Home » Ciência » Destaque » Microsoft abraça movimento Open Science

Microsoft abraça movimento Open Science

Uma das coisas mais chatas de achar online são trabalhos científicos. Boa parte está atrás de paywalls, que cobram dezenas de dólares pelo texto, dinheiro que vai todo pras revistas. Felizmente um grupo está brigando contra isso, com o movimento Open Science. Agora, em um momento “we have a Hulk”, a Microsoft Research aderiu à iniciativa. Será que as revistas vão peitar uma empresa que só ano passado investiu mais de US$ 10 bilhões em pesquisa?

5 anos atrás

MSRC_P1080461

Existe um problema sistêmico no mundo científico. Você só tem reconhecimento se sua pesquisa for publicada, e em veículos respeitáveis. O Jornal de Medicina Astrológica Homeopática de Rorainópolis não tem o mesmo peso que a Lancet ou a Nature. Como resultado essas revistas ganham muito poder. Fazem mil exigências, incluindo exclusividade, e disponibilizam por trás de PayWalls.

Um artigo menor no Journal of Investigative Dermatology por exemplo custa US$ 32,00. Uma assinatura da revista sai por US$ 853,00. Essa é UMA publicação. Imagine quantas você tem que assinar se quiser se manter em dia com o que é produzido em sua área.

Há revistas que disponibilizam as pesquisas gratuitamente, mas em muitos casos até isso só acontece depois de pelo menos seis meses. Como resultado é comum um “mercado negro” de trabalhos científicos, com gente perguntando em redes sociais quem tem acesso a determinados papers, que são baixados em PDF e “ilegalmente” enviados via e-mail.

Um movimento contra isso é o Open Science, que se propõe a disponibilizar gratuitamente todo o material de pesquisas científicas, em muitos casos até os dados brutos. Agora a Microsoft Research aderiu ao projeto. Um braço de pesquisa espalhado por vários países, a MSR em 2010 tinha orçamento de US$ 9,5 bilhões. Como comparação o Orçamento do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (quaaa) para 2013 foi de… US$ 4,24 bilhões. Sim, além de uma bebida energética ter um programa espacial melhor que o do Brasil, uma empresa de software investe em ciência mais de duas vezes que o nosso país.

As pesquisas de cientistas da MS Research são normalmente apresentadas em seminários e veiculadas em revistas e jornais de suas áreas, e eles continuarão tendo o direito de enviar sua pesquisa para esses veículos, MAS agora a Microsoft Research incluiu uma licença dizendo que podem publicar os trabalhos em veículos gratuitos.

Ou seja: o sujeito pode ganhar seus créditos entre os colegas enviando um artigo pra Gazeta Biomédica de Asgard, mas quem não tem dinheiro pra pagar por ele, poderá acessar legalmente o mesmo texto em outro lugar.

É uma grande iniciativa da Microsoft, aprovada pela imensa maioria dos pesquisadores, que também não estão satisfeitos com conteúdo científico estar tão mais eficientemente bloqueado do que qualquer filme de Hollywood. Esperemos que ela ajude a mudar esse cenário, pois ciência só funciona se for de livre e fácil acesso, podendo ser estudada, questionada, replicada e se for o caso, desmentida ou aprimorada.

Fonte: TV.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários