Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Inexistência do Killer Instinct 3 não é culpa da Rare

Por em 22 de agosto de 2012

dori_ki_22.08.12

Se você sempre quis que a série Killer Instinct ganhasse um terceiro capítulo e nós últimos anos tem praguejado contra a Rare por nunca tê-lo feito, saiba que o problema pode não estar no estúdio. Pelo menos é isso o que diz Donnchadh Murphy, um ex-funcionário que jogou toda a culpa nos atuais donos da companhia, a Microsoft.

“Vários projetos foram apresentados e que acredito poderiam ter sido grandes sucessos, mas a Microsoft os rejeitou, um após o outro. Lembro de ter visto alguns protótipos que Chris Seavor [designer do Conker's Bad Fur Day] havia feito e em que estava trabalhando que pareciam fantástico, mas eles foram arquivados. Parecia que a Microsoft não queria assumir riscos de nada que não fosse voltado para um público mais jovem. Começamos a perder muitos grandes talentos ali, as pessoas perderam a satisfação pelo trabalho, então simplesmente saíram.

Provavelmente o jogo que todos os fãs da Rare queriam ver é o Killer Instinct. Todos nós queríamos o KI3, mas a Microsoft estava mais interessada em ampliar o seu público do que em fazer outro jogo de luta. Então ele nunca foi feito e duvido que um dia será.

Por não ser um grande fanático por jogos de luta talvez a minha opinião conte muito, mas nunca consegui entender a idolatria pelo Killer Instinct. Além de achar sua jogabilidade estranha, seus gráficos nunca me agradaram e o que eu gostaria de ver mesmo era um novo Conker, desde que mantivesse o estilo politicamente incorreto do primeiro, mas pelo jeito isto também está longe de acontecer.

[via X360 Official Magazine]

emMicrosoft

Microsoft e polícia de NY desenvolvem sistema de combate ao crime

Por em 8 de agosto de 2012

ED-209

O Prefeito de Nova York Michael Bloomberg anunciou, junto com o Comissário Gordon Kelly um projeto ambicioso na área de segurança, desenvolvido em parceria com a Microsoft.

A idéia é utilizar a arma mais eficiente possível contra o crime: Informação. Não só usada para identificar e prender suspeitos, mas para mapear áreas de risco.

Composto de toneladas de bancos de dados, o Domain Awareness System, como é chamado, coloca na mão dos detetives não só a ficha completa de um suspeito, como feeds de vídeo ao vivo de câmeras da região, chamadas pro 911 relativas a um determinado crime ou suspeito, mapas com informação cronológica e toneladas de outras informações.

O DAS, além das 3000 câmeras operadas pela cidade,  também é conectado a mais de 100 leitores automáticos de placas de carros, podendo identificar em frações de segundo se um veículo suspeito foi avistado. E em tempos pós 11/9, também fazem parte do conjunto 600 detectores de radiação.

Isso vai facilitar a vida do investigador E do policial na rua, e aí entra a grande jogada: Onde isso tudo vai rodar? Exato, aposto duas mariolas e uma Narjara Tureta que funcionará maravilhosamente num Surface RT, além dos desktops.

O projeto estará disponível para aquisição por departamentos de polícia de todo o mundo, e como co-desenvolvedora a NYPD ganhará 30% de comissão. Que vá tudo em lingerie pra Olivia Benson!

Fonte: Blog do Bloomberg

emMiscelâneas

Produtor do Tekken sonha com a existência de um único console

Por em 8 de agosto de 2012

dori_kat_08.08.12

Se tem algo que vem sido prometido na indústria de game há tanto tempo quanto o fim do PC como plataforma ou a chegada de gráficos fotorealista, é a ideia de termos apenas um console, preferencialmente fabricado com a ajuda das gigantes do mercado.

Se por um lado há os que defendem que isso poderia frear a inovação, impedindo que iniciativas como um Wiimote ou Kinect fossem criadas, por outro há os que acreditam que tal movimento facilitaria a vida dos jogadores, opinião defendida por Katsuhiro Harada, produtor da série Tekken.

Por muito tempo a indústria de games tem sido capaz de controlar a maneira como as pessoas jogam,” disse o japonês. “Penso que poderia ser interessante se Sony, Microsoft e Nintendo se unissem para fazer um console. Me faz muito feliz pensar sobre todas as possibilidades que poderiam acontecer por causa disso.

Quem também gostaria de ver apenas um console é Dennis Dyack, chefe da Silicon Knights, que foi até mais taxativo ao afirmar que este é um caminho inevitável a ser seguido, já que atualmente a indústria está dividida demais e como as três fabricantes possuem parcelas parecidas do mercado, fica difícil para as produtoras decidirem sobre qual plataforma apoiar.

Já Todd Howard, diretor na Bethesda, disse que seria bom se os games funcionassem como os DVDs de filmes, que podem ser assistidos no computador, no carro, na TV… Enfim, em qualquer lugar e quer saber? Se eu pudesse comprar um jogo e ele rodasse em qualquer um dos meus videogames, já me daria por satisfeitos. É triste não poder jogar com um amigo simplesmente porque comprei um determinado game para este console e ele o possui para outro.

[via Eurogamer]

emIndústria

Acer lava a roupa em público e mete o dedo na cara da Microsoft por causa do Surface

Por em 7 de agosto de 2012

lavadeiras

Tenho quase certeza de que previ algo do gênero quando falou do Surface, o tablet tudo-ou-nada da Microsoft. Só não previ que seria tão pé-na-porta, tão dedo na cara, tão “ensaboa mulata, ensaboa” quando a atitude de JT Wang, CEO da Acer.

