Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Online Pass também afeta campanha principal do Assassin’s Creed IV

Por em 30 de outubro de 2013

Assassin's Creed IV: Black Flag

Nos últimos meses temos visto empresas como a EA e a Sony abandonando o Online Pass, estratégia que visava incentivar os consumidores a comprar cópias novas dos games ao impedí-los de jogar online. No entanto, a Ubisoft é uma que ainda acredita no modelo e para a indignação de muitos, com o Assassin’s Creed IV: Black Flag os franceses foram além.

Como costuma acontecer, ao adquirir o game recebemos um código, que eles chamam de uPlay Passport e que deve ser atrelado à nossa conta. Normalmente isso libera a porção online dos jogos, mas caso não façamos isso no ACIV, uma parte importante da campanha principal não estará disponível, que é a adição de novos navios à nossa frota.

Assim como acontecia nos capítulos anteriores, onde podíamos recrutar novos assassinos para nossa equipe, no novo jogo isso acontece com navios que capturamos e que podem ser enviados à determinadas missões, retornando com dinheiro e itens. Aparentemente tendo se dado conta de que isso seria um elemento chave – porém não fundamental – para a aventura, a Ubisoft tomou a estúpida decisão de não disponibilizá-lo a quem comprou uma cópia usada do game.

Em outras ocasiões eu até defendi o Online Pass, por considerar que esta seria uma maneira relativamente justa das desenvolvedoras lucrarem com as revendas de jogos, porém, desta vez não há como me posicionar do lado da Ubi. Primeiro porque o mercado já mostrou que a ideia além de não ser bem aceita, não teve um resultado significativo. Segundo porque impedir que o jogador tenha acesso a uma mecânica da jogabilidade pode influenciar consideravelmente na experiência, algo que pode ter um efeito bastante negativo.

Tudo bem, o jogo poderá ser terminado mesmo sem a utilização de frotas? Sem dúvida, mas fico pensando quem foi o imbecil que deu esta ideia e pior, quem a aprovou. Espero não estar enganado, mas acho que a repercussão será tão ruim que eles acabarão reconsiderando a decisão.

Fonte: GameInformer.

emMiscelâneas

O Assassin’s Creed IV nesta e na nova geração

Por em 29 de outubro de 2013

assassins-creed-4

Comparar um jogo lançado para duas gerações diferentes a princípio pode parecer algo injusto, mas o site GamesRadar resolveu assumir a tarefa e o escolhido foi o Assassin’s Creed IV: Black Flag para Xbox 360 e PlayStation 4.

Durante 4 minutos eles colocaram lado a lado vários trechos do título e após assistí-lo, ficou claro para mim que nem todos os jogos conseguirão se destacar visualmente neste início de nova geração.

É verdade que o sistema de compressão do Youtube faz com que a imagem perca uma pouco de qualidade e num PS4 ao vivo o game deve ser um pouco mais bonito, mas mesmo assim, tirando as texturas e as sombras mais definidas, as versões não possuem muitas diferenças entre si, ficando bem abaixo do que veremos num PC de ponta.

Porém, o que mais me impressionou foi ver o quão bonito o jogo está no Xbox 360, mostrando que os consoles atuais ainda podem nos divertir por um bom tempo e pelo menos nos próximos meses, sem ficar devendo muito aos seus irmãos mais novos.

Vale citar ainda que o Assassin’s Creed IV: Black Flag tem conseguido ótimas notas junto à crítica, ostentando uma média 86 no Xbox 360 e 89 no PlayStation 3. Quanto as versões para seus sucessores, elas só chegarão às lojas no mês que vem.

continue lendo

emMicrosoft Sony

BGS 2013: produtora de Assassin’s Creed IV diz que game é o maior da franquia em horas de jogo

Por em 28 de outubro de 2013

assassins-creed-iv

Uma das preocupações dos jogadores hoje em dia é o fato de que as franquias cresceram os olhos nas vendas cada vez maiores, por essa razão franquias com lançamentos anuais se tornaram bem comuns. No caso da Ubisoft isso é regra: qualquer novo game só recebe sinal verde se ele puder virar uma franquia, portanto estejam certos, Tom Clancy’s The Division e Watch Dogs terão sim continuações.

No caso de Assassin’s Creed IV: Black Flag, a empresa tem o cuidado de que ela não se torne cansativa, adicionando novidades suficientes. É o que garante Ambre Lizurey, produtora da Ubisoft que veio para a BGS 2013 promover o novo título da franquia Assassin’s Creed, e durante um autógrafo e outro deu uma rápida entrevista para o Meio Bit.

continue lendo

emComputadores Entrevista Indústria Microsoft Sony

A beleza do Assassin’s Creed 4 para PC

Por em 28 de outubro de 2013

Assassin’s Creed 4

No final de agosto a Ubisoft revelou uma parceria com a nVidia que lhes permitiria que seus próximos jogos ficassem mais bonitos no PC e agora, faltando pouco menos de uma mês para o Assassin’s Creed 4: Black Flag chegar à plataforma (no PS3 e Xbox 360 ele será lançado amanhã, dia 29), as empresas mostraram um pouco dos efeitos que as GTX possibilitarão.

Já de cara o vídeo abaixo mostra que a parte visual deverá ser um dos destaques do jogo, com uma vasta ilha para ser explorada e um senso de imersão impressionante. Sobre as tecnologias empregadas nele estão o PCSS, que torna as sombras muito mais suaves e realistas, uma versão melhorada do God Ray, que são aqueles raios de luz em torno de objetos e o HBAO+, que também visa melhorar as sombras.

