Home » Especial » Google I/O 2013: um festival de novidades

Google I/O 2013: um festival de novidades

Em keynote realizado nesta quarta-feira, Google anuncia uma série de novidades para Android, Google+, Google Maps, Search, Chrome...

6 anos atrás

gogoni-google-i-o

Em keynote realizado na abertura do Google I/O, a conferência anual para desenvolvedores, a empresa de Mountain View trouxe uma tonelada de novidades para diversos de seus serviços, ainda que não tenha soltado nada (por enquanto) a respeito de uma nova versão do Android ou de novos aparelhos da linha Nexus. Em mais de três horas, quase todos os serviços foram abordados e receberam um retoque aqui e ali. Sem mais delongas, vamos aos principais momentos do evento:

Números números números

gogoni-io-001

Sundai Pichai, responsável por Chrome e Android, foi um dos primeiros a falar. Ele falou um pouco do impacto que a computação móvel causou nos últimos anos e relembrou a crescente em que o robozinho verde o navegador se encontram, que contabilizam segundo o Google 900 milhões de ativações e 750 milhões de usuários respectivamente. Atualmente ambos seriam os líderes em seus seguimentos equivalentes. Não obstante, as ações do Google recentemente ultrapassaram o valor de US$ 900 pela primeira vez, um recorde.

Em seguida subiu ao palco o VP de Android, o brasileiro Hugo Barra, que ficou encarregado de relevar as novidades do Android.

Android Studio = RIP Eclipse

gogoni-io-003

Uma das grandes novidades abordadas e que foi comemorada por muita gente foi a suite chamada de Android Studio, um ambiente integrado para desenvolvimento de aplicativos. Baseado no IntelliJ, permite modificações e previews em tempo real, que trocando em miúdos significa a quase morte do odiado Eclipse.

Google Play Games, a nova plataforma para integrar jogadores

gogoni-io-004

O Dori já fez um post esmiuçando o recurso, então serei bem breve. Apenas acrescentarei que o recurso compartilha scores e achievements assim como já ocorre no Game Center do iOS, na XBox Live Arcade e na PSN. Mais importante, o serviço procura amigos no Google+ que jogam os mesmos games e permite comparar seus resultados, além de conectá-los para jogar partidas online.

Isso em teoria, já que durante o keynote o recurso online falhou, lembrando que todo mundo está sujeito a uma BSOD em eventos ao vivo. Nem Jobs escapou.

Google Play Music All Access: quase um Spotify, só que melhor

gogoni-io-005

Chris Yerga, responsável pelo conteúdo Google foi quem trouxe esse serviço de streaming que já estava sendo ventilado na mídia. Assim como concorrentes como o Spotify, ele analisa seus gostos musicais e faz sugestões de acordo com o que você ouve (imagino que a minha setlist seria bem louca indo de Heavy Metal a Jpop, passando por música eletrônica e MPB 🙂), porém com um diferencial: qualquer faixa selecionada tem a possibilidade de ser transformada numa rádio na hora, e você pode ver as próximas músicas selecionadas. Não gostou de uma, só deslizar a tela.

O serviço ainda não tem data para estrear e custará US$ 9,99/mês, a princípio apenas nos Estados Unidos.

O nome é Galaxy S4, mas pode chamar de Nexus 4.5

gogoni-io-002

Esse foi um movimento totalmente inesperado. Quando todos esperavam por uma nova linha de produtos da marca Nexus, Hugo Barra tirou um S4 do bolso. Nada de mais, até o momento em que ele mostrou a tela do aparelho. Em uma parceria inédita, o Google vai vender a versão 16 GB com 4G do aparelho equipado com Android puro, exatamente idêntico à linha Nexus (e com a política de atualização do Google, sem interferências) e sem nenhum traço do TouchWiz.

Mais: como ele virá com o Bootloader desbloqueado ele poderá ser customizado ao bel-prazer do usuário. E por não possuir nenhum bloatware a polêmica do espaço interno disponível (aqui e aqui) provavelmente irá pra cucuia.

O aparelho estará disponível no exterior a partir de 26 de junho pelo preço de US$ 649.

