Home » Hardware » Stephen Elop fala sobre a aquisição da Nokia, Android e o futuro da Microsoft

Stephen Elop fala sobre a aquisição da Nokia, Android e o futuro da Microsoft

Vice-presidente executivo de Dispositivos e Estúdios Microsoft Stephen Slop responde perguntas sobre a marca Nokia, a linha X com Android e o futuro da Microsoft Mobile.

5 anos atrás

stephen-elop

Agora que a aquisição da Nokia foi concluída e ela deixará de existir ao menos no nome, seu ex-CEO Stephen Elop foi enfim repatriado em definitivo pela Microsoft, assumindo o cargo de VP executivo de Dispositivos e Estúdios, passando a ser o responsável por tudo relativo a Xbox, Surface, Windows Phone e demais dispositivos de hardware, além de se tornar o líder da Microsoft Studios. Ontem ele participou de uma sessão de perguntas e respostas, onde clarificou alguns pontos sobre o futuro da Microsoft, agora com a Nokia sob sua asa.

Sobre a marca Nokia, Elop foi claro ao dizer que apesar do fato que a Microsoft detém direitos de utilização do nome para celulares por 10 anos, o nome da empresa finlandesa não será utilizado por muito tempo em smartphones. Isso é até esperado, a princípio o nome Nokia é forte mas como a empresa continua existindo, fornecendo serviços como o HERE Maps e hardware de rede é de se esperar que em um determinado momento os smartphones passem a contar somente com a marca Microsoft. Os feature phones como a linha Asha continuariam a ser lançados com o nome Nokia, visto que a marca é mais forte em mercados emergentes como o Brasil.

nokia-x_smartphones

Ao explicar o futuro da linha Nokia X, Elop não surpreendeu muito se considerarmos o caminho que estão tomando. A linha de dispositivos que rodam um fork do Android era até ser lançada vista pelos analistas como um plano B da fabricante finlandesa caso a aquisição da Microsoft não desse certo, e muita gente acreditava que tão logo o negócio fosse concluído ele seria exterminado. Entretanto o executivo disse que não há necessidade para isso por um motivo simples: o SO baseado no Android 4.1.2 Jelly Bean obviamente não é homologado pelo Google, portanto possui zero integração com os serviços de Mountain View, utilizando os recursos da Microsoft. Ao utilizar o Android Open Source Project para desenvolver a plataforma da linha X, Redmond dispõe de um SO maduro com a qualidade de hardware característica da Nokia. Claro, Redmond não é boba e a decisão de manter a linha como aparelhos de entrada é importante para que ela não queime os Lumias.

Por fim Elop esclareceu que no futuro a Microsoft poderá de fato abandonar o visual mais sóbrio e adotar a filosofia colorida que a Nokia tem praticado em seus dispositivos. O primeiro comercial divulgado após a conclusão da aquisição já destaca que a empresa não é como todas as outras, monocromáticas e sem vida:

http://www.youtube.com/watch?v=Gpj4w9_T_Yg

Elop afirma que a Microsoft vai continuar investindo na câmera como um importante diferencial da linha Lumia. O 1020 é um aparelho sensacional com poder de fogo que impressiona até fotógrafos profissionais, e é muito legal que ela se mantenha nessa linha. E a Microsoft continuará apoiando outros fabricantes a lançarem seus Windows Phones, mesmo que isso represente pouco já que hoje a Nokia responde por 90% do mercado de aparelhos com o sistema.

Elop ainda respondeu outras perguntas, por exemplo negou a acusação de cavalo-de-troia dizendo que enquanto esteve na Nokia trabalhou pelo crescimento da mesma, embora tenha sido decisão dele matar o Symbian e o Meego e demitir 40 mil funcionários. Sobre o Symbian especialmente, Elop disse que a Nokia não conseguiu ver uma forma de tornar o SO competitivo frente ao iOS, que era três anos mais velho; a decisão de encerrá-lo e abraçar o Windows Phone seria estratégica, de modo a tornar a Nokia novamente competitiva. De certa forma ele tem razão: como o Cardoso bem disse o SO era um Fusca, e por mais atualizado que fosse continuaria obsoleto.

Fonte: Nokia.

relacionados


Comentários