Home » Hardware » Em entrevista, Ballmer diz que conselho da Microsoft indiretamente apressou sua saída

Em entrevista, Ballmer diz que conselho da Microsoft indiretamente apressou sua saída

Segundo CEO conselho administrativo quer mudanças numa velocidade que ele não pode alcançar: Ballmer se vê como “símbolo de uma era antiga” que precisa sair

6 anos atrás

steve-ballmer

Ainda que Steve Ballmer tenha deixado um legado de altos e baixos na Microsft nestes 13 anos que serviu como seu CEO, para o conselho administrativo o ritmo em que ele conduz as mudanças não é dos mais rápidos. Em entrevista ao Wall Street Journal Ballmer diz que a ânsia dos diretores por mudanças é veloz demais para o seu ritmo de trabalho, e por causa disso ele não poderia continuar capitaneando a empresa sem entregar tudo o que eles querem.

Ainda que pareça sincronizado demais para não ser o motivo principal, o prejuízo de US$ 900 milhões que o Surface RT deu à Microsoft é apenas um dos fatores. Os problemas começaram quanto o conselho começou a pressionar para que o plano de reestruturação da Microsoft idealizado por Ballmer fossse posto em prática o mais rápido possível. A intenção seria tornar a empresa mais competitiva, de modo a concorrer pau a pau com Apple e Google no mercado de smartphones. Durante um encontro com os diretores, enquanto ele explicava o plano o líder do conselho de administração John Thompson o interrompeu, dizendo “ei cara, anda logo com isso. Estamos parados no tempo”.

Em entrevista ao jornal, Thompson disse que “o conselho não o pressionou a sair, apenas para andar mais rápido com as mudanças”.

Entretanto a velocidade do conselho e a de Ballmer não estão em sintonia, e segundo o CEO eles não chegarão a um acordo. Ele inclusive tentou deixar a empresa mais colaborativa: anteriormente ele contatava os chefes de unidade individualmente, e em 2013 passou a promover encontros em seu escritório, de modo a tornar o desenvolvimento mais orgânico. Mas nada que fizesse parecia agradar o conselho. Isso fez Ballmer chegar à conclusão que talvez ele seja o problema e sair para dar lugar a um CEO mais ágil talvez seja o melhor para a Microsoft, ainda que o faça com dor no coração:

Talvez eu seja o símbolo de uma era antiga, e eu tenha que sair. (…) Apesar de amar o que eu faço, a melhor alternativa para a Microsoft entrar numa nova era pode ser um novo líder, que acelere as mudanças.

Resta saber quem vai assumir a cadeira. Entre os mais cotados estão Alan Mulally da Ford e os internos Tony Bates, Satya Nadella e Stephen Elop, este último motivo de preocupação após suas ideias mirabolantes virem à tona.

Fonte: WSJ.

relacionados


Comentários