Meio Bit

Teste com nave reutilizável foi um sucesso, exceto na parte que não funcionou

A Sierra Nevada Corporation completou mais um teste do Dream Chaser, sua nave espacial reutilizável. Está dentro do cronograma, imaginam que ela vá voar no espaço em 2016 e leve os primeiros passageiros em 2017, e os testes indicam que conseguirão. Claro, nem sempre tudo dá certo, como neste pouso, onde tudo foi excelente se você descontar a roda que não funcionou.

De todas as naves espaciais sendo desenvolvidas por empresas privadas, a Dream Chaser é a que mais se parece com a idéia que temos de uma nave espacial. TODO o mérito pra Orbital, mas a Cygnus parece uma lata de lixo. A Dragon é bem mais bonita, mas não voa, cai com estilo.

A Dream Chaser, embora tecnicamente caia com estilo também, pois vem planando, é pensada desde o começo para levar humanos, e promete um vôo bem mais suave, com aceleração na descida de no máximo 1,5 G. Qualquer montanha russa decente supera isso.

Ela levará até 7 passageiros, e claro que com 9 metros de comprimento não será capaz de levar um Hubble como o ônibus Espacial, mas também não custará US$ 1,5 bilhão por lançamento igual ao irmão maior.

Uma das novidades do Dream Chaser, e que não faz o menor sentido para gente normal como nós, é que para reduzir peso, ela não tem… roda da frente, só um ski esquisito.

Estranhamente não foi ele que deu defeito, no vôo de teste dessa semana, mas o trem de pouso da esquerda. A nave foi solta de um helicóptero, começou a planar e veio pianinho, guiada pelo piloto automático, alinhou-se com a cabeceira da pista, mas aí desastre. O ski desceu, a roda direita idem. A da esquerda, necas.

Pode ter sido um milhão de coisas, muito provavelmente algum erro idiota, um estagiário que esqueceu de tirar uma trava, ou o estagiário no compartimento de carga que não girou a manivela na hora certa.

O fato é que a pobre nave, se me permitem a terminologia altamente técnica, esborrachou-se na pista. Infelizmente o pessoal da empresa só liberou o vídeo até o momento em que o trem de pouso não baixa, perdemos toda a parte suculenta.

Como é crueldade deixar vocês assim chupando dedo, imagine que foi algo tão espetacular quando o acidente da aeronave de testes M2-F2 da NASA, que em 1967 experimentava com o conceito de lifting body, quando toda a fuselagem produz sustentação aerodinâmica.

Era o 16º vôo, mas um helicóptero estava fora de posição, forçando o piloto a se desviar, perdendo velocidade demais e caindo quando ainda estava a 3 m de altura. O acidente foi espetacular, claramente mortal para qualquer mortal:

Contra todas as expectativas, o piloto, Bruce Peterson, sobreviveu. Passou um bom tempo no hospital, enquanto isso os engenheiros calcularam que o arrasto causado por suas imensas bolas de bronze garantiram a desaceleração e salvaram sua vida.

O acidente foi usado na abertura do seriado O Homem de 6 Milhões de Dólares, mas ao contrário de Steve Austin, Bruce não ganhou membros biônicos, acabou pegando uma infecção no hospital e perdeu um olho. Como compensação foi nomeado diretor da S.H.I.E.L.D.

Leia mais sobre: , .