Home » Indústria » Apple, sobre o Tegra K1: “obrigado, mas não, obrigado”

Apple, sobre o Tegra K1: “obrigado, mas não, obrigado”

nVidia passa a licenciar a GeForce ULP contida nos Tegra, mas grandes fabricantes de smartphones e tablets como a Apple preferem manter os atuais acordos e desenvolver SoCs com tecnologia própria. Ou algo próximo disso. A Imagination Technologies comemora.

6 anos atrás

A Apple leva a máxima “em time que está ganhando, não se mexe” bem a sério em seu hardware. Os fãs da AMD, por exemplo, já desistiram de ver processadores centrais diferentes dos da Intel nos MacBooks. Com relação aos processadores gráficos x86, há até boas chances de vermos GPUs Radeon equipando as máquinas da Maçã, o Mac Pro que o diga, mas a preferência é pela nVidia: esta e a Apple mantém boas relações e quase todo ano vemos algum rumor sobre tal relacionamento se estender aos iGadgets.

Bom, se tinha algum fã da nVidia achando que veríamos o Tegra K1 no próximo smartphone (iPhone 6?), ele já pode tirar o cavalinho da chuva: a Maçã renovou os acordos de licenciamento das tecnologias de processamento gráfico mobile (ARM) com a britânica Imagination Technologies. Ou seja, o próximo system-on-a-chip (Apple A8?) que equipará os iGadgets continuará tendo uma bela PowerVR como GPU.

Laguna_ImaginationTech4

É um tanto nostálgico lembrar que o Dreamcast usava um ancestral (embora não direto) da atual PowerVR G6430, que equipa o Apple A7. Vocês não acham incrível que, em 15 anos, a tecnologia tornou possível vermos uma GPU 25 vezes mais potente que a de um clássico console agora equipando smartphones e tablets?

Laguna_PowerVR_Series6XT_roadmap

Pequena lista das atuais e futuras GPUs PowerVR Series 6 (Crédito: MacRumors)

A Imagination Technologies promete (e o tio Laguna confia) que a próxima geração de GPUs mobile PowerVR, a Series 6 XT, terá um desempenho 50% maior que a geração atual (Series 6) mas a expectativa é que o lançamento seja somente em 2015. A GPU do Apple A8 talvez seja a mesma do A7 mas rodando à freqüências maiores e/ou usando mais que os atuais 128 núcleos do G6430.

Mesmo a Apple sendo acionista minoritária da Imagination Technologies (10% das ações), Samsung e Intel licenciam de boa GPUs PowerVR para uso em alguns de seus SoCs. Se o produto é bom, até rival compra.

Correndo atrás de tal mercado, a nVidia decidiu licenciar a tecnologia GeForce ULP para uso em outros SoC que não o Tegra. Isso mesmo, poderíamos ver os 192 núcleos CUDA do Tegra K1 em processadores mobile não desenvolvidos pela nVidia. A ARM Holdings (GPUs Mali) e a Qualcomm (GPUs Adreno) já fazem isso.

Enfim, muita gente leiga ficou maravilhada com os benchmarks do Tegra K1, mas o tio Laguna relembra que aqueles testes foram feitos a partir de um hardware que ficará preso a uma tomada: aquela configuração talvez consuma algo próximo dos 5 watts-hora somente no SoC, enquanto a Apple em seus smartphones prefira limitar o consumo a um décimo disso à plena carga.

É, não veremos Tegra em iPhone a médio prazo, isso é certeza. Se vocês lerem sobre qualquer rumor desse tipo, já sabem o nível de credibilidade da fonte.

relacionados


Comentários