Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

Quase metade do lucro dos jogos mobile vem de apenas 0,22% dos jogadores

Por em 10 de abril de 2014

mobile

Com algumas empresas e pequenos desenvolvedores faturando verdadeiras fortunas com o desenvolvimento de jogos para dispositivos móveis, muitas pessoas tem olhado para esse mercado e visto ali uma excelente oportunidade de negócios. Porém, um estudo mostrou que ter sucesso neste ramo pode ser muito mais difícil do que aparenta.

Realizado por uma empresa chamada Swrve, a pesquisa coletou os dados de 30 jogos durante 90 dias e rastreou o comportamento de mais de 10 milhões de jogadores. No fim, eles descobriram que apenas 2,2% dessas pessoas gastaram algum dinheiro com os games e pior, 46% de todo o valor arrecadado veio de apenas 0,22% dos jogadores.

continue lendo

emCelulares Destaque Games Indústria Jogos

Adobe Lightroom 5.4 e o Lightroom Mobile

Por em 8 de abril de 2014

Hoje, ao abrir o Photoshop Lightroom, recebi uma notificação de atualização. Isso já se tornou normal, visto que novas câmeras estão chegando ao mercado e tal atualização periódica se torna necessária, mas uma novidade chamou atenção na lista de novas funcionalidades. Estou falando da compatibilidade com o Lightroom Mobile. A Adobe lançou a versão do aplicativo para iPad e o mesmo se mostra muito competente em executar várias opções de edição de imagem e se mostra importante na organização dos arquivos de imagens do iPad, assim como a versão desktop. O interessante é que você pode sincronizar os seus arquivos entre o iPad e o desktop utilizando a nuvem.

É possível sincronizar edições, coleções e metadados entre os catálogos do iPad e do computador (Mac ou Windows). O aplicativo faz importação automática das fotos feitas pelo iPad e sincroniza com o programa do computador. Também é possível fazer a edição off-line das imagens. Porém, a brincadeira só funciona com o Lightroom 5.4 e o iPad a partir da segunda versão rodando o iOS 7. O download do Lightroom mobile é gratuito, porém (sempre existe um porém) é necessário que você tenha uma assinatura do Creative Cloud para que ele funcione. Nos Estados Unidos, a assinatura mais atrativa é a  Photoshop Photography Program onde você tem o Lightroom 5, o Photoshop CC, o Lightroom Mobile e 20 GB de armazenagem na nuvem pela fortuna de US$ 9,90 por mês. Pelo menos hoje (08/04) a mesma oferta parece estar disponível para os brasileiros no site da Adobe do Brasil.

Junto com a nova atualização do Lightroom, a Adobe também liberou a nova versão do Adobe Camera RAW (versão 8.4). Além de corrigir bugs das versões anteriores, o novo Camera RAW oferece suporte para as novas câmeras lançadas (como a Nikon D4s) além de implementar algumas novas funcionalidades. Uma pequena observação é que a nova versão do Camera RAW não vai funcionar no Windows XP, no Windows Vista ou no Mac OSX 10.6.

lightroom mobile

Fonte: Dpreview.

emÁudio Vídeo Fotografia Notícias Software

Activision vai remover todos os DLCs da série Guitar Hero das lojas digitais em abril

Por em 20 de março de 2014

guitar-hero-warrios-of-rock

Foi bom enquanto durou. A Activision havia cancelado a série Guitar Hero em 2011, alegando desgaste da fórmula. A bem da verdade a culpa foi dela mesma: por pura ganância ela inundou as lojas com inúmeras versões do jogo, o que fez com que os jogadores enjoassem rapidinho da série. Até mesmo a série Rock Band foi afetada, e o título mais recente da série é Rock Band Blitz, um jogo que sequer utiliza instrumentos. No fim das contas o gênero evoluiu para uma variante mais técnica, representada exclusivamente por Rocksmith.

Ainda que não houvessem mais jogos recentes, donos dos títulos ainda poderiam adquirir DLCs pontualmente. Podiam do verbo “acabou”. A Activision anunciou ontem que a partir do dia 1º de abril (isso não é piada) todos os DLCs das diversas versões de Guitar Hero, bem como seus spin-offs Band Hero e DJ Hero deixarão de ser oferecidos.  A versão mobile para iOS também deixará de ser vendida, pondo um fim definitivo da série iniciada pela Harmonix há quase uma década atrás, em 2005.

