Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Produtor fala em mudar fórmula da série Zelda

Por em 7 de outubro de 2013

the-legend-of-zelda

Eu gosto muito da série The Legend of Zelda. Gosto da sua mecânica, que nos obriga a utilizar determinados itens nos locais corretos para progredir na aventura e gosto também de algo que muitos consideram uma falha, que é a maneira como sempre encontramos basicamente o mesmo jogo sob uma nova roupagem. Porém, isso pode estar perto de mudar.

A possibilidade foi revelada por ninguém menos do que Eiji Aonuma, produtor e principal nome dos últimos capítulos da franquia, que deixou os fãs bastante intrigados ao esclarecer um comentário recente.

Quando disse que estou cansado, não estava falando sobre fazer novos Zeldas, mas em vez disso, os mesmo elementos que tem sido usado para se fazer um Zelda até agora. Ainda sobre o tema, em relação a como sempre fizemos as coisas da maneira tradicional até agora: Porque elas precisam ser tradicionais? Essa é a pergunta que tenho me feito.

Se não mudarmos isso, não faremos algo novo.  Estamos nos aproximando levemente do The Legend of Zelda: A Link Between Worlds com essa mentalidade e também do próximo Zelda, que pretendemos continuar mudando. Contudo, isso nos traz ao tópico: do que se trata exatamente um The Legend of Zelda?

Portanto meus amigos, temos aí muitas perguntas e poucas respostas, e mesmo achando que todos esses questionamentos sejam válidos, principalmente do ponto de vista de um desenvolvedor, acredito que a principal questão é: será que muitas mudanças não poderão descaracterizar a franquia? Torço para que isso não aconteça, pois ainda não me cansei do estilo tão característicos dos The Legend of Zelda.

Fonte: Siliconera.

emNintendo

Para Nintendo, remake do Wind Waker ajudará a vender consoles

Por em 27 de setembro de 2013

zelda-wind-waker

Quem aí já jogou o The Legend of Zelda: Wind Waker? Felizmente eu tive a oportunidade de encarar o jogo no GameCube e talvez por isso eu não tenha ficado muito empolgado com o anúncio de que o Wii U receberia um remake dele, simplesmente por achar que ele já era muito bonito mesmo sem a alta resolução, mas pelo jeito eu sou uma exceção, pois para a Nintendo, essa nova versão poderá lhes ajudar a vender alguns consoles.

Este é o momento perfeito para os fãs do Zelda descobrirem o Wii U,” declarou Roger Langford, gerente de produto na BigN. “Para muitos fãs da série, esta será a primeira vez que jogarão o Wind Waker e nós estamos tratando o jogo como um lançamento de grande porte.

O Ocarina of Time 3D se saiu muito bem no Nintendo 3DS e estamos visando replicar esse sucesso com o The Wind Waker HD.

Os críticos do Wii U dirão que o desespero da Nintendo é tão grande que a empresa está até apostando numa versão remasterizada de um jogo para alavancar as vendas, mas se pensarmos bem, o comentário faz algum sentido, já que atualmente há um modelo do videogame que vem com uma cópia do jogo ou porque poucas pessoas tiveram um GameCube e embora o Wind Waker rodasse no Wii, não lembro de ter visto alguém dizer que jogou ele neste videogame.

No fim das contas acho que isso ainda é pouco para uma empresa que conta com tantas franquias famosas e penso que no mínimo eles deveriam estar investindo mais em “remakes” de alguns bons jogos do GC, pois pelo menos assim os donos um Wii U teriam algo para jogar.

Fonte: MCV.

emNintendo

Miyamoto diz que sua supervisão deixou de ser necessária

Por em 26 de setembro de 2013

Shigeru-Miyamoto

No últimos anos Shigeru Miyamoto tem aproveitado para deixar claro que não pretende se aposentar tão cedo, mas em sua última entrevista o lendário game designer, de forma até um pouco melancólica, falou sobre como as franquias que criou não precisam mais de sua supervisão.

Como você viu na nossa apresentação da E3, o Sr. Aonuma [produtor da série Zelda] me expulsou do palco… ele não precisa mais de mim! A responsabilidade final continua sendo minha e continuo envolvido com os jogos, mas eu definitivamente posso deixar a série em suas mãos. Não preciso mais olhar para cada detalhe de cada jogo, sei que eles terão o nível de qualidade que esperamos quando está sob minha supervisão.

Mas tamanha confiança não se resume apenas a série Zelda, já que segundo ele, Yoshiaki Koizumi tem feito um excelente trabalho com os jogos do Mario, assim como Hideki Konno com o Mario Kart e Katsuya Eguchi com os Animal Crossing. Para Miyamoto, essas pessoas são talentosas o suficiente para gerenciar os detalhes de um projeto e principalmente, manterem o nível de qualidade característica da BigN.

No entanto, isso não significa que o japonês tenha largado o desenvolvimento de jogos, pois desde o ano passado ele vem trabalhando na criação de uma nova marca e na minha opinião, mesmo que ele tenha ensinado muito bem essas pessoas e elas estejam dando conta do recado, a indústria dos games não pode ficar sem a genialidade de alguém como Shigeru Miyamoto.

Então, já que o futuro das franquias antigas está garantido, por favor Nintendo, deixe o trabalho burocrático para outro e permita que o cérebro do Shigsy se preocupe apenas em nos entregar mais mundos fantásticos.

