Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

John Carmack expõe seus pensamentos sobre a aquisição da Oculus VR pelo Facebook

Por em 31 de março de 2014

carmack-rift

A Oculus VR está passando por maus bocados desde que foi anunciada sua aquisição pelo Facebook. A turma dos financiadores paranoicos que veem em Mark Zuckerberg o próprio diabo estão enchendo o saco da startup, que pôde tirar o Oculus Rift do papel graças ao Kickstarter. O problema é que essa gente que não entende o conceito de DOAÇÃO está exigindo o dinheiro de volta e chegou ao cúmulo de ameaçar o staff e até mesmo os seus familiares de morte, exigindo a reversão do trato.

O fundador da Oculus Palmer Luckey expressou sua indignação no Reddit, dizendo que a empresa esperava tal reação negativa por parte do público “durante um curto espaço de tempo, mas nunca imaginávamos que iríamos receber tantas ameaças de morte e telefonemas que se estendem até as nossas famílias”. Ainda que muita gente que não tenha gostado do acordo concorde com Luckey que essa situação é inadmissível por envolver gente que não tem nada a ver com o acessório, por outro lado outros imbecis acham as ameaças justificáveis pela startup “ter traído seus consumidores”.

No meio desse caos todo o CTO da Oculus John Carmack, talvez um dos programadores da indústria dos games mais respeitados da história finalmente resolveu falar o que pensa acerca do negócio. Desde semana passada ele já vem tuitando que acredita que o Facebook ajudará a Oculus VR em problemas de escala graças ao gordo financiamento, mas não acredita que a companhia vá meter o nariz na startup e exercer controle abusivo, o que seria fatal para o acessório.

continue lendo

emAcessórios Computação móvel Comunicação Digital Cultura Gamer Destaques Hardware Indústria Internet Web 2.0

Anatel vazou joystick da Amazon e Valve mostra novo Steam Controller: só falta o gamepad do XBO no PC

Por em 16 de março de 2014
Laguna_Amazon_Controller

Joystick do novo console Android da Amazon (Crédito: Anatel via Engadget)

Em julho de 2012, o Brasil descobria o PlayStation 3 super slim. A culpada? Anatel.

Para algum aparelho eletrônico poder ser vendido no Brasil, ele tem que passar pela Anatel primeiro. Graças à burocracia tradicional de nosso país, as empresas têm que enviar os aparelhos para análise com meses de antecedência. Durante o processo, podem ocorrer vazamentos e não foi diferente com o joystick da Amazon.

A Amazon provavelmente estaria desenvolvendo um console Android (o tio Laguna espera que a Amazon reaproveite o joystick para jogos nos seus tablets Kindle Fire) e a disposição dos botões do gamepad que a Anatel vazou lembra bastante a vista nos recentes consoles XBox, inclusive herdando o compartimento de pilhas na parte dorsal.
continue lendo

emAcessórios Acessórios Jogos Linux Microsoft Periféricos

Gabe Newell fala sobre a Source 2, restaurantes e… Mario 64

Por em 6 de março de 2014

gabe-newell

Ao contrário de muitos game designers ou executivos de empresas relacionadas a videogames, Gabe Newell não é o tipo de cara que gosta de holofotes. O fundador da Valve expor sua vida não é algo muito comum e por isso foi uma grande surpresa vê-lo participar de uma seção de perguntas e resposta no Reddit. Mas já que o sujeito resolveu participar da brincadeira, os usuários do site aproveitaram para tirar o máximo possível de um dos nomes mais importantes da indústria.

Além de uma série de revelações de menor importância, como por exemplo o restaurante que recomenda nos arredores de Seattle, o fato de jogar Team Fortress 2 com uma conta no Steam que poucos sabem pertencer a ele e que o seu jogo favorito é o DotA 2, Newell disse que sua empresa quase se chamou Rhino Scar, que atualmente utiliza o Debian como distro Linux e que tirando os títulos criados por eles, aquele que mais gosta é o Super Mario 64.

Porém, o que chamou bastante a atenção dos leitores foram os comentários em relação a maneira como a empresa pretende evoluir. Em se tratando de eSports, um dos objetivos da Valve é dar aos consumidores uma relação direta com os criadores de conteúdo, algo que poderá fazer com que eles se envolvam mais com os campeonatos e na sua opinião, algum progresso neste sentido já tem sido notado.

continue lendo

emComputadores Indústria

Steam permitirá que empresas escolham quando iniciar uma promoção

Por em 27 de fevereiro de 2014

steam

Não é exagero dizer que o Steam foi um dos principais responsáveis por fazer com que muitos jogadores de consoles passassem a olhar com mais atenção para o PC e ainda mais importante, fazer com que um enorme número de pessoas abandonassem a pirataria, principalmente em países como o Brasil.

Além de toda a facilidade de aquisição e os muitos ótimos recursos oferecidos pelo serviço, é inegável que o principal fator que levou a todo este sucesso foram os preços, ou melhor, as várias promoções realizadas sazonalmente pela Valve e para nossa surpresa, esses descontos deverão se tornar ainda mais frequentes.