Google+ ganha um banho de loja e fica a cara do Pinterest

gogoni-io-006

O Google sempre insistiu que o Plus era focado em pessoas, não em dispositivos. Com isso em mente a empresa deu um verdadeiro tapa no seu visual, incluindo um novo feed mais dinâmico e animado, um sistema de Hangouts totalmente integrado e algumas melhorias no sistema de exibição de fotos.

à primeira vista ele ficou bem parecido com o Pinterest (que até hoje eu não entendi o propósito), mas é só visual. Agora ele pode ser customizado em mais de uma coluna (mas o usuário pode voltar a uma só). O recurso que mais chama a atenção, claro, é o sistema de cards: cada postagem agora é um cartão, com notas anexadas. Ao clicar em uma o card vira, mostrando todas as informações relevantes àquele status.

Mas o grande destaque são os Hangouts. Com ele agora você poderá começar uma conversa de vídeo com seus contatos com qualquer dispositivo, seja desktop, Android ou até mesmo iOS (toma essa Facetime!). Não precisa de aplicativo extra, abra uma conversa no Gmail ou Plus e pronto.

Habemus o novo Google Maps

gogoni-io-007

Eu já adiantei um pouco das novidades do Maps, então apenas vou atualizar as informações. Além de tudo já citado a navegação agora é em tela cheia, sem barras laterais. Além disso ele ficou bem esperto: ao clicar num ponto de interesse, o mapa exibe lugares similares próximos ao selecionado. O zoom ficou mais suave e há a possibilidade de fazer tour em 3D. Uma exibição da basílica de São Pedro, no Vaticano (inclusive de seu interior) foi de tirar o fôlego, mas o que derrubou todo mundo da cadeira foi, ao afastar o mapa e exibir a Terra e o espaço, revelarem que as nuvens e a posição das estrelas eram calculadas em tempo real. E mais, tudo isso sem travamentos (claro, conexão nos States são outros quinhentos).

Por enquanto o novo serviço será liberado mediante convites, e versões mobile para Android e iPhone já estão na esteira, o primeiro em breve e o segundo para alguma data entre junho e setembro. O Google frisou bem que o novo Maps é, como os usuários dizem, "rápido, simples, bonito… e não podemos deixar de dizer, mais preciso". 😉

Google Now mais esperto

gogoni-io-008

o assistente pessoal do Google ficou bem mais inteligente: ele agora entende mais perguntas específicas e consegue realizar serviços de acordo com a disponibilidade dos parceiros, como marcar jantares em restaurantes e comprar passagens de avião, tudo sem digitar nada, apenas com comandos de voz.

Além disso o Now receberá mais cartões que serão alimentados com as preferências do usuário, tais como anotações, livros, filmes, games, álbuns e etc.

E teve mais!

E teve muita, muita coisa nesse keynote, como recursos para melhorar as fotos do usuário automagicamente (o Gilson é melhor nessa área do que eu! 🙂), o lançamento de um novo formato de compressão de vídeos, o VP9, uma demonstração do poder de fogo do Chrome ao mostrar CINCO TELAS rodando um game em tempo real...

gogoni-io-009

Enfim, muita coisa rolou. No final LArry Page, CEO e co-fundador do Google fez uma aparição surpresa para falar de suas impressões sobre passado, presente e futuro. Visualmente abatido e falando com dificuldade (ele vem sofrendo com problemas nas cordas vocais há tempos), ele ressaltou que que construir coisas que não existem, e que comparações da imprensa com os concorrentes são desnecessárias e exageradas. "Nós não progredimos sendo negativos. As coisas mais importantes não são um jogo de soma zero."

Por fim Page respondeu perguntas da plateia. O primeiro foi, de forma bem previsível, o blogueiro Robert Scoble, aquele que posou com o Google Glass no chuveiro (e que virou meme, claro). Ele soltou na lata: "Robert, eu realmente não gostei daquela foto". Ponto pra Larry. 🙂

Quem quiser ver o keynote na íntegra, é só clicar aqui, tem material de sobra. Ainda tem transmissão ao vivo rolando, mas é só navegar para assistir os momentos anteriores. 🙂

relacionados


Comentários