Home » Web 2.0 » Twitter não quer mais vídeos pr0n no Vine

Twitter não quer mais vídeos pr0n no Vine

Acabou a farra: Twitter atualiza Termos de Serviço do Vine proibindo vídeos pr0n no app.

5 anos e meio atrás

vine

Quando o Vine foi lançado há cerca de um ano atrás, não demorou praticamente nada para os usuários o entupirem de vídeos curtos com conteúdo de sacanagem. Afinal era rapidinho, por padrão o som não é executado e portanto enviar conteúdo pr0n se tornou o hobby de muita gente tão logo o app foi lançado. O mais engraçado na história é que ele nasceu como um exclusivo do iOS, e dada a sexofobia patente da Apple só um acordo de muitas cifras com o Twitter é a explicação para que ele não fosse banido já que o 500px e até a Playboy foram podados, nesse último caso duas vezes: o app e a revista (que custa US$ 5, é bom lembrar) não trazem fotos de mulheres edificantes sem roupa.

O tempo passou, o app chegou ao Android e Windows Phone, o Instagram passou a gravar vídeos de maior duração que o Vine, o interesse dos safadinhos se voltou para o Snapchat mas o app ainda tinha sua cota de videozinhos educativos, era como um Chatroulette de bolso. Boa parte da culpa era do próprio Twitter, já que os Termos de Serviço originais não proibiam conteúdo edificante, apenas desencorajava sua publicação.

Só que agora a festa acabou. Um post publicado ontem no blog do Vine que o ToS foi finalmente revisado proibindo qualquer conteúdo explícito. O Twitter até reconhece que o interesse por esses vídeos caiu (na verdade o uso do Vine como um todo), mas deixa claro que safardanagem não terá mais vez:

Para mais de 99% de nossos usuários nada mudará. Para o restante, embora não sejamos contra conteúdo explícito na internet não queremos ser uma fonte desse tipo de material”.

Embora não entenda a resistência dos usuários em enviar vídeos pr0n pelo Vine quanto o Snapchat se tornou uma comunidade só com esse fim, se o Twitter se incomodou a ponto de alterar as regras do jogo é fato que ele ainda era utilizado como tal. Não se sabe se os vídeos que já foram compartilhados serão eliminados, mas essa é a possibilidade mais provável.

Fonte: CNet.

relacionados


Comentários