Quem quiser adquirir tanto  game mobile quanto as músicas é melhor correr, pois a Activision está vendendo todos com 50% de desconto até o fim do mês. Passado o período a empresa promete que os servidores serão mantidos, portanto não há risco do jogador ficar impossibilitado de baixar seus arquivos.

Infelizmente é uma pena. Apesar da inundação de títulos do gênero que tivemos no fim dos anos 2010, o que causou a repulsa por parte do público que não aguentava mais outro jogo perecido com os anteriores, não há como negar que a série Guitar Hero era muito divertida e proporcionou horas de peripécias na frente da TV, onde qualquer um podia brincar de ser Jimi Hendrix ou Randy Rhoads. Além disso, títulos dedicados bandas como Aerosmith, Mettalica e Van Halen eram muito legais. Paciência, é a vida que segue.

Fonte: CVG.

emIndústria Microsoft Nintendo Sony

Ops! Usuários mandam excluir uma mensagem, mas Gmail acaba excluindo outra

Por em 29 de janeiro de 2014

gmail_exclusao_acidental

Quando utilizamos qualquer programa ou serviço, esperamos que ele esteja sempre disponível e, talvez o principal, que funciona sempre de acordo com o que queremos. Em alguns casos, usuários preferem pagar por versões premium para que tenham uma cláusula de disponibilidade à disposição. Mas, apesar de todos os investimentos que as grandes empresas fazem, vez ou outra, as coisas não funcionam a contento.

No dia 15 de janeiro, alguns usuários das versões para iOS, mobile e offline do Gmail começaram a experimentar uma situação inusitada e desconfortável. Ao utilizarem algumas ações do serviço de e-mail do Google, como marcação de mensagens como spam ou exclusão de mensagens, a ação era, de fato, feita, mas em outra mensagem.

continue lendo

emGoogle Internet Segurança Software Web 2.0

Para Pachter, mercado do 3DS vai encolher e PS Vita morrerá lentamente

Por em 26 de janeiro de 2014

3ds-ps-vita

E Michael Patcher ataca novamente. Como sua última análise de mercado sobre a Nintendo não foi nada favorável, ele voltou a tecer alguns comentários, desta vez focando no mercado de portáteis, que estaria encolhendo devido a concorrência com o cenário mobile. E apesar de fazer sentido até certo ponto ele não pegou leve, principalmente com o PS Vita.

continue lendo

emNintendo Portáteis Sony

EA: games digitais vendem mais que físicos no 1º trimestre de 2013 e Apple se torna sua maior parceira

Por em 25 de julho de 2013

Mass Effect Infiltrator

Apesar da EA ter divulgado números satisfatórios no encerramento de seu último ano fiscal, isso não impediu a empresa de realizar um onda de demissões para botar ordem na casa. Entretanto ela agora divulgou os resultados do primeiro trimestre de 2013, e pela primeira vez as vendas digitais superaram as vendas físicas de seus games.

Com isso a empresa parceira que mais deu retorno financeiro não foi nem Azazon, Best Buy ou Gamestop. Foi a Apple.

Para se ter uma ideia, dos US$ 495 milhões em vendas no período, US$ 378 milhões se referem a vendas digitais. Desses, US$ 90 milhões em smartphones e tablets, incluso aí iOS, Android e outras plataformas, com o sistema da maçã sendo o que deu maior retorno (mas a empresa não divulgou os números exatos).

Para o COO da EA Peter Moore, “o primeiro trimestre teve um desempenho notável nas vendas digitais. (…) Com isso, a Apple se tornou pela primeira vez nosso parceiro de vendas mais lucrativo”.

