Home » Fotografia » Notícias » Fuji e Panasonic se unem para criar o Sensor Orgânico

Fuji e Panasonic se unem para criar o Sensor Orgânico

Sensores fotográficos orgânicos da Panasonic, em parceria com a Fuji, prometem maior range dinâmico, maior sensibilidade e capacidade de receber luz em ângulos mais inclinados.

6 anos atrás

Empresas do mundo da fotografia estão buscando diferenciais principalmente na tecnologia dos sensores fotográficos. O que importa são câmeras com sensores grandes que vão poder produzir imagens com grande qualidade e com preços bem salgados. A briga não é pela quantidade de consumidores e sim por um tipo específico de consumidor: o com grande poder aquisitivo.

Impossível não pensar sobre isso ao ver novamente o tema Sensor Orgânico ressurgir das cinzas. Faz muitos anos que existem boatos correndo pela internet de que a Fuji estaria trabalhando em um tal de sensor orgânico. Ninguém sabia muita coisa sobre isso, mas o que se falava é que seria uma tecnologia baseada na forma como o antigo filme fotográfico captava as cores, através de camadas, deixando de lado a matriz bayer dos atuais sensores. Mas, pouco se ouviu depois sobre o desenvolvimento da tecnologia e tudo foi meio que esquecido quando a Sigma lançou o sensor Foveon que trabalha da mesma forma com camadas representando as cores primárias. Porém, hoje tivemos mais notícias sobre o futuro sensor orgânico.

Fuji e Panasonic se uniram para desenvolver a nova tecnologia e, ao que parece, colocar ela no mercado o mais rápido possível. Aqui temos a junção entre a tecnologia de sensores CMOS da Panasonic e os captores de luz baseados em carbono (orgânicos) desenvolvido pela Fuji. A parte do sensor CMOS seria apenas os circuitos enquanto toda a captação de luz seria feita pela camada orgânica. E qual a grande vantagem deste novo tipo de sensor? Maior range dinâmico, maior sensibilidade e capacidade de receber luz em ângulos mais inclinados. Isso permite câmeras com mais megapixels e sem ruído aparente, câmeras com lente grande angular sem perda de luz e que a lente possa ficar mais perto do sensor, propiciando equipamentos menores.

Para ter uma ideia da potência da coisa, foram feitos apresentações no show de tecnologia VLSI no Japão onde amostras de densidade de pixels mostraram sensores com escalas de tamanho de 0,9 μm e 3 μm. O pixel menor indicaria sensores para celular com 20 megapixels de resolução enquanto o pixel maior indica sensores APS-C com 41 megapixels. Se a tecnologia for tudo que indica então estamos prestes a mais uma revolução dentro do que chamamos de qualidade de imagem na fotografia. Quem viver verá.

sensor_organicoFonte: Dpreview.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários