Home » Hardware » Rumor: Apple estaria negociando comprar a PrimeSense, empresa que ajudou a desenvolver o primeiro Kinect

Rumor: Apple estaria negociando comprar a PrimeSense, empresa que ajudou a desenvolver o primeiro Kinect

Após perder a chance para a Microsoft, Apple estaria correndo atrás do prejuízo e negociando a compra da empresa que desenvolveu o primeiro Kinect

6 anos atrás

Kinect

Segundo informes do site israelense Calcalist (que costuma acertar boa parte dos palpites sobre aquisições), a Apple está negociando a aquisição da PrimeSense, empresa de semicondutores que foi a responsável por desenvolver o primeiro Kinect em conjunto com a Microsoft, o que poderia ser facilitado já que ela não é a responsável pela nova versão do sensor de movimento.

Segundo as fontes as conversas ainda estariam no início, mas a Apple estaria disposta a pagar até US$ 280 milhões pela empresa e sua expertise em sensores de movimento, o que é algo que os fãs da Apple gostariam muito que fosse incorporado aos dispositivos da empresa de forma nativa (ainda que o Leap seja uma opção muito interessante). O site acrescenta que o diretores do setor de engenharia da Apple visitaram as instalações da PrimeSense, que ficam em Israel.

Caso a compra seja concretizada a Apple poderá em breve lançar um dispositivo similar ao Kinect (que os fags dirão que é revolucionário e tal) sem necessidade de hacks. Porém o mais engraçado nessa história é que a empresa foi a primeira a ser contactada pela PrimeSense quando eles desenvolveram seus sensores.

Conforme o CEO Inon Beracha relevou alguns anos atrás, a Apple foi a primeira empresa contactada pela PrimeSense lá atrás, em 2008. Segundo ele, Cupertino era "o lugar mais natural para sua tecnologia", visto que a empresa possui um vasto histórico de inovação de interfaces. Uma tecnologia que permitia controlar o computador ou qualquer outro dispositivo (a Apple TV, por exemplo) por gestos? Era muito tentador.

Entretanto Beracha descobriu que a Apple poderia ser, palavras dele, "um pé no saco": a empresa exigiu que ele assinasse uma infinidade de documentos de sigilo absoluto, mesmo sem a garantia de que o acordo fosse realmente concretizado - prática essa comum na Apple e em outras empresas. Beracha então percebeu uma coisa: ele não precisava da Apple. "A tecnologia era quente. Eu poderia vendê-la para quem eu quisesse", ele pensou na época. E foi o que ele fez, ao fechar contrato com a Microsoft. O resto é história.

Hoje o jogo mudou, e a Apple pode finalmente por as mãos na tecnologia, ainda que com mais de cinco anos de atraso. Fica apenas a questão se o valor oferecido é maior ou menor do que ela pagaria lá atrás. Dada a posição atual da PrimeSense, acredito que a segunda opção seja a mais plausível.

Fonte: TNW.

relacionados


Comentários