Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Para Nintendo, remake do Wind Waker ajudará a vender consoles

Por em 27 de setembro de 2013

zelda-wind-waker

Quem aí já jogou o The Legend of Zelda: Wind Waker? Felizmente eu tive a oportunidade de encarar o jogo no GameCube e talvez por isso eu não tenha ficado muito empolgado com o anúncio de que o Wii U receberia um remake dele, simplesmente por achar que ele já era muito bonito mesmo sem a alta resolução, mas pelo jeito eu sou uma exceção, pois para a Nintendo, essa nova versão poderá lhes ajudar a vender alguns consoles.

Este é o momento perfeito para os fãs do Zelda descobrirem o Wii U,” declarou Roger Langford, gerente de produto na BigN. “Para muitos fãs da série, esta será a primeira vez que jogarão o Wind Waker e nós estamos tratando o jogo como um lançamento de grande porte.

O Ocarina of Time 3D se saiu muito bem no Nintendo 3DS e estamos visando replicar esse sucesso com o The Wind Waker HD.

Os críticos do Wii U dirão que o desespero da Nintendo é tão grande que a empresa está até apostando numa versão remasterizada de um jogo para alavancar as vendas, mas se pensarmos bem, o comentário faz algum sentido, já que atualmente há um modelo do videogame que vem com uma cópia do jogo ou porque poucas pessoas tiveram um GameCube e embora o Wind Waker rodasse no Wii, não lembro de ter visto alguém dizer que jogou ele neste videogame.

No fim das contas acho que isso ainda é pouco para uma empresa que conta com tantas franquias famosas e penso que no mínimo eles deveriam estar investindo mais em “remakes” de alguns bons jogos do GC, pois pelo menos assim os donos um Wii U teriam algo para jogar.

Fonte: MCV.

emNintendo

Nintendo aposta nos indies para mudar sua imagem

Por em 13 de setembro de 2013

wii-u

Semana passada a Bethesda ganhou as manchetes ao criticar duramente a maneira como a Nintendo teria lidado com os estúdios externos enquanto estava desenvolvendo o Wii U e para acabar um pouco com essa imagem de uma empresa que não escuta seus parceiros, o gerente de desenvolvimento de negócios, Dan Adelman e o gerente sênior de marketing para licenciamento, Damon Baker concederam uma entrevista onde deixam claro como os indies estão ajudando nesta tarefa.

Acho que isso é algo do qual somos culpados ao invés de ser algo do qual queremos nos vangloriar e algo que estamos tentando mudar,” afirmou Adelman. “… Acho que estamos tentando fazer um trabalho melhor para acabar com a ideia de que há algo atrás daqueles portões fechados e que ninguém pode ver o que é.

Já para Baker, um dos objetivos é fazer com que os estúdios percebam que ter seus jogos publicados em plataformas da Nintendo é algo simples e muito mais fácil do que antigamente, mas que ainda há muito a ser feito para que isso aconteça e um dos exemplos é o fato de muitos desenvolvedores independentes ainda acharem que precisam ter um escritório para colocar seus jogos no Wii U ou no 3DS, exigência que foi abolida há meses.

Entre os incentivos que a fabricante tem dado aos indies, foram citados o suporte à engine Unity e o preço cobrado por um kit de desenvolvimento, que segundo Adelman custaria o mesmo que um bom computador, informações que já haviam sido divulgadas pela Nintendo, mas que admite que nem todos as conhecem.

O irônico nesta história é perceber que essa imagem de empresa fechada criou-se justamente numa tentativa da BigN de manter suas plataformas longe das muitas porcarias que inundaram o mercado durante a década de 80, mas o importante é que eles parecem ter consciência de que os tempos mudaram e que é preciso dar espaço aos pequenos estúdios. Só espero que isso não signifique que o Wii U será um consoles apenas de jogos indies, mesmo caminho que o PS Vita ameaça seguir.

emNintendo

Estágios que faltam na versão de PS Vita de Rayman Legends serão lançados via DLC grátis

Por em 6 de setembro de 2013

Rayman Legends

Depois de todo sururu causado pelo atraso de Rayman Legends para Wii U, a última coisa que a Ubisoft queria era se envolver em outra confusão. Mas como nada está tão ruim que não pode piorar, a desenvolvedora se atrapalhou com o desenvolvimento da versão do PS Vita, o que faria o lançamento atrasar.

A solução foi cortar o Invasion Mode, modo desafio que contém 28 fases, mas como o departamento de Recursos Humanos estava de folga, não avisaram ninguém.

Óbvio que os jogadores que adquiriram o jogo não gostaram nem um pouco, ainda mais porque a Ubisoft afirmou com todas as letras que a versão teria tudo que suas contrapartes nos consoles e PC possuem. Em outras palavras, ela mentiu.

Porém foi um caso de descuido mesmo. Não muito depois da chiadeira justificada se espalhar o gerente de comunicações Gary Steinman veio a público dizer que o conteúdo que falta será introduzido via um DLC gratuito, e explicou os motivos:

“Devido um período de desenvolvimento mais longo do que o esperado, nós não pudemos incluir o Invasion Mode – essencialmente segundas versões dos estágios de Rayman Legends – na versão do PS Vita.

 

Entretanto nós confirmamos que o modo será adicionado através de um patch gratuito, em data ainda a definir.”

No fim das contas a versão do portátil da Sony terá seus estágios faltando adicionados em breve, mas a pergunta que fica é: a Ubisoft já sabia disso, então por quê cargas d’água a empresa não avisou isso ANTES do lançamento de Rayman Legends, deixando os jogadores descobrirem da pior maneira?