Fonte: ONM.

emNintendo

Tenha um (quase) vitral do Zelda na sua casa

Por em 23 de setembro de 2013

wind-waker-adesivo

O recém re-lançado The Legend of Zelda: The Wind Waker conquistou muita gente graças a possibilidade de navegamos por um vasto oceano, mas na minha opinião, algo que nunca esquecerei é sua direção artística. O trabalho realizado pela Nintendo na parte visual deste jogo é algo incrível e se você sempre quis ter um pouco disso em sua casa, a loja Blik pode lhe ajudar.

Com sete modelos à disposição, cada um deles custando US$ 37, ou seja, muito menos do que mandar fazer uma janela assim, o que eles vendem na verdade é um adesivo que imita a aparência de um vitral e como se trata de um produto licenciado pela Nintendo, podemos esperar algo de qualidade.

Porém, há de se lamentar o fato da loja não enviar os produtos para o Brasil, portanto o melhor a se fazer é cobrar aquele favor do seu amigo que mora nos Estados Unidos ou Canadá e pedir que nos envie a compra, mas só de pensar em um desses decorando meu quarto, já acho que valeria o sacrifício.

PS: Faz muito tempo que joguei o Wind Waker, então não me lembro muito bem, mas esses não são os mesmo vitrais que aparecem no início da aventura?

Fonte: Joystiq.

emCultura Gamer Nintendo

A animação do The Legend of Zelda que quase existiu

Por em 5 de agosto de 2013

the-legend-of-zelda

Quem já assistiu o filme do Super Mario Bros. sabe porque a Nintendo distanciou suas franquias do cinema, mas isso não impediu que uma legião de fãs clamasse pela adaptação de algumas marcas, entre elas a The Legend of Zelda.

Apesar de parecer um tanto estranho ver um moleque de carne e osso correndo por aí durante uma hora e meia de projeção enquanto usa um gorro verde, chuta galinhas e quebra vasos, sempre tive a impressão de que uma aventura do Link feita em animação poderia dar certo e somente agora ficamos sabendo que isso esteve relativamente perto de acontecer.

Seguindo um estilo um tanto parecido com a série para TV Star Wars: The Clone Wars, o vídeo que você verá abaixo (aqui há outra versão) foi criado em 2007 pela Imagi Animation Studios, mesma empresa que trouxe ao mundo as animações das Tartarugas Ninjas e do Astro Boy, mas como bem sabemos, acabou não sendo aceita pela BigN.

Tendo sido editado e supervisionado por Adam Holmes, o clipe tem apenas alguns segundos mas serve par termos um gostinho de como o trabalho estava ficando e não sei quanto a você, mas eu gostaria muito de ter visto o trabalho sendo finalizado.

continue lendo

emNintendo Vídeos

E se o The Legend of Zelda virasse um jogo de estratégia?

Por em 26 de julho de 2013

hyrule-total-war_24.07.13

Uma das coisas que eu mais temo em relação a uma franquia que gosto é quando os responsáveis resolvem lançar um capítulo que se enquadre num gênero diferente do original. Não são raros os casos de fracassos quando essa mudança aconteceu e se tem um estilo de jogo em que eu nunca imaginei a série The Legend of Zelda foi o de estratégia.

Pensar em dezenas de personagens duelando pelo mundo do jogo pode ser surreal demais para os fãs mais ardorosos, mas aí aparece um grupo que resolveu encarar o desafio e começou a trabalhar no Hyrule: Total War, uma incrível modificação para o Medieval II: Total War que tem como objetivo nos passar um visão bem diferente daquela que a Nintendo tem nos entregando nas últimas décadas.

Com sua versão mais recente disponibilizando 19 facções para serem escolhidas (Ancient Hylians, Gohma, The Deku Tribes, Kokiri, Church of Majora, etc), o mod ainda recria várias localidades de Hyrule e conta com uma campanha principal que traz uma história inédita.

Aqueles habituados com a série Total War já sabem que batalhas de proporções épicas são comuns, algo que pode assustar os que nunca se arriscaram por algo tão hardcore, mas como nessa modificação a ambientação e os personagens são inspirados na famosa franquia criada por Shigeru Miyamoto, está aí uma aventura que pode agradar a vários públicos.

Veja então o trailer que demonstra um pouco dessa “maluquice” e me diga, será que um The Legend of Zelda de estratégia poderia dar certo?

continue lendo

emComputadores Nintendo

Eiji Aonuma fala em vida além da série Zelda

Por em 6 de junho de 2013

the-legend-of-zelda-wind-waker_06.06.13

A série The Legend of Zelda sempre esteve muito ligada ao nome de Shigeru Miyamoto, mas desde o lançamento do Ocarina of Time um dos principais responsáveis por dar vida às aventuras de Link tem sido Eiji Aonuma, que quando não atuou como diretor dos jogos, assumiu o papel de produtor ou supervisor.

Ficar durante 17 anos trabalhando com uma mesma franquia tem lá suas vantagens, mas também deve ser um tanto frustrante não aproveitar sua criatividade para outros títulos e foi sobre isso que o japonês falou durante uma entrevista à Edge.

Estou com 50 anos agora, então eu só tenho algo em torno de mais 10 anos fazendo jogos na Nintendo. Quero tentar todo tipo de coisas novas antes que seja tarde demais – Não quero chegar ao fim da minha carreira e só ter trabalhado na série Zelda. Mas todas as vezes que surjo com novas ideias elas acabam sendo usadas em um Zelda! Eu preciso de uma parada de seis meses para me distanciar do ciclo da franquia e me focar em algo novo [risos]. Mas no fim das contas eu provavelmente acabarei trabalhando em um jogo parecido com o Zelda, o A Link to the Past foi minha maior influência.

continue lendo

emNintendo