Home » Filmes e séries » Marvel Esmaga Paradigmas de Televisão

Marvel Esmaga Paradigmas de Televisão

O grande diferencial de qualquer canal de TV é seu conteúdo, e até a Netflix os serviços de streaming não aplicavam esse conceito. Depois de House of Cards tudo mudou, agora o conteúdo diferenciado se oferece para esses serviços. A bola da vez? Marvel.

6 anos atrás

Kevin-Spacey

Do mesmo jeito que existe a percepção geral (ERRADA) de que videogame é uma indústria menor voltada pro público infantil, a Internet não é vista como um meio nobre, mesmo em se tratando de conteúdo original. “Sucesso” ainda é migrar para a televisão, escrever de graça para um jornal ou ter coluna em revista.

Isso afeta a indústria de streaming, pois o ÚNICO diferencial relevante para um canal é seu conteúdo, e quando todo mudo passava mais ou menos a mesma coisa, ficava difícil dizer quem era a melhor opção. A Netflix percebeu isso, entrou com o pé na porta e produziu House of Cards, série que atropelou uma indústria de décadas e fez bonito no último Emmy.

A Amazon investiu em vários pilotos de orçamento melhor, mas sem grandes nomes, correm o risco de virar um MySpace de seriados, com um monte de conteúdo que pode até ser bom mas ninguém assiste por não conhecer. Nem todo mundo tem grana pra contratar um Kevin Spacey afinal.

Agora surgiu uma evolução nesse mercado que pode dar samba, muito samba. A Marvel, que tem mais de 60 anos de conteúdo em estoque, milhares de personagens, incontáveis histórias, voltou para a TV depois de dominar o cinema de heróis. E querem mais.

A Casa de Idéias está produzindo nada menos que quatro séries e uma mini-série, em um pacote de 60 episódios, especialmente para o mercado de streaming. Irão vender (na prática leiloar) para Netflix, Hulu, Amazon e outros. O conceito é simples: a Marvel tem audiência cativa, milhões de nerds sequiosos atrás de mais filmes e séries com os personagens que amam, então não é preciso começar do zero. Uma série do Luke Cage se vende sozinha. Uma do Deadpool derrubaria os servidores da Netflix.

O grande diferencial, a grande quebra de paradigma, é que uma série em streaming não precisa das mesmas audiências loucas de séries em TV tradicional. Não existe sequer o conceito de ranking de horário, pois… você assiste quando quiser.

A Netflix ressuscitou Arrested Development, se a moda pega teremos conteúdo original de franquias como Marvel e DC, e novas temporadas de séries mortas antes do tempo, como Firefly e V.

Nessa equação surge uma Era Dourada para os produtores de conteúdo, os canais de streaming e os fãs. Só quem se dá mal são as emissoras tradicionais, com seus custos e exigências de audiência irreais, mas azar delas, se não gostaram que reclamem naquele famoso site de microblog da Internet.

Fonte: DL.

relacionados


Comentários