuízo de US$ 2,1 bilhões em 2015

Sony prevê prejuízo de US$ 2,1 bilhões em 2015

Da série “nada está tão ruim que não pode piorar”: previsão para o ano fiscal de 2014 mostra que Sony pode fechar com déficit acumulado de US$ 2,1 bilhões

5 anos atrás

xperia-z3

Se você achava que o fechamento do ano fiscal de 2013 já foi deveras ruim para a Sony, você não viu nada: uma nova projeção mostra que as perdas para o ano de 2014 podem simplesmente dobrar, o que segundo o CEO Kazuo Hirai levará a companhia a adotar remédios amargos para reverter a situação.

Assim como em 2013, o grande vilão da Sony é sua divisão de dispositivos. No fechamento de 2013 o setor, que inclui mobile e TVs teve um prejuízo de US$ 729 milhões, causado principalmente pela venda da divisão Vaio. Neste ano entretanto o responsável por puxar os números para baixo são os smartphones: a baixa expectativa de venda de seus aparelhos aliado a um investimento mal planejado do setor levou a um encargo enorme de US$ 1,7 bilhão, o que elevou em muito a previsão para o fechamento do ano fiscal, de US$ 460 milhões para assombrosos US$ 2,1 bilhões, quase o dobro das perdas de 2013, que atingiram a cifra de US$ 1,2 bilhão.

No fim das contas a Sony não fecha no azul há oito anos seguidos, acumulando perdas severas de US$ 12 bilhões no período. Ainda que os números não se comparem ao prejuízo recorde de 2011 com perdas de US$ 4,47 bilhões, a projeção levou Hirai a dar uma declaração surpreendente: pela primeira vez desde que a Sony foi listada na bolsa de valores em 1958, ela deixará de pagar dividendos a seus acionistas. Segundo o CEO, "essa é uma decisão que nos afetou duramente e esperamos voltar a pagar os dividendos o mais rápido possível". Não obstante, a Sony anunciou que vai reduzir fortemente a divisão mobile, cortando cerca de 15% de seu pessoal.

Como já previsto anteriormente, apesar de continuar dando lucros a divisão de games da Sony não conseguirá segurar a companhia, visto inclusive que as previsões apontam redução no consumo de consoles portáteis e mídias físicas, embora espera-se que o número de vendas do PS4 venha a ser excelente. Por fim, Hirai informa que a Sony não pretende vender sua divisão mobile e nem se desfazer do setor de TVs, que virou uma subsidiária depois da venda da linha Vaio.

Fonte: AT.

relacionados


Comentários