Home » Ciência » Suzana Herculano, a Nigella dos Cérebros

Suzana Herculano, a Nigella dos Cérebros

A excelente palestra da neurocientista Suzana Herculano no TED agora está legendada no YouTube. Clique, assista e entenda mais sobre quem somos, de onde viemos e o que nos torna tão especiais em relação a nossos primos primatas.

5 anos atrás

suzanadobem

Suzana Herculano é uma das raras cientistas brasileiras que caiu no gosto da mídia. Ela é articulada, fala e escreve bem, faz pesquisa de verdade e se fosse em um país decente, teria umas 3 séries na BBC por ano. Claro, Bambam dá mais audiência. Ela além de estudar neurociência, tem seis livros de divulgação científica publicados e estreou um programa no Vimeo, sobre neurociência.

Como todo mundo realmente bom, ela foi parar no TED. O de verdade, não aquele de várzea que tem mais franquias que o Habbib’s e adora projetos revolucionários de reciclagem de garrafas PET. Ela apresentou sua pesquisa sobre… cérebros. A parte ruim é que demoliu nosso antropocentrismo confortável. Gostamos de nos sentir especiais, gostamos de achar que o Homem é o Senhor da Natureza. O apelo criacionista passa muito por aí. A afirmação (correta, aliás)não descendo de um macaco” ressoa no ego de todo mundo.

Suzana não gostava dessa posição especial do cérebro humano, mesmo ela sendo justificada por dados. Nosso cérebro É bem mais complexo que o de outros animais. O mistério começa com a quantidade de neurônios no cérebro humano. Todo material da área diz que temos 100 milhões de neurônios. NENHUM citava a fonte. Ela pesquisou e descobriu que… não havia fonte. Então, vamos pesquisar. Como se contam os neurônios de um cérebro? Mesmo com estagiários isso é complicado, até por si só resolver a parte da doação de cérebros pra pesquisa.

Ela resolveu isso dissolvendo cérebros em uma sopa orgânica, homogenizando e contando os núcleos celulares em uma quantidade específica de gosma de zumbi. Daí, matemática de primário e você determina quantos neurônios há no total. Simples, não? Só que ninguém tinha feito isso.

A pesquisa evoluiu para outras espécies, chegando a uma relação entre tamanho do cérebro, quantidade de neurônios e complexidade do animal. A descoberta de Suzana é que nossos cérebros SÃO impossíveis de existir na natureza. Mesmo assim, existem. O responsável por sermos tão inteligentes em relação aos outros grandes primatas? Prometeu. O deus, não o filme.

A palestra está agora no Tubo, legendada. Não vou dar mais detalhes, a Suzana apresenta seu trabalho de forma muito melhor do que eu. Sério, assista, vale cada um dos 13 minutos.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários