Foca, tecnologia e duas mil pessoas (Fim da Campus Party Recife)

Foram mais de duas mil pessoas somente na Arena, mais de 350 jornalistas de todo o país e pessoas de 20 estados brasileiros presente na 1º edição da Campus Party Recife. Com internet de 5 Gb/s (quatro vezes menor do que a de São Paulo), o pico foi de 1,5 Gb/s de uso, ou seja, sobrou mais de 3,5 Gb/s. Sem falar que toda a infra-estrutura trazida pela Vivo permanecerá no estado.

A queda de energia foi explicada por causa de um problema no gerador, que reiniciou toda a infra-estrutura de internet. Ou seja, a falha ocorreu no gerador, por isso que faltou luz. Algumas pessoas também variaram entre o tempo em que a internet ficou fora do ar, isso ocorreu devido a “propagação” da internet nos equipamentos, ou seja, para alguns a internet nem cair caiu, para outros, passou de 50 minutos de downtime.

Como disse anteriormente, não houve nenhum caso de furto na Campus Party, o que impressionou bastante, dado aos diversos problemas ocorridos na CP São Paulo. Devido a data escolhida, ocorreram também três eventos simultâneos, o que atrapalhou um pouco no acampamento, já que o pessoal estava desmontando lá embaixo e terminava fazendo um barulho irritante, às 8h da manhã.

Obviamente essa é a primeira Campus Party fora do Sudeste e a escolha do local não foi devido a importância econômica da cidade e sim pela importância do centro tecnológico que é o Porto Digital. Ou seja, a possibilidade de ocorrer a Campus Party Recife 2013 é muito grande, visto que, todos estão interessados, inclusive os patrocinadores.

Pouco também foi a quantidade da turma do arco-íris. Convenhamos, até Maddog é. Então, o mínimo que deveriam fazer seria um espacinho para o pessoal falar, conversar e trocar idéias (e namorar). Afinal, de 2.000 pessoas eu d-u-v-i-d-o que só tenha uma.

Por sinal, estou tendo um caso com a foca. E conseguimos apoio da InfoHouse para fazermos os melhores reviews de desktops, notebooks, tablets e em breve celulares. Ou seja, não preciso esperar ninguém do sudeste enviar os equipamentos para fazer review (#indireta).

O que eu posso falar é, talvez por ter sido em Recife, minha cidade natal e onde resido, a experiência que tive foi muito mais aprofundada do que em São Paulo e por ser a primeira talvez tenha tido toda uma idéia de uma experiência nova e única, mesmo sendo “veterano” de Campus Party.

Ocorreram problemas, assim como ocorrem em qualquer evento inicial. E mesmo na edição de 2012 da de São Paulo ocorreram furtos, desorganização e brigas. E queda de energia, internet e até mesmo quase de um painel por conta da chuva.

Quem estiver se perguntando sobre a razão pela qual eu gosto da Campus Party não é apenas por ter uma internet do caralho de 5 Gb/s, é por ter como sair do quarto e começar a interagir pessoalmente com todas aquelas pessoas que você só conhece na internet. Sair do mundo virtual e começar a viver o mundo real. Apesar de muitas pessoas preferirem passar mais de 24 horas (sério) dentro da Arena, jogando, baixando ou fazendo algo do gênero.

Enfim, espero participar da Campus Party 2013 em Recife e em São Paulo.

Relacionados: , ,

Autor: Yeltsin Lima

Estudante de Publicidade e Propaganda, Web Developer, gosta de escrever sobre tecnologia e raramente (agora) sobre ciência. Não sabe escrever biografias, muito menos a própria.

Compartilhar