Ainda que esses números não sejam muito grandes, há de se considerar que a EA é uma das maiores empresas de games do planeta. E com a iminência do lançamento do iOS 7, que terá suporte a controles da própria Apple (e a possibilidade da Apple TV ser transformada num console) tornam a empresa de Cupertino não só um parceiro valioso para as desenvolvedoras, mas uma possível ameaça aos fabricantes de consoles, relembrando a preocupação que Gabe Newell expressou anteriormente. Ela possui base instalada, apoio dos desenvolvedores e um dispositivo que pode ser convertido num aparelho similar ao Ouya, com mais poder de fogo.

Fonte: AllThingsD.

emApple e Mac Celulares Computação móvel Games Indústria

Nokia Lumia 1020 – primeiro teste prático de fotografia

Por em 24 de julho de 2013

Tenho até medo de tocar neste assunto novamente, visto que muita gente não entendeu muito bem o tema do texto anterior. Em nenhum momento foi dito que o celular da Nokia era ruim, até porque ninguém testou o brinquedinho ainda, mas que seria mais interessante investir em tecnologias que melhorassem a qualidade de imagem mantendo uma baixa densidade de pixels, já que essa característica poderia deflagrar uma nova guerra dos megapixels, só que agora em aparelhos mobile. Mas, não poderia deixar de noticiar o primeiro teste prático do novo celular da Nokia. E quem fez foi a galera do Dpreview, que muitos acusam de não serem imparciais, mas eles possuem experiência, metodologia e tradição nessa área.

O Dpreview teve um aparelho em mãos por 24 horas e colocou ele para fotografar em diferentes cenários e condições de luz e fez comparações em ambiente controlado e com outros celulares top de linha. O Nokia Lumia 1020 possui um sensor CMOS retroiluminado de 1/1,5 polegadas com 41 megapixels de resolução. A lente é uma Zeiss com 6 elementos óticos com estabilização de imagem e abertura de diafragma em f/2,2. Todas as fotos deste teste foram feitas utilizando o modo automático do aplicativo Camera Pro.  Segundo os testes em condições normais de iluminação a câmera se mostrou competente, mas com pequenos erros nas configurações do balanço de branco. Já as fotos feitas com configuração reduzidas de 5 Mp se mostraram muito mais acertadas em sua representação tonal. Aqui nada de mais, pois sabemos que quase toda câmera fotográfica tem dificuldade de acertar o balanço de branco no modo automático. Outro ponto negativo é o aparecimento de efeito flare quando foi executada filmagens em ambiente aberto. Em alguns casos fica bonito, mas aqui pode ser considerado como um defeito. Um ponto positivo desta parte do teste é a confirmação da eficácia do flash do equipamento, que se mostrou bem poderoso quando foi preciso utilizá-lo.

No caso da fotografia utilizando a resolução de 38 megapixels existem algumas implicações. Teoricamente, a densidade de pixels deste sensor é muito maior do que seria indicado, mas a retenção de detalhes está muito maior do que em qualquer outro celular em produção atualmente. Infelizmente, tamanha resolução também deixa em evidência a maioria dos defeitos que aparecem em fotos de celulares, como as aberrações cromáticas. A lente demonstra muita nitidez no centro e vai perdendo qualidade conforme chegamos nas bordas. A representação de cores é muito boa e o balanço de branco puxa um pouco para o azul (tons mais frios).

Nos testes de ambiente controlado, onde os rivais foram o Samsung Galaxy S4, o Lumia 920 e o iPhone 5, é que vimos a força do Lumia 1020, principalmente na resolução de 5 megapixels onde tivemos o maior rendimento do sensor. Detalhes, redução de ruído e demais características da qualidade de imagem foram bem melhor representados do que em seus concorrentes, mostrando que este é o melhor celular a capturar imagens até agora produzido.

Concluindo, o Dpreview aponta que o Nokia Lumia 1020 é o primeiro celular que você pode encarar como uma câmera séria, principalmente por conta das possibilidades do Camera Pro e do acessório em forma de empunhadura que foi lançado juntamente com a câmera. Porém, eles frisam que as fotos foram feitas somente no modo automático e que existem muitas outras possibilidade de configurações que eles não conseguiram testar por conta do pouco tempo que tiveram com o equipamento. Mas, já da para ter um gostinho do que é capaz de se fazer com o aparelho.

nokia_lumia_1020

Vejam aqui o teste completo.

emEquipamentos