Segundo WSJ, Microsoft estaria testando sua própria versão do Google Glass

windows-glass-patent

Aparentemente o hype do Google Glass esfriou, mas isso não quer dizer que ele não seja um produto interessante o suficiente para despertar a concorrência. Uma dessas empresas é a Microsoft, que segundo o Wall Street Journal está desenvolvendo um óculos esperto tal como o de Mountain View. A patente já vazou anteriormente (foto acima), mas agora chegam informações internas que a Microsoft está testando diversos modelos do gadget.

De acordo com  as fontes a empreitada é reflexo do desejo do CEO Steve Ballmer de “não ficar para trás, seja em hardware ou software” para seus concorrentes. Ainda que originalmente o alvo principal era a Apple, a empresa estendeu seu escopo obviamente para Google e Samsung, e isso inclui não ficar de fora do mercado de gadgets “vestíveis”. Tal como o Glass, o óculos esperto da Microsoft contaria com câmera e conexão wireless, mas assim como seu concorrente não seria um produto voltado às massas. Ainda que nada tenha sido dito pela Google, muito provavelmente o preço do Glass não ficará muito distante dos US$ 1.500,00 da versão Developer, e Redmond pode acabar seguindo o mesmo caminho.

SPOT: smartwatches com sistema da Microsoft, lançados em 2004

Considerando que ela agora é a dona da Nokia (que lançou uma cacetada de coisas legais hoje, aliás), ao menos a questão hardware de qualidade está resolvida. E mais, essa não é a primeira vez que a Microsoft entraria no ramo de wearable gadgets: ela foi uma das primeiras a lançar um smartwatch ainda em 2004 quando lançou o SPOT (abreviação de Smart Personal Objects Technology), um sistema voltado para conectar eletrodomésticos com a rede via FM, um serviço que custava US$ 59 por ano. Além de relógios espertos fabricados pelas empresas Fossil, Inc. e Suunto (acima), a Melitta também apresentou uma cafeteira esperta, a ME1MSB:

melitta-smartcoffee

Ainda que não tenha dado muito certo, a Microsoft teria mais know-how na área do que seus concorrentes. Resta saber se ela também vai entrar na onda dos smartwatches, área em que até a HTC vai entrar.

Fonte: WSJ.

Relacionados: , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar