Home » Indústria » Patentes vs Linux - Primeiro Round

Patentes vs Linux - Primeiro Round

12 anos atrás

meiobit-bandofbrothers.jpg

Um velho e verdadeiro ditado diz que trabalhar pra pobre é pedir esmola pra dois. Isso explica o motivo da Disney não sair processando escolas de subúrbio que pinta versões mal-feitas de seus personagens nos muros.

Na área de Propriedade Intelectual de gente grande, acontece a mesma coisa. A Adobe não processou o OpenOffice por salvar arquivos em formato PDF, mas processou a Microsoft pelo mesmíssimo motivo. Não foi amor pelo Open Source, foi relevância. O OpenOffice não afeta a Adobe, já o Office sim. Da mesma forma a Apple processou a Microsoft e a Digital em 1989 alegando que seus ícones estavam sendo copiados conceitualmente, como a lata de lixo para deletar arquivos.

As brigas envolvendo patentes não são novidade (já citamos o caso da Apple com a Creative, e é somente um entre centenas de casos) mas até então o Linux havia ficado de fora. Mas como está se tornando relevante, começa a chamar atenção. E não só da Microsoft, com suas alegações envolvendo patentes, mas de gente que vive desse tipo de extorsão.

No caso a IP Innovation LLC, uma empresa, subsidiária da Acacia Technologies, uma empresa que vive de comprar patentes e cobrar royalties. Eles acabaram de entrar na Justiça contra a Red Hat e a Novell, por violarem esta patente aqui, que envolve uso de múltiplos workspaces compartilhando um display, ou algo assim.

A patente foi registrada originalmente pela Xerox, em 1987, e por vendas, cessões de direito, etc, parou na mão da Acacia.

Não achem entretanto que o Linux é pioneiro. A mesma patente foi usada, no começo do ano, em um processo da mesma empresa contra a Apple, onde exigiam US$20 milhões em reparações legais. Aparentemente a Apple chegou a um acordo extra-judicial.

O Groklaw, site que traz a notícia do processo contra a Red Hat / Novell, solta o Fox Mulder que existe dentro de seus redatores, e se pergunta: Onde estará a Microsoft? Descobrindo que dois executivos da IP Innovation LLC trabalharam na Microsoft com Propriedade Intelectual, já criaram uma teoria da conspiração onde a Microsoft (que já sofreu na mão da Acacia e seus processos) estaria usando a IP Innovation LLC como testa-de-ferro, processando o Linux por tabela.

Excelente, Frohike, mas uma pequena peça não encaixa: A Microsoft não é burra. Nem um pouco. Sabe que há uma desconfiança enorme no mundo Linux, e que as empresas AGORA estão começando a considerar os acordos. Se você faz uma promessa de imunidade, para logo em seguida processar seus parceiros, sua estratégia não é lá essas coisas.

Se a Novell não estivesse no pacote, ainda vá-lá, mas não é o caso.

O que temos é um cenário onde o Linux começou a ter relevância, as empresas que vivem nesse ecosistema já são saudáveis o bastante para pagar uma extorsãozinha de vez em quando, e empresas de cunho mafioso como a Acacia e suas subsidiárias estão de olho grande.

Se a Microsoft for esperta, coloca seu Depto Jurídico à disposição da Novell, para este caso. Seria a desculpa perfeita para a Red Hat mudar de posição e fechar o acordo com Redmond, como estão doidos pra fazer depois de olhar os ganhos da Novell.

Fonte: Digg

relacionados


Comentários