Home » Microsoft » Mudanças da Nokia em 2014 efetivamente matarão Symbian e Meego

Mudanças da Nokia em 2014 efetivamente matarão Symbian e Meego

Nokia decide pôr fim a Symbian e Meego: a partir de 2014 loja de aplicativos não mais aceitará novos apps e atualizações dos existentes.

6 anos atrás

nokia-808-pureview

Quando a Nokia anunciou o fim da fabricação do PureView 808 a empresa colocou um ponto final no Symbian, pois já era decisão conhecida da empresa que o mesmo seria o último aparelho a ser fabricado que contaria com o sistema, reforçando a parceria com a Microsoft na expansão do Windows Phone 8. A empresa finlandesa prometeu suporte aos usuários até 2016, o que foi um certo alento, quem adquiriu aparelhos recentemente não ficaria desamparado.

Entretanto Redmond comprou a Nokia e tudo mudou, inclusive o prometido suporte, ao menos em partes: a empresa finlandesa anunciou em seu blog oficial que o suporte aos apps nas plataformas Symbian e Meego se encerrará ao fim do ano: com isso a partir de 2014 a Nokia Store não aceitará novos aplicativos desenvolvidos para ambos os sistemas e pior: atualizações também serão barradas, deixando os apps existentes no estado.

Basicamente a Nokia/Microsoft bancou a Motorola em seus áureos tempos, onde pós-venda significa “se fode aí”: a decisão de não permitir novos apps é até compreensível do ponto de vista de incentivar a adoção da linha Lumia, mas impedir atualizações chega a ser uma atitude estúpida, uma forma burra de forçar o consumidor a trocar de aparelho por ficar com um sistema e apps defasados demais, o que é um prato cheio para hackers, isso quando não acontece uma mudança de API e as aplicações deixam de funcionar (Twitter quem?).

A Nokia diz que a loja permanecerá aberta para usuários de Symbian e Meego e os desenvolvedores continuarão sendo pagos no caso de novas vendas, mas sinceramente se ela anunciar o fechamento da Nokia Store em breve, não ficarei surpreso.

Particularmente, se eu fosse o dono de um 808 PureView (um aparelho muito bom, diga-se de passagem) eu me sentiria ultrajado, é o tipo de decisão que desperta o ódio em seu consumidores. O pior é que em se tratando de mobile não é a primeira vez que a Microsoft apronta algo do tipo.

Fonte: Nokia.

relacionados


Comentários