Home » Ciência » Espaço » Anti-Criacionista ganha a Medalha Carl Sagan

Anti-Criacionista ganha a Medalha Carl Sagan

Saiu o resultado: este ano a Medalha Carl Sagan, da Associação Astronômica Americana foi pra Guy Consolmagno, astrônomo, divulgador científico, figura pop da mídia e ferrenho anti-ufeiros, crítico do design inteligente e que abomina criacionismo. Não podia ir pra alguém melhor! Clique e conheça mais sobre esse cientista.

5 anos atrás

medalhasagan

A Medalha Carl Sagan é um prêmio criado em 1998 pela Associação Americana de Astronomia para honrar cientistas planetários que se destacaram na divulgação da Ciência para o grande público. Este ano o prêmio foi para o Professor Guy Consolmagno, americano de Detroit, com um Mestrado no MIT, Ph.D. em ciência planetária pela Universidade do Arizona e pós-doutorado pelo Observatório de Harvard.

Consolmagno pausou dois anos sua carreira para se voluntariar aos Corpos de Paz dos EUA, tempo durante o qual serviu no Kênia, levando não bíblias, mas conhecimento, ensinando física e astronomia para a população local. Logo depois ele se tornou astrônomo de um dos observatórios mais famosos e antigos do mundo, curador de uma enorme coleção de meteoritos e publicou por volta de 40 trabalhos científicos envolvendo meteoritos e asteroides.

Aliás, ele tem um. O asteroide 4597 Consolmagno tem esse nome em homenagem ao professor. Ele merece. Com 6 livros de divulgação no currículo, entrevistas em Talk Shows como o Colbert Report, figura fácil na BBC e com uma agenda de 40 a 50 palestras por ano, Consolmagno é um divulgador de primeira. Seu entusiasmo e reverência pelo Cosmos o colocam no mesmo grupo de Sagan e daquele cientista negro famoso.

[pausa]

Sério, os infelizes se referiram assim a Neil DeGrasse Tyson, clique lá, eu espero. O sujeito apresenta COSMOS e não tem direito a ser chamado pelo nome.

[fim da pausa]

Apesar de admirar o Cosmos, Consolmagno mantém o ceticismo. Sobre UFOs, comenta:

Eu não sei de nenhuma prova convincente de que tenha existido contato de qualquer forma entre aliens e a Terra. PONTO. Eu não consigo imaginar uma circunstância onde tal contato possa ter sido mantido secreto por tanto tempo. E digo isso, não só como um astrônomo em atividade por 40 anos, mas também como alguém que conhece um monte de gente na comunidade SETI.”

Sobre Design Inteligente ele diz:

O termo foi sequestrado por um grupo de cracionistas fundamentalistas nos EUA e seu signficado não tem nada a ver com o conceito original.”

Sobre criacionismo:

“A religião precisa da ciência para se manter longe da superstição e se manter próxima da realidade, para se proteger do criacionismo, que no final do dia é um tipo de paganismo — transforma Deus em um deus da natureza.”

O Professor Consolmagno também emitiu opiniões corajosas sobre ETs, que não vê motivo para não existirem, dada a grandiosidade do Universo. Também acredita no Big Bang, e que o Design Inteligente nada mais é que “teologia ruim”, a falácia do Deus das Lacunas, que tenta explicar misticamente tudo que a ciência ainda não descobriu como funciona.

Por essas e outras contribuições a Medalha Carl Sagan é um reconhecimento justo. Guy Consolmagno é um dos cientistas que enfrenta a escuridão com uma vela, afastando as trevas do desconhecido e da superstição.

Nice Guy Consolmagno além disso tudo é um Irmão Jesuíta, mais um da longa lista de religiosos cientistas, como o delicioso Roger Bacon, Carnoy, Paolo Casati, Castelli, professor de Galileu, Copérnico, James Cullen, Albert Curtz, Paul Guldin, Bartolomeu de Gusmão, Georges Lemaître, criador do Big Bang (ok, da teoria), Mendel, sem o qual o Ratinho não existiria e o Padre Roberto Landell de Moura, gaúcho que você nunca ouviu falar mas que fez a primeira transmissão de voz radiofônica. Aliás, leiam esta mini-biografia dele, é capenga, wiki-br mas mostra que o Brasil tem a tradição de hagar solenemente e sabotar Ciência não é de hoje.

Brother-Guy-Consolmagno_CREDIT-Alessia-Giuliani

O Irmão Consolmagno é uma pedra no sapato na garganta dos fundamentalistas, criacionistas e pessoas que vivem na Idade Média, acreditando em horóscopos, benzedeiras, pirâmides do Fantástico e que sempre chove em Finados. Sua mera existência também é ofensiva aos militantes raivosos que confundem ter qualquer tipo de crença religiosa com um atestado de retardo mental.

Em uma das cenas mais emocionantes de Cosmos Giordano Bruno, condenado pela Inquisição por heresia, ao sonhar com um Universo de muitos mundos, muitos povos, acusa seus acusadores: “Seu Deus é muito pequeno”. Algo me diz que se fosse trazido para os dias de hoje, Bruno não diria o mesmo dO de Guy Consolmagno.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários