Home » Internet » Wikipédia cria novas regras “forçando” editores a avisar quando estão sendo pagos

Wikipédia cria novas regras “forçando” editores a avisar quando estão sendo pagos

Em outubro passado a Wikipedia removeu mais de 250 contas aparentemente ligadas a empresas de relações públicas que estavam publicando artigos no site. Em janeiro, a Wikimedia Foundation demitiu um empregado acusado de receber para publicar.

6 anos atrás

Wikipedia

A Wikimedia Foundation, organização sem fins lucrativos que administra a Wikipédia, avisou que está colocando novas regras em prática quanto a edições pagas.

Segundo as novas regras, qualquer editor pago para editar o site deve indicar a que empresa está ligado em sua página de usuário, para deixar clara sua perspectiva quanto ao assunto em questão. Também foi lançado um FAQ sobre edições pagas.

A mudança vem depois do burburinho sobre tópicos pagos. Em outubro passado a Wikipédia removeu mais de 250 contas aparentemente ligadas a empresas de relações públicas que estavam publicando artigos no site. Em janeiro, a Wikimedia Foundation demitiu um empregado acusado de receber para publicar.

Alguns editores da Wikipédia são pagos indiretamente, por trabalhar para uma galeria, biblioteca, arquivo ou museu que permite que eles escrevam sobre sua área de especialização como parte de seu trabalho. Esses não são afetados pelas novas regras, que só valem para quem escreve sobre seu empregador.

Um professor que trabalhe para uma universidade, por exemplo, só precisará deixar isso claro caso seja pago para escrever sobre a mesma. Se ele contribui com artigos relacionados à sua cadeira, no entanto, nada muda e ele não precisa dizer para quem trabalha.

Já qualquer empregado editando a Wikipédia para uma empresa de relações públicas deverá avisar isso, incluindo o nome da empresa e do cliente em questão, de acordo com as novas regras.

Voluntários não serão afetados, e é aí que fico pensando quantos deles não estão recebendo por baixo dos panos, passando despercebidos pelo radar. Isso para não falar nas empresas ainda não detectadas, que certamente seguirão na prática do se colar, colou.

Fonte: Arstechnica.

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários