Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

150 milhões de unidades vendidas depois, PS2 é um sucesso

Por em 14 de fevereiro de 2011

dori_ps2_14.02.11

Eu tenho um carinho todo especial pelo Mega Drive e pelo Super Nintendo, consoles que me garantiram muitas horas de diversão numa época em que, tirando os estudos, eu não tinha muito com o que me preocupar, mas tenho que reconhecer, o Playstation 2 talvez tenha sido o maior console da história.

Lançado em março de 2000 no Japão, agora a Sony comunicou que o aparelhou ultrapassou a casa de 150 milhões de unidades vendidas, mas não é apenas a quantidade de videogames entregues que impressiona. Com 10,828  de títulos lançados para ele, mais de 1.52 bilhões de cópias de jogos foram vendidas até dezembro passado, transformando-o num enorme sucesso. Entre esses, o jogo que figura no topo do ranking é o Grand Theft Auto: San Andreas, com 17.33 milhões de unidades, seguido pelo Gran Turismo 3: A-Spec e o Gran Tusirsmo 4, com 14.89 milhões e 10.76 milhões, respectivamente.

Tudo isso explica o interessa da Sony em manter o Playstation 2 vivo em mercado emergentes como a Europa oriental, o oriente médio, o sudeste asiático e a América do Sul, já que ele seria o console ideal para os jogadores que não podem ou não querem investir pequenas fortunas nos videogames mais novos, no entanto, seguindo essa linha da raciocínio fica difícil entender como o valor cobrado por ele aqui no Brasil é de R$ 699.

[via Eurogamer]

emMuseu Sony

Online ainda sobrevive no Playstation 2

Por em 12 de janeiro de 2011

dori_ps2_11.01.11

Numa época em que as empresas desligam os servidores de jogos que foram lançados há apenas alguns meses, matando seus modos online, chega a ser um pouco difícil de acreditar que um videogame com dez anos de idade como o Playstation 2 e que nunca teve uma rede online muito elaborada ainda possua uma considerável quantidade de games funcionando pela internet.

De acordo com uma página mantida pela Sony, atualmente nos Estados Unidos 143 títulos do console ainda podem ser jogados online e o mais importante é que dependendo do jogo, o número de jogadores por dia fica entre 1000 e 4000, como é o caso do SOCOM 2, que devido ao grande número de fãs consegue ter tantas pessoas em seus servidores.

Admiro as pessoas que já possuem um console da atual geração e que não deixaram seus jogos favoritos para trás, mas confesso que minhas experiências com os jogos online no PS2 não foram das melhores. Quando tentei jogar o SOCOM 3 e o ATV Offroad Fury 4, tive que fazer o download de atualizações que entupiram meu memory card, a conexão caía constantemente e me considerava com sorte quando conseguia jogar online. Apenas no Champions: Return to Arms a situação foi aceitável, mas como não encontrei ninguém nos servidores, o cooperativo online só aconteceria caso algum amigo estivesse disposto a jogar.

Jogue online ou não no Playstation 2, gostei de saber que os jogadores do videogame ainda recebem atenção da Sony (ou das produtoras que ainda mantêm os servidores ligados).

[via NicaGamerZ]

emMuseu Sony

A televisão com Playstation 2 embutido

Por em 3 de dezembro de 2010

dori_brav_03.12.10Ah, a tecnologia! Os leitores com mais de 25 anos certamente se lembrarão da época em que as fabricantes de televisão vendiam aparelhos que vinham com videocassetes embutidos, mas como o negócio hoje em dia* são os videogames, a Sony lançou na Europa um modelo da Bravia que traz na base um Playstation 2.

Com valor sugerido de £199, a KDL-22PX300 tem 22”, resolução de 720p, quatro entradas HDMI, três USBs, suporte a exibir vídeos direto da internet e claro, já vem com um joystick para o console. Levando-se em consideração que por lá uma TV com a mesma medida pode custar até £80 mais caro, parece um ótimo negócio investir nesse novo modelo para, por exemplo, colocá-lo no quarto, ganhar um bom reprodutor de DVDs e ainda poder aproveitar a imensa biblioteca do PS2.

Só achei que a base deixou a televisão feia e com ela seria impossível pendurar o aparelho na parede, mas acho que valeria o sacrifício.

*Curiosidade: A Sharp lançou no a Japão em 1983 uma TV que tinha um Nintendinho embutido.

[via Eurogamer]

emSony

Exclusividade do GTAIII custou pouco à Sony

Por em 26 de novembro de 2010

dori_gta_25.11.10

Não há como justificar o sucesso de um videogame apenas por um ou dois jogos, mas é inegável a importância que o Grand Theft Auto III teve para o domínio do Playstation 2 na geração passada. Considerado um dos mais revolucionários jogos dos últimos dez anos, o game foi por muito tempo exclusivo da plataforma da Sony, o que o ajudou a assumir a liderança e transformar o aparelho em sinônimo de videogame para muita gente.

É natural imaginarmos que esses contratos de exclusividades sejam fechados com executivos apontando armas uns para os outros em porões sujos ou com as fabricantes vendendo suas almas para que um título tão promissor apareça, mesmo que apenas por um tempo, somente em seus consoles, mas ao sabermos dos detalhes revelados por David Reeves, ex-presidente da divisão europeia da Sony, sobre a negociação do GTAIII, que por sinal aconteceu em uma mesa de hotel com o papo regado a cervejas, vemos que eles tiveram muita sorte.

A última reunião que tivemos no dia foi com Kelly Summer [ex-chefe da Take-Two]. Pegamos um jogo chamado State of Emergency, que eu acho que não apareceria no Xbox, de qualquer maneira. Então disse, ‘o que mais você tem aí?’ E ele respondeu, ‘Bem, temos esse Grand Theft Auto… Acho que podemos negociá-io.’ Nosso pessoal técnico disse que o GTA III não era ruim, que era inovador, mas não um monstro. Eu tinha ouvido que era bom, então disse ‘OK.’

E sabe o que é ainda mais impressionante? O executivo não revelou os valores, mas pôde garantir que a “aquisição” foi “extraordinariamente barata.” Já a Microsoft não pode dizer o mesmo sobre os conteúdos adicionais do Grand Theft Auto IV, não é mesmo?

[via VG247]

emIndústria Sony

Sequência de Psychonauts só depende de editora

Por em 12 de novembro de 2010

dori_psy_12.11.10

No meio do invejável portfólio de Tim Schafer é possível encontrarmos um jogo que não pode ser considerado um sucesso de vendas mas que está entre um dos melhores jogos da geração passada para quem lhe deu uma chance, o Psychonauts. Criado como um típico jogo de plataforma, nele acompanhávamos as aventuras do garoto Raz, que chega a um campo de treinamento para pessoas com poderes psíquicos e onde tentará desenvolver suas habilidades. O seu grande destaque estava no ótimo enredo, no humor refinado e no design das fases, cada uma delas passada dentro da mente perturbada dos personagens que habitam o lugar.

Sabendo que o jogo conquistou uma boa base de fãs, a revista PSM3 aproveitou para perguntar ao game designer se existe planos de seu estúdio trabalhar numa continuação e a resposta foi, até certo ponto, animadora:

Estou pronto para fazer isso, adoraria fazer isso. É apenas uma questão de conseguir uma editora interessada em publicá-lo. Ao longo dos anos o Psychonauts foi jogado por muitas pessoas, por ter sido vendido no Steam por dois dólares ou através da pirataria. Então ele esteve por aí e se todas essas pessoas comprarem a sequência, ela seria um grande sucesso.

Como a Double FIne recentemente contratou um dos outros criadores do Monkey Island, o Ron Gilbert, seria muito legal se a dupla trabalhasse junta nesse novo Psychonauts, mas desconfio que conseguir uma empresa para apostar numa continuação de um jogo que não vendeu bem não será muito fácil, até porque a última grande produção do estúdio, o Brutal Legend também não se saiu muito bem nas prateleiras. Mesmo assim, recomendo dar uma olhada nesse jogo excelente, que ganhou diversos prêmios de melhor roteiro e que pode ser adquirido por US$ 9,99 no Steam ou no Good Old Games.

[via CVG]

emComputadores Microsoft Museu Sony

Microsoft sem planos para remakes do Xbox

Por em 1 de novembro de 2010

dori_halo_27.10.10

Enquanto o remake de jogos do Playstation 2 seguem ganhando força, a Microsoft parece não estar muito empolgada com a ideia de ressuscitar alguns clássicos do Xbox. Ao ser questionado se a empresa pretende lançar versões melhoradas do Halo: Combat Evolved e do Halo 2, o vice-presidente da Microsoft Game Studios, Phil Spencer, disse o seguinte:

Não acho que seja necessariamente uma má ideia. Penso nisso pela perspectiva do cliente e vamos realmente entregar algo de valor aos consumidor pelo preço que ele quer? Nós obviamente temos muitas coisas novas para abordar, então o pensamento de refazer uma série de coisas é provavelmente difícil de introduzir ao portfólio. Se você pode oferecer um valor real ao consumidor, haverá possibilidades, mas não tenho gastado muito tempo pensando nisso.”

Acho que tudo é uma questão de retorno para as empresas. Se a Microsoft perceber que pode ganhar uma boa quantidade de dinheiro relançando jogos antigos, pode ter certeza que farão. É claro que eu gostaria que esses remakes trouxessem adições significantes para os games, mas eu não sou contra eles. No fim das contas, compra quem quer e penso que muitos bons títulos das gerações passadas deixaram de ser jogados por nós, então, se eu puder jogá-los, mesmo que seja apenas com gráficos melhores, já acho que vale a aquisição, mas se for um game que não me chame a atenção, então deixo passar e compro outro game.

[via IGN]

emMicrosoft Museu

Desenvolvedores listam os seus preferidos do PS2

Por em 28 de outubro de 2010

dori_ps2_28.10.10

Na terça-feira passada foi aniversário de 10 anos do lançamento dos PS2 nos Estados Unidos e para comemorar, o blog oficial do Playstation pediu para que vários desenvolvedores de games (e alguns jornalista de renome também) listassem os três jogos do console que mais gostaram. O que mais gostei deles não terem se limitado apenas aos profissionais que desenvolvem para os videogames da empresa como acho muito legal saber o que esse pessoal gosta de jogar, considero as respostas de extremo valor.

Entre os citados estão nomes de respeito como Ed Boon (Mortal Kombat), Ken Levine (Bioshock), David Jaffe (God of War), Warren Spector (Deus EX), Tim Schafer (Grin Fandango) e Cliff Bleszinski (Gears of War), mas senti falta de outras pessoas tão ou mais importantes quanto, como Hideo Kojima, Fumito Ueda ou Keiji Inafune, porém, o fantástico mesmo seria se Shigeru Miyamoto tivesse participado.

De qualquer forma, vou deixar aqui no post o nome de todos os que deram sua opinião, com o nome da empresa em que trabalham e os jogos citados por eles, na ordem de preferência.

continue lendo

emMiscelâneas Museu Sony