Home » Mercado » MWC 2014: Samsung exibe protótipo de smartphone rodando Tizen

MWC 2014: Samsung exibe protótipo de smartphone rodando Tizen

Samsung exibe de forma tímida protótipo de smartphone rodando Tizen, seu próprio sistema operacional que pode se tornar uma alternativa ao Android

6 anos atrás

samsung-prototype-tizen

Ainda que a grande atração da MWC 2014 seja de fato o Galaxy S5, não é como se a Samsung não tenha outras coisas para mostrar. Acontece que ela não está dedicando muito espaço na feira, e ironicamente o que possui o potencial de realizar uma grande mudança na empresa está escondido, numa pequena barraca: trata-se do Tizen, o sistema operacional baseado em Linux e que possui algumas similaridades com o MeeGo. Ainda que ele esteja presente em sua nova linha de smartwatches, o ideal seria vê-lo rodando em um smartphone. E a Sammy de fato levou um protótipo com o sistema para a feira.

O protótipo em questão se parece muito com um Galaxy S4, mas nos foquemos no SO. Visualmente ele é muito parecido com o Android com TouchWiz, mas o Tizen surpreendentemente é cheio de gimmicks bem interessantes. A Samsung fez bem em absorver tudo o que pôde do sistema do robozinho, criando um SO próprio que anda muito bem com as próprias pernas. A forma de operar é basicamente a mesma: há um menu de aplicativos, uma área de notificação, os botões de navegação permanecem os menos. As coisas mudam quando nos focamos nos detalhes.

Os widgets foram completamente repensados, podendo ser redimensionados livremente. Um espaço de 1 x 1 o reduz a um ícone com o de qualquer app. Na exibição normal, um slide exibe mais informações, desde um painel com previsão do tempo para vários dias ou informações sobre uma notícia, dependendo do widget. Pressionar o botão Home por alguns segundo traz a função multitarefa assim como ocorre no sistema do Google, mas ao invés de exibir uma lista os programas são exibidos em janelas; para fechar os programas é preciso clicar do botão com o sinal de subtração, ao invés de deslizar para o lado como o Android ou para cima, no iOS.

Talvez o recurso mais interessante seja o modo de multi-janelas. Pressionando o botão Voltar por alguns segundos fará com que seja exibido um menu de mini-apps, que são abertos como janelas na tela do smartphone. É possível abrir vários, como o app de câmera, calculadora, telefone, desde que haja espaço na tela.

O desenvolvimento é um caso à parte - a Samsung vai trabalhar com apps de HTML5 e C++, talvez até para se distanciar do Android. Por esse motivo é de se pensar que não haverão muitos apps a princípio, só que a empresa coreana Infraware, responsável pela suite mobile Polaris Office está exibindo outro protótipo, dessa vez para demonstrar o quão prático é o programa Polaris App Generator: com um click, ele converte um arquivo .apk num executável do Tizen, o que promete eliminar a necessidade de desenvolvedores escreverem tudo de novo. Young Moon (não ria!), gerente global de negócios da companhia disse que o processo é simples, envolve adicionar um standalone do Dalvik em cada aplicação. Mas se o trabalho é reduzido, o preço é alto: a Infraware cobra US$ 5 mil por app mas oferece suporte por dois anos. Moon diz que o preço alto é para afastar piratas.

No mais, fique com o vídeo e vislumbre o que pode ser o futuro da Samsung, num cenário não tão hipotético onde ela poderia abandonar o Android em prol de seu próprio SO:

Fonte: Ars e CNet.

relacionados


Comentários