Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Namco lançará jogo de carta baseado na série Tekken

Por em 23 de janeiro de 2013

dori_tct_22.01.13

Vez ou outra alguma empresa decide que levar algumas de suas séries para outros gêneros é uma boa ideia e isso já nos fez conhecer RPGs do Mega Man ou um Shoot ‘em up do King of Fighters e a próxima a se arriscar com uma mudança será a Namco Bandai.

Tentando expandir a marca e consequentemente aumentar a base de fãs, a empresa japonesa anunciou que nas próximas semanas lançará o Tekken Card Tournament, um jogo gratuito para PC, smartphones e tablets que terá como grande diferencial a utilização de cartas reais cujos códigos QR poderão ser lidos e assim elas interferirão nas lutas.

Na verdade o game continuará oferecendo batalhas entre dois lutadores, mas dessas vez elas acontecerão de acordo com as cartas que tivermos e a intenção é permitir, quando os pacotes forem lançados no final do ano, que elas possam ser utilizadas também fora do mundo virtual, com a promessa de que haverá partidas entre as plataformas.

De acordo com Lee Kirton , diretor de marketing da desenvolvedora, o Tekken Card Tournamentserá algo único e inovador, especialmente para um jogo de luta” e imagino que diante da descrição da novidade, ninguém discordará dele.

[via Eurogamer]

emCelulares Computadores Portáteis

Comparação: qual seria o melhor e-reader para o público brasileiro?

Por em 14 de janeiro de 2013

A Stella Dauer fez um artigo sobre o lançamento das novas edições do Kobo pela Livraria Cultura: a Amazon chegou com uma versão básica do Kindle e temos alguns e-readers brasileiros desconhecidos no mercado. Qual seria o melhor e-reader para se comprar no Brasil? Observação: estou excluindo dessa lista os e-readers que podem ser importados e que não foram lançados no Brasil, como o Kindle Touch ou Kindle Fire.

Uma comparação entre tablets e e-readers seria injusta, tendo em vista que cada um cumpre uma função específica. Depois farei um novo artigo comparando todos os tablets existentes no mercado (inclusive os que podem ser importados para o Brasil, como o Kindle Fire HD e Nexus 10). Abaixo você confere uma descrição de cada e-reader e, ao final, um comparativo meu entre os e-readers demonstrados no artigo.

Kobo

30375114_1_G
O Kobo Touch, vendido atualmente na Livraria Cultura e que custa R$399, é bem interessante e bonitinho: é possível comprá-lo em até quatro cores diferentes (branco, azul, prata e lilás). Ele tem uma tela de 6 polegadas, mesmo tamanho da tela do Kindle. O armazenamento do Kobo é feito via memória interna com 2 GB, sendo 1 GB para armazenamento de livros e podemos ter até 32 GB através de um cartão micro-SD.
continue lendo

emAcessórios Hardware

PowerA lançará joystick para Android

Por em 10 de janeiro de 2013

Se você considera que o Shield não vale o investimento, mas gostou da ideia de jogar os games para Android com um joystick, talvez seja uma boa ideia dar uma olhada no MOGA Pro Controller.

dori_moga_08.01.13Fabricado pela PowerA, o acessório possui um design que está se tornando padrão na indústria, parecido com o do controle do Xbox 360, trazendo duas alavancas analógicas, quatro botões de ação, dois botões nos “ombros” e mais dois gatilhos.

Além de poder ser conectado a qualquer celular com tela de até 3,2”, o controle ainda permite sincronização com o aparelho através da conexão Bluetooth e sua bateria pode ser trocada ou carregada por um cabo USB, mas o grande diferencial parece ser mesmo o suporte ao MOGA Mobile Gaming System, que tenta fazer com que a experiência de jogar no smartphone seja a mais próxima possível do que temos num console e o MOGA Pivot App ainda nos permitirá ter acesso a todos os títulos suportados pelo joystick.

Infelizmente o preço do MOGA Pro Controller ainda não foi revelado e para quem está pensando em transformar seu Android em uma plataforma de games, talvez até o ligando em uma TV, está aí uma ótima ideia. Só não vá sair na rua jogando com uma coisa dessas, ok?

[via Joystiq]

emAcessórios Celulares Jogos

Razer lança o poderoso Edge, ex-Project Fiona

Por em 9 de janeiro de 2013

Durante a edição 2012 da CES a Razer apresentou ao mundo o Project Fiona, um tablet diferentão que chamava a atenção por ter dois controles presos em suas laterais e praticamente um ano após o anúncio, a fabricante confirmou que ele está chegando as lojas, com algumas mudanças no conceito e rebatizado como Razer Edge.

Para começar, há de ser dito que o controles antes fixos agora serão opcionais e no fundo o aparelho será basicamente um tablet de 10,1 polegadas rodando Windows 8. Além dos joysticks, o usuário terá ainda a possibilidade de conectar um teclado e um suporte ao Edge e de acordo com a Razer, este será o tablet mais poderoso do mundo.

Tal confiança se baseia nas duas impressionantes configurações do dispositivo, uma com um processador Intel Core i5, 4 GiB de RAM e 64 ou 128 GB de armazenamento em um disco SSD; e a outra com um Core i7, 8 GiB de RAM e um SSD de 128 ou 256 GB, com os gráficos de ambos os tablets sendo gerados por uma GeForce GT 640M LE.

Só para termos ideia do que essa belezinha será capaz de nos proporcionar, a Razer garante que um jogo como o Dishnored conseguirá rodar a 59 fotogramas por segundo quando em sua configuração padrão e apesar de sua placa de vídeo ser uma versão da 640M que consome menos energia, não espere uma autonomia muito grande, já que mesmo com uma bateria mais potente que será vendida separadamente, ele não deverá aguentar ligado por mais do que 4 horas quando estivermos jogando.

Além disso, outro ponto que deverá afastar muitos consumidores é o preço bastante salgado do tablet, com a versão mais básica saindo por US$ 999 e a outra ficando com um valor entre US$ 1.299 e US$ 1.499, isso sem falar nos acessórios, claro.

Na minha opinião se trata de algo interessante, mas eu não teria coragem de gastar tanto em um desses.

dori_edge_09.01.13dori_edge_09.01.13-2dori_edge_09.01.13-3

[via Verge]

emComputadores Portáteis

Fez está indo para outras plataformas

Por em 1 de janeiro de 2013

dori_fez_01.01.13

Tendo parte do seu desenvolvimento financiado pela Microsoft, Fez desde o início foi apontado como um jogo exclusivo para o Xbox 360 e após longos anos de desenvolvimento, aqueles que possuíam o videogame puderam  confirmar que a espera valeu a pena, com a criação de Phil Fish sendo apontada como um dos melhores jogos independentes do ano.

Porém, se você foi impedido de jogar a mistura de puzzle com jogo de plataforma devido a limitação de plataforma, veja só o que o game designer publicou no blog da empresa:

O Fez finalmente será convertido para outras plataformas. Sim, eu ouvi vocês, dezenas de pessoas me enviam emails todos os dias me dizendo o quão idiota fui por não lançá-lo para todas as plataformas possíveis.

Não ficou claro portanto quais seriam essas plataformas, mas o natural é que o game saia pelo menos para os computadores e com um pouco de sorte, apareça também no Playstation 3 e até mesmo tablets. Vale mencionar ainda que Fish afirmou que está planejando criar dois novos jogos e que talvez se arrisque até mesmo a trabalhar com algo que não tenha a ver com a indústria de games.

Quanto ao Fez, após jogar sua versão de demonstração confesso não ter me convencido de que se tratava de um game que eu queria, apesar da sua mecânica interessante e estilo visual muito bonito, mas ainda assim resolvi arriscar e adquiri o jogo numa promoção de final de ano e espero não me arrepender.