Que os parceiros de hardware não iriam gostar da Microsoft ingressar no mercado de tablets, era favas contadas. Que iriam ODIAR, pois o Surface mais caro é um matador de netbooks, também era óbvio, mas o japa pegou pesado.

“Nós avisamos à Microsoft para pensar bem. Pensar duas vezes. [lançar tablets] vai criar um grande impacto negativo no ecossistema, e outras marcas podem ter uma reação negativa”

 

continue lendo

emIndústria

Microsoft Adquire a Perceptive Pixel Inc mas não é pro seu bico. Ainda.

Por em 2 de agosto de 2012

PerceptivePixel82

Dia 30 a Microsoft confirmou a compra da PPI, empresa especializada em touchscreens gigantes, incluindo este trambolho de 2 metros acima, que custa mais de 80 mil Dólares. Eles também tem tecnologia e patentes na área de telas mistas, reconhecendo toque e caneta ao mesmo tempo, e “rejeição de palma”, algo essencial em telas grandes, principalmente pra quem desenha.

Imagina-se que essa aquisição seja útil tanto para o PixelSense (o antigo Surface) quanto para o Surface (o novo Surface).

E por falar no antigo Surface, babe:

Fonte: BBC

emIndústria

Microsoft anuncia teclado e mouse para Windows 8

Por em 30 de julho de 2012

msteclado1

Eu digo e repito: Se a Microsoft só vendesse hardware seria a empresa mais amada do planeta. O anúncio do Surface deixou muita gente de orelha em pé, arrisco dizer até na Apple. Estão inclusive se comprometendo com datas – os tablets Windows 8 RT chegarão ao mercado dia 26 de Outubro, junto com o Windows 8.

Agora anunciaram uma série de acessórios novos, sendo que o destaque é o teclado Bluetooth para tablets, vendido por US$79,95, bem dentro da faixa de preço desse tipo de equipamento. medindo 25.6cm de comprimento, não é daqueles teclados mini que só funcionam pra Oompa Loompas. Smurfs e liliputianos.

continue lendo

emHardware

Nãotícia do dia: Microsoft, Linux e Peitchos

Por em 23 de julho de 2012

ostanNão estamos falando dos peitos da Lara Croft no próximo Tomb Raider consumirem mais recursos gráficos e processamento do que o primeiro Tomb Raider inteiro. Também não foi levantada a gritante e sexista exploração que é o Tekken Tag Tournament 2 – Bikini Edition. NEM estão discutindo a lógica de ser errado um jogo japonês de estupro de animes mas ser aceitável um GTA ou Assassin Creed da vida.

A grande discussão da semana é que, em uma linha do código-fonte que a Microsoft contribuiu para o Linux, provavelmente nos drivers do HyperV, foi encontrada a string…

“0xB16B00B5″

Como qualquer um que brincou com uma calculadora na infância sabe, letras podem se assemelhar a números, e escrever sacanagem no display era super-legal. (sim, minha infância foi patética)

Com boa-vontade entende-se a string como “Big Boobs”, peitões.

É uma bobagem que algum estagiário colocou, para não usar uma string aleatória qualquer, e aproveitar para fazer uma gracinha no código-fonte. Coisa que TODO MUNDO FAZ. Alguns têm até padrões. No meu caso variáveis não-planejadas são $jorge e já usei uma vez intFofura.

Fora os comentários. “//BACALHAU PQ O FDP DO SANCHEZ NÂO CONSEGUE FAZER UMA MALDITA STORED FUNCIONAR”, coisas do gênero.

Colocar “0xB16B00B5″ é uma brincadeira juvenil que se resume a isso, e é bem mais inofensiva do que mandar links pro Pirocóptero ou pro Goatse.cx. (não google).

CLARO, virou um escândalo. A Microsoft está sendo acusada de sexista machista esTRUpadora. Todos os casos de violência contra mulher nos últimos 500 anos foram linkados ao “0xB16B00B5″.

No Network World aparece texto de uma suposta profissional alegando que esse tipo de comportamento é o que afasta mulheres de TI e do Open Source. Ela obviamente não vai divulgar os emails com as barbaridades que programadoras e analistas enviam umas para as outras, e com certeza nunca foi pro bar com uma mulher da área.

A mais doce e inocente programadora HTML que conheço daria risada disso tudo. Aliás qualquer um com mais de 12 anos daria.

O caso foi parar até no Telegraph, a Microsoft acabou tendo que soltar um pedido de desculpas e remover o terrível e ofensivo “0xB16B00B5″, mas quem quiser bater em prostitutas com pés-de-cabra no GTA, pode continuar.

Vejam bem, as terríveis e ofensivas tufas aparecem no código-fonte, nem é em algum lugar visível. Curioso como os ofendidos não estão tendo ataques de pelanca com a quantidade de “fuck”, “shit”, “crap”, “bastard” e outras que aparecem no código-fonte do Linux. Veja, há até um site para acompanhar.

Xingar no código-fonte deveria ser um direito inalienável de um programador, assim como brincar, que é bem diferente de pregar misoginia. E se é pra ser misógino, qualquer um que considere “0xB16B00B5″ deve ter uma pia limpíssima, sem uma louça suja sequer.

emIndústria Internet