Home » Meio Bit » Apple e Mac » iPod Classic: o fim de uma era

iPod Classic: o fim de uma era

Foi uma longa viagem até aqui: Apple finalmente descontinua o iPod Classic, símbolo da revolução digital no mundo da música

4 anos atrás

jobs-first-ipod

Nós sabíamos que esse dia chegaria mais cedo ou mais tarde, mas ainda assim é triste ver um produto tão importante dar adeus. Sem nenhuma citação, sem cerimônia, a Apple atualizou sua linha de iPods e removeu qualquer referência ao velho Classic, pondo fim a uma história de 13 anos: de um produto que mudou a indústria da música e trouxe a Apple de volta aos eixos, o suficiente para ela se enveredar pelos caminhos que trilha hoje.

Lá atrás em 2001, o mercado da música era algo totalmente diferente: não havia uma forma centralizada de consumir material digital de seus artistas preferidos de forma simples e legal, a maior parte dos agregadores era alternativa (o Napster sofreu bastante na mão da RIAA nessa época) e tocadores de MP3 existiam aos borbotões, cada um com uma interface e modo de operar distinto. Entretanto a forma de consumir música era basicamente a mesma: ripar seus CDs para MP3 (ou baixar diretamente da internet) e carregar as canções automaticamente para seu dispositivo, cuja capacidade não era lá grande coisa.

Nisso entra Steve Jobs. Tendo voltado à Apple em 1996, ele vinha realizando uma verdadeira revolução na companhia e estava conseguindo torná-la relevante mais uma vez no mercado de computadores pessoais. Mas Jobs queria mais. Lhe incomodava passar o resto da sua vida vendendo computadores, ele queria entregar produtos relevantes e experiências de uso fluídas a seus consumidores, algo que um desktop (os iMacs eram lindos BTW) ou um notebook não poderiam fornecer por melhores que fossem. Foi então que ele se voltou à sua maior paixão desde sempre: a música.

E se houvesse um dispositivo que não só tornasse a experiência de ouvir música além de prazerosa prática? Nada de complicações: haveria uma loja de distribuição digital atrelada ao device, permitindo que o consumidor comprasse suas músicas de um jeito simples e prático. Além disso o dispositivo precisava ser confiável, fácil de operar e com uma capacidade de armazenamento muito maior do que seus concorrentes, o suficiente para o usuário colocar todo o seu acervo de músicas nele.

Loucura, você diria. Mas Jobs bateu o pé com gravadoras e os próprios fãs da Apple e no dia 23 de outubro de 2001, deu ao mundo o iPod. Acompanhe o evento original (pule para 12 minutos):

https://www.youtube.com/watch?v=SYMTy6fchiQ

EverySteveJobsVideo — Steve Jobs introduces Original iPod – Apple Special Event (2001)

De lá para cá muita água rolou. Jobs provou que tinha toda razão ao dizer que ter um serviço simples (embora muita gente, eu incluso odeie o iTunes com todas as forças) e um dispositivo de qualidade convenceriam o consumidor a gastar dinheiro com músicas em MP3, batendo de frente com a preocupação das gravadoras com a pirataria. Dois anos depois Gabe Newell mostrou que o mesmo se aplica a games com o Steam, que virou a indústria de games para PC de pernas para o ar.

O iPod se tornou sinônimo de MP3 Player, a grande maioria dos dispositivos concorrentes desapareceu ou foi obrigada a evoluir, e mesmo a Sony, empresa que Jobs idolatrava foi obrigada a engolir seco e admitir que a forma de distribuição do iPod superava a experiência da linha de players de bolso, que posteriormente foram absorvidos pela marca Walkman. Ainda hoje a fabricante japonesa a mantém e possui aparelhos dedicados, mas é um caso totalmente à parte.

ipod-classic-evolution

O tempo passou, o iPod evoluiu mas características como a grande capacidade de armazenamento e a Click Wheel, a interface de controle do dispositivo permaneceu ainda que atualizada. Outros modelos foram lançados como o Shuffle, o Mini, o Video, o Touch, o Nano e claro, o crescimento exponencial que a Apple sofreu graças à sua entrada no ramo do comércio de música permitiu que ela revolucionasse a telefonia celular com o iPhone e o mercado de tablets com o iPad.

Porém, o grande responsável por tudo isso andava esquecido. Desde 2009 ele não recebia nenhuma atualização. O update sutil do site da Apple ontem após o keynote tratou de dar cabo de uma só vez de todos os dispositivos que ainda faziam uso do conector de 30 pinos: o iPad 2, o iPhone 4S e o iPod Classic foram todos descontinuados silenciosamente, mas é a partida do player a mais sentida de fato. Agora, para adquirir um os entusiastas terão que recorrer aos varejistas obviamente enquanto os estoques durarem.

De minha parte eu lamento o fato de sua morte, mas era inevitável. Ele resistiu bravamente por cinco anos sem nenhuma atualização principalmente devido à sua grande capacidade de armazenamento, algo que a Apple vai driblar com os novos iPhones cujos modelos mais caros contam com 128 GB de espaço. Isso e o fato de que ele era um aparelho grande que só servia para ouvir música já não o tornavam tão interessante, diferente de mais de uma década atrás quando ele era um objeto de desejo de todos que gostavam de ouvir música e queriam levar sua biblioteca completa para qualquer lugar.

Portanto Godspeed iPod Classic, e obrigado por tudo.

relacionados


Comentários