[via Polygon]

emMiscelâneas

Valve poderá lançar Dota 2 para tablets

Por em 11 de dezembro de 2012

dori_dota_11.12.12

Ultimamente a atenção da Valve parece estar voltada apenas em levar o PC para a sala de estar e frustrar os fãs que aguardam há anos por um novo Half-Life, mas ao mesmo tempo a desenvolvedora tenta aperfeiçoar a sua última criação, o Dota 2.

Ainda sem data prevista para o lançamento da versão final, a empresa tem feito o possível para tornar o MOBA mais popular, seja realizando campeonatos oficiais ou divulgando documentários sobre esses torneios, mas até uma versão para tablets estava sendo produzida, conforme revelou Gabe Newell:

Estávamos trabalhando para fazer o Dota 2 rodar em alguns tablets, mas acabou sendo uma decepção. Porém, a boa notícia é que esses aparelhos estão se tornando cada vez mais rápidos, então acho que num futuro próximo conseguiremos o tipo de performance que queremos, assim como outras desenvolvedoras.

Acho a ideia interessante, mas como se trata de um estilo de jogo voltado para as partidas multiplayer, fico na dúvida se a interface funcionaria bem em um tablet, permitindo que o jogador realizasse suas ações com agilidade.

[via CVG]

emComputadores Portáteis

Microsoft divulga preços oficiais do Surface Pro, aquele com metade da bateria do RT

Por em 30 de novembro de 2012

Panos Panay, gerente-geral do projeto Surface, revelou ontem os preços oficiais da tablet x86 da Microsoft, aquele que roda a versão completa do Windows 8: o Surface Pro será lançado em algum dia de janeiro a partir de 899 dólares, preço correspondente à versão com SSD de 64 GB.

Quem quiser 128 GB de espaço mais-ou-menos disponível terá de desembolsar mais 100 obamas da carteira, pagando US$ 999. Nenhuma dessas duas versões virá com a icônica capa-teclado, que terá de ser adquirida à parte por até US$ 130, mas cada pacote do Surface Pro inclui uma caneta que pode ser usada para escrever na tela. Caneta essa que não é suportada pelo Surface RT.

Enquanto o Surface RT consegue manter uma autonomia próxima das 9 horas de navegação na internê, a bateria do Surface Pro morre na metade desse tempo, por volta das 5 horas de uso.

Laguna_SurfacePro_30nov2012

Surface Pro virá com caneta e custará a partir de US$ 899.

Essa curta vida da bateria torna o Surface Pro mais próximo de um ultrabook que de um tablet, mas convenhamos que colocar um processador Intel numa tela full-HD de 10,6 polegadas e manter um conector USB 3.0 completo num aparelho do tamanho de tablet teria lá seus sacrifícios. Ainda bem que a Microsoft manteve ao menos uma saída de vídeo mini-DisplayPort para o pessoal que precisa projetar slides em palestras e seminários.

E podem ter certeza que veremos mais tablets sendo utilizados em sala de aula: segundo o último relatório do NPD Group, o mês do lançamento do Windows 8 foi marcado pela queda nas vendas dos computadores, comportamento bem diferente do mesmo período em lançamentos anteriores do Windows (Vista inclusive).

Em outubro, as vendas de desktops caíram 21 por cento e os laptops com Windows tiveram queda de 24% nas vendas lá na América do Norte: com exceção da Lenovo, Asus e, óbvio, Apple, o mercado de PCs está lutando para sobreviver. Nos Estados Unidos, em tal mês o mercado de computadores x86 sofreu encolhimento de 12,4% sobre a média do 3º trimestre.

O tio Laguna ainda acha cedo para podermos dizer se a Microsoft pode vir a ser uma nova Apple no quesito vendas de aparelhos baseados no ARM, até porque ainda tenho minhas dúvidas se o ecossistema dela torna os Windows Phones verdadeiros “canivetes suiços”, mas já estou juntando meus trocados para levar um Surface Pro pois meu pobrebook não passa de 2013: o aparelho da Microsoft consegue ser bem menos caro que um MacBook Pro e ainda me mata um pouco a vontade de comprar um iPad mini.

emComputação móvel Destaque Destaques Indústria Meio Bit Mercado Microsoft Mobile