Porém, o que mais me chamou a atenção é o trecho em que eles demonstram o TXAA, uma técnica de anti-aliasing que praticamente eliminará o serrilhado do jogo, fazendo com que os cenários pareçam muito mais realistas.

A parte ruim disso tudo é que como costuma acontecer no PC, poucos conseguirão rodar o AC4 com tamanha qualidade visual, mas caso você seja um desses felizardos, provavelmente verá um dos jogos mais bonitos dos últimos tempos.

continue lendo

emComputadores Vídeos

Ator garante, filme sobre Assassin’s Creed acontecerá

Por em 21 de outubro de 2013

Assassin's Creed

Quando surgiram as primeiras notícias de que a franquia Assassin’s Creed seria transformada em um filme, um dos motivos que me fizeram ter alguma esperança na adaptação era a participação de Michael Fassbender, que além de assumir o papel de protagonista, também será o produtor.

Com ótimas atuações nos filmes Bastardos Inglórios, Prometheus e X-Men: Primeira Classe, ter alguém com a competência do alemão ajuda a dar alguma credibilidade a qualquer projeto e depois de não termos recebido mais informações sobre a produção, Fassbender garantiu que ela não foi colocada de lado.

O filme definitivamente acontecerá. Estamos apenas desenvolvendo o roteiro no momento. Eu já ouvi sobre o game, mas nunca o joguei. Não tenho um player de videogame… não é assim que eles costumam chamar [risos]. Eu me encontrei com os caras da Ubisot e eles me contaram a história por trás do jogo e a achei muito interessante – a ideia de reviver memórias.

Particularmente não vejo problema algum no ator não ser um jogador, afinal acredito que o Anthony Hopkins não precisou canibalizar ninguém antes de interpretar o Hannibal, muito menos o Christopher Reeve saia voando por aí nas horas vagas.

O importante para o filme é que a Ubisoft estará envolvida na adaptação e desde que não tenhamos que passar 80% da projeção vendo o Fassbender coletando bandeirinhas pela cidade, acho que o game pode dar origem a um bom filme.

Fonte: The Daily Beast.

emCultura Gamer

Novos Rayman e Splinter Cell venderam menos que o esperado

Por em 17 de outubro de 2013

rayman-legends

Fim de ano chegando e ao que tudo indica, o natal na Ubisoft não será tão farto quanto muitos poderiam imaginar. Pouco depois da empresa anunciar que teria que adiar o lançamento do Watch Dogs e do The Crew, dois dos jogos mais aguardados da empresa, chega a informação das vendas recentes e elas também não são nada boas.

Vimos uma diminuição em relação as vendas dos lançamentos; acreditamos que estamos abaixo do que esperávamos inicialmente,“ declarou o CFO Alain Martinez, durante uma reunião com investidores. “Tivemos jogos que foram lançados e que tiveram vendas abaixo das que antecipamos quando estipulamos as primeiras metas. Jogos como, é claro, o Splinter Cell, Rayman e outros.”.

Na opinião do executivo, um dos motivos para esse insucesso seria a iminente chegada da próxima geração, o que estaria afetando as vendas de todas as editoras, mas esteja ele certo ou não, o fato é que tudo isso fez com que a empresa tivesse que reduzir a previsão de receita em € 415 milhões, fazendo com que ela opere com perda operacional, ao invés de lucro.

Para piorar ainda mais a situação, as notícias fizeram com que as ações da Ubisoft despencassem 26,15% e se títulos tão aguardados quanto um Rayman Legends ou um Splinter Cell: Blacklist não conseguiram vender tanto quanto deveriam, não é de se estranhar que o mercado esteja preocupado com a situação da companhia.

Vejamos como o Assassin’s Creed IV: Black Flag e o South Park: Stick of Truth se sairão, mas se eles também não tiverem bom desempenho comercial, a coisa poderá ficar bem feia.

Fonte: Joystiq [1 e 2]

emIndústria

Ubisoft adia Watch Dogs para 2014. The Crew também atrasará

Por em 15 de outubro de 2013

watch-dogs

A Ubisoft pegou muita gente de surpresa hoje ao anunciar que dois dos seus principais lançamentos sofrerão um atraso, o Watch Dogs e o The Crew. Previstos para chegarem ao mercado no atual ano fiscal, que vai até 31 de março de 2014, agora a previsão é de que o jogo de ação apareça durante a primavera do hemisfério norte, que corresponde ao nosso outono, enquanto que o game de corrida poderá ficar só para 2015.

Nossa ambição desde o início com o Watch Dogs era entregar algo que encarnasse o que queríamos ver na próxima geração de games. Com isso em mente, tomamos a difícil decisão de atrasar o lançamento até a primavera de 2014,” explicou a equipe responsável através do blog da empresa, onde foi confirmado que todas as versões sofrerão o atraso.

Ou seja, segundo o comunicado, a decisão só foi tomada agora, faltando pouco mais de um mês para o lançamento do jogo, porque eles perceberam que precisariam de um tempo extra para fazer os ajustes finais, já quanto ao quanto ao The Crew, o CEO Yves Guillemot afirmou que o objetivo da Ubisoft é ganhar a próxima geração e que o adiamento se mostrará “uma decisão acertada a longo tempo, tanto em termos de satisfação para seus fãs, quanto para o valor de criação para seus acionistas.

Embora esse tipo de anúncio sempre seja bastante frustrante, acho que se for para termos um produto com mais qualidade, então que as empresas saibam aproveitar o tempo adicional que elas mesmas se dão. Hoje os games podem muito bem ser melhorados com o passar do tempo, mesmo despois de lançados, mas todos nós sabemos que um lançamento problemático pode afundar uma franquia e por isso não serei um dos criticarão a decisão tomada pela editora.

emMiscelâneas