Fonte: CVG.

emComputadores Microsoft Nintendo Sony

Stan Lee será um personagem jogável em LEGO Marvel Super Heroes. ‘Nuff said

Por em 5 de setembro de 2013

stan-lee-lego-marvel-super-heroes

Ainda que a série LEGO nos videogmames careça de um pouco de originalidade após tantas franquias diferentes revisitadas (Star Wars, Indiana Jones, Batman, DC Heroes, Senhor dos Anéis, Harry Potter, Piratas do Caribe…), o pessoal da Traveller’s Tales se esforça para sempre trazer novos features que mantenham seus títulos no mínimo interessantes para os mais velhos, ainda que eles agradem os pequenos no geral, que são o verdadeiro público-alvo.

LEGO Marvel Super Heroes não faz diferente. Com uma história original e mais de 100 personagens que podem ser destravados durante o jogo, o game promete ser uma experiência que se manterá atrativa por um bom tempo. Mas se os jogadores fãs do Homem-Aranha, Wolverine, Capitão América, Hulk, Thor, Homem de Ferro, Quarteto Fantástico, Luke Cage, Ciclope (o caolho tem fãs?), Viúva-Negra, Ms. Marvel (ou melhor, Capitã Marvel) e afins, um certo personagem estava faltando.

continue lendo

emComputadores Microsoft Nintendo Sony

Bethesda critica maneira como Nintendo lidou com estúdios externos

Por em 4 de setembro de 2013

wii-u

Desde que o Wii U foi lançado temos visto diversas desenvolvedoras afirmarem que não possuem planos de levar seus jogos para o console, quase sempre sem darem muitas explicações do porque pensarem assim, já Pete Hines, chefe de marketing da Bethesda, foi duro ao criticar a Nintendo devido a forma como lidaram com as chamadas Third Parties.

A chance de convencer as editoras e desenvolvedoras a apoiarem o Wii U já passou faz tempo. Você precisa fazer o que a Sony e a Microsoft tem feito com a gente a bastante tempo. Isso não quer dizer que todas as vezes que nos encontramos com eles conseguimos todas as respostas que queremos, mas eles nos conquistam desde o início, conversam com o pessoal da Bethesda e da Gearbox e dizem, ‘Está aqui o que estamos fazendo, o que estamos planejando e como pensamos que irá funcionar’ e assim escutar o que pensamos.

É preciso passar bastante tempo lidando com isso. Se você meio que decide ‘Bem, faremos um console, será assim que funcionará e você deve fazer jogos para ele,’ – Então não! Minha resposta é não! Irei focar em outros que dão melhor suporte a aquilo que estamos fazendo.

Portanto, se alguém ainda tinha alguma esperança de um dia ver um jogo da Bethesda no Wii U ou mesmo no 3DS, acho que a forte declaração de Hines serve para sepultá-la e mais do que isso, se o desenvolvimento do console aconteceu com todas as empresas da maneira como ele colocou, sem que a Nintendo conversasse com elas enquanto desenvolvia o aparelho, então a situação é muito pior do que imaginávamos e dada a – na falta de uma palavra melhor – arrogância característica da fabricante, não é de se duvidar que tenha sido assim mesmo.

Fonte: GamesIndustry.

emNintendo

Versão de Rayman Legends para PS Vita possui 28 estágios a menos

Por em 3 de setembro de 2013

rayman-legends

Quando a Ubisoft anunciou em maio que o PS Vita também receberia uma versão de Rayman Legends, ela deixou bem claro que o game viria com todo o conteúdo das versões caseiras e PC, que foi anunciada posteriormente.

Hoje o game finalmente está disponível para o portátil além do Wii U (após inexplicáveis sete meses de atraso), PS3, Xbox 360 e computadores, entretanto jogadores do Vita começaram a relatar no fórum do NeoGAF que a versão possui menor fases, especificamente 28 estágios speed-run, chamados de “Invasion”.

Ainda que a versão inclua cinco estágios exclusivos controlador via touch com o personagem Murfy e duas roupas extras, fica evidente que a Ubisoft mentiu ao dizer que o jogo estaria completo no portátil da Sony, quando de fato não é o que acontece. A título de comparação, em todas as outras versões a quantidade máxima de Lums (aqueles bichinhos amarelos que influem no ranking das fases) que podem ser coletados são 700. No PS Vita, 615.

Vale lembrar que a versão do Vita na Europa foi atrasada em duas semanas e só dará as caras em 13/09, segundo a Ubisoft para “dar o polimento final no game”, e depois dessa é mais provável que o desenvolvimento do port não estava indo muito bem.

Fonte: CVG.

emComputadores Microsoft Nintendo Sony

Keiji Inafune revela Mighty No. 9, sucessor espiritual de Mega Man financiado via Kickstarter

Por em 1 de setembro de 2013

mighty-no-9-001

Ontem durante um painel na PAX Prime 2013, o ex-produtor da Capcom Keiji Inafune pegou todo mundo de calças curtas ao anunciar seu próximo game. Tendo saído da Capcom em 2010 para fundar a Comcept, sua própria empresa (que já lançou Soul Sacrifice e está desenvolvendo Yaiba: Ninja Gaiden Z junto com a Team Ninja e Spark Unlimited), o criador de Mega Man revelou Mighty No. 9, um jogo de plataforma side-scrolling que é simplesmente o sucessor espiritual do robozinho ou, nas palavras dele, o que ele queria fazer com seu personagem e não conseguiu.

continue lendo

emComputadores Cultura Gamer Games Microsoft Nintendo Sony