Revelada no por um usuário do Reddit, provavelmente um desenvolvedor que teve acesso a uma atualização do Steamworks, a novidade permitirá que qualquer estúdio defina quando dará descontos em suas criações, além de ser uma forma mais fácil deles aderirem às promoções semanais.

Para o diretor de marketing da Valve, Doug Lombardi, essa é mais uma maneira da loja permitir que as empresas estreitem laços com os consumidores, possibilitando assim que elas programem promoções para períodos específicos, como por exemplo grande atualizações para seus jogos, lançamentos ou eventos no geral.

Devido a enorme quantidade de jogos disponíveis no Steam, essa iniciativa faz sentido, pois assim o pessoal da Valve se livrará de ter que ficar negociando descontos com centenas de desenvolvedores. O que me preocupa um pouco é com a bagunça que isso pode resultar, nos obrigando a ficar ainda mais atentos às promoções que deverão se tornar mais constantes, mas por outro lado, a concorrência deverá tornar os jogos ainda mais baratos e quem reclamará disso?

Fonte: The Escapist.

emComputadores

Clássico-mor dos shmups, Ikaruga desembarca no Steam no dia 18/02

Por em 13 de fevereiro de 2014

ikaruga

Outrora sinônimos dos videogames, responsáveis tanto pela sua criação (o segundo game da história, Spacewar!, era um shmup) quanto sua popularização, os shoot ‘em ups hoje são uma categoria de nicho, bem distante dos holofotes pelo motivo que não havia muito o que inovar em suas mecânicas para adicionar algo novo aos jogadores. o surgimento do subgênero Bullet Hell foi uma reação a esse problema: sem espaço para novas ideias, o aumento da dificuldade permitiu uma nova geração de games interessantíssimos, onde a Cave reina quase que sozinha.

Só que a desenvolvedora japonesa Treasure se destaca nesse meio, pois mais de uma vez foi capaz de adicionar mecânicas inovadoras como por exemplo em Radiant Silvergun (que não possuía power-ups; as armas estavam disponíveis desde o início e recebiam upgrades) e posteriormente em seu sucessor espiritual, que é considerado o melhor game do gênero: Ikaruga, lançado em 2001 originalmente para a placa NAOMI da Sega para arcades e Dreamcast, e posteriormente portado para Gamecube, Xbox Live, Android e agora, Steam.

continue lendo

emComputadores

Turtle Rock diz porque se desligou da Valve

Por em 13 de fevereiro de 2014

evolve

Fundada em 2002 por Michael Booth e adquirida seis anos depois pela Valve, a Turtle Rock Studios tem como grande contribuição ao mundo dos games a criação da série Left 4 Dead. Mas depois de atuar sob as asas de uma das empresas mais respeitadas da indústria, porque a desenvolvedora voltar a ser independente?

Quem acabou com esse mistério foi Phil Robb, que ao lado de Chris Ashton refundou o estúdio e explicou a decisão durante uma entrevista.

Desenvolver em conjunto e trabalhar em um produto onde ambas as equipes, duas equipes bem organizadas, estão a 800 milhas de distância, é um pesadelo. Havia muita viagem de um lugar para o outro. No fim das contas, depois que entregamos o L4D, ninguém estava realmente feliz com a maneira como trabalhamos. Então sentamos com Gabe [Newell], conversamos sobre isso e fez sentido, você sabe, porque não voltar a aquilo que sabíamos que funcionava, que era voltarmos a ser independentes e que certamente funcionou para nós?

Robb disse ainda que trabalhar com a Valve era uma loucura, por causa do tempo que demoram para concluir seus projetos e que muito da cultura do estúdio mudou quando se tornaram uma subsidiária da criadora do Steam, algo que só conseguiram recuperar após voltarem a andar com as próprias pernas.

Se a escolha feita por eles dará um resultado positivo, isso poderá ser visto no próximo lançamento da Turtle Rock, o jogo Evolve. Nele um grupo de quatro jogadores terá como missão eliminar um enorme monstro que será controlado por outra pessoa e coisas como o excelente trailer abaixo (destaque para o genial logo) tem ajudado o game a despertar uma enorme expectativa nas pessoas.

continue lendo

emMiscelâneas

Corte alemã favorece a Valve: jogos digitais não podem ser revendidos

Por em 10 de fevereiro de 2014

steam-games

Nos últimos anos a comunidade de jogadores teve uma mudança de mentalidade acerca da propriedade de games, principalmente no que diz respeito às mídias digitais. Diferentemente de um game físico, um jogo vendido nas lojas digitais como Xbox Live, PSN e Steam teria tecnicalidades diferentes, o que impediria que os jogadores pudessem repassar suas posses para outros no caso de ter um título que não deseja mais ou não pretende jogar de novo, tal como fazemos com nossos cartuchos e discos.

continue lendo

emComputadores