Home » Demais assuntos » Houston, temos um problema (sempre quis escrever isso a sério)

Houston, temos um problema (sempre quis escrever isso a sério)

Houston, temos um problema: a Estação Espacial Internacional está com um vazamento descontrolado de amônia para o espaço e só tem 24 horas antes de parte dela se desligar. Mas está tudo bem…

7 anos atrás

houstouacasacaiu

Ontem o astronauta canadense mais popular depois de William Shatner, Chris Hadfield soltou um twitter preocupante:

Basicamente a Estação Espacial está vazando líquido refrigerante. Não, não o sangue negro do capitalismo, mas amônia, usado para regular a temperatura dos painéis e dezenas de outros sistemas. Lembre-se, o espaço é frio mas quando você está direto exposto ao Sol a coisa fica BEM quente. Na superfície da Lua, com Sol a pino ultrapassa 100 graus Celsius. Imagine uma casca de metal que não gira, metade exposta a isso, a outra metade exposta a uma temperatura de 2,3 K.

A refrigeração é tão importante que a NASA usa dois circuitos isolados, um para a área interna da Estação, outro para os painéis solares. É neles que está o problema. E não é novo. Desde 2006 a NASA sabe de um vazamento em algum lugar do subsistema AE-35 2B, mas era besteira, o custo de botar gente lá fora pra procurar a origem não compensava, melhor reabastecer os tanques de amônia a cada 4 ou 5 anos.

Em 2012 detectaram um vazamento maior, na mesma seção, provavelmente causado por um impacto de micro-meteoro em um dos radiadores de calor. Eles saíram, trocaram a unidade defeituosa, mas assim como em 2001, o problema continuou.

Ontem os astronautas detectaram um grande vazamento, chegando a fotografar jatos de amônia vazando para o espaço.

galactica

(dramatização)

Os astronautas iniciaram procedimentos de emergência, como fechar as proteções das escotilhas para a amônia não contaminar os vidros. (a Consuela cobra uma fortuna pra limpar janelas). Desativados, os painéis solares associados ao canal 2B representaram uma queda de 12,5% na capacidade energética da estação.

As projeções eram de que o sistema atingiria estado crítico e se autodesligaria em 45 horas, mas em um twit apagado o Comandante Hadfield avisou que o limite havia sido recalculado para 24 horas.

Coincidentemente ontem ele estava comentando dos procedimentos para fazer uma caminhada espacial, que envolviam 48 horas de testes e verificações dos trajes. Hoje ele avisou que amanhã farão uma caminhada não-planejada para tentar deter o vazamento.

janeladomal2

A vantagem do vazamento descontrolado é que agora eles tem uma boa idéia de onde é o vazamento. Parece ser na bomba de controle de fluxo do canal 2B, e existem 3 de reserva na Estação. A questão é, se confirmada a falha da bomba, instalar a reserva. Envolverá pelo menos umas 3 saídas, ou mais se contarmos o tempo para reabastecer o circuito com amônia dos tanques de reserva.

Não é o fim do mundo nem nada de arrancar os cabelos, mas custa dinheiro, é arriscado e atrapalha o cronograma dos experimentos científicos da Estação. Esperemos que dê tudo certo, e amanhã o passatempo será acompanhar a operação de reparos pela NASA TV.

A única parte chata mesmo é que se o vazamento fosse alguns meses adiante teríamos na ISS o astronauta italiano Luca Parmitano, o que renderia piadas excelentes envolvendo encanadores italianos.

Fonte: NSF.

relacionados


Comentários