Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

GOG está perto de fechar parceria com grande editora

Por em 24 de outubro de 2012

dori_full_24.10.12

Quem gosta de jogos antigos provavelmente ficou muito feliz quando o pessoal do GOG anunciou que passaria a vender títulos da Electronic Arts e da Activision. Aquilo adicionou uma grande quantidade de jogos importantes ao catálogo da loja, mas nos lembrou que ainda faltava aparecer outras gigantes por lá.

Pois de acordo com Trevor Longino, responsável pelo marketing do serviço, felizmente pelo menos uma delas estaria bem perto de disponibilizar seus antigos sucessos na loja.

Bem, nós anunciamos há dois anos quais seriam nosso cinco principais alvos. Assinamos com dois deles e os que sobraram foram a Microsoft, a Take-Two e a LucasArt. Estamos num estágio bem avançado de conversa com um desses caras e acreditamos que provavelmente na época da nossa próxima grande conferência para a imprensa poderemos dizer, ‘Aqui, temos esses jogos.’

A negociações parecem tão avançadas que Longino afirmou que no momento estão decidindo quais títulos poderão ser vendidos e a equipe de testes do GOG já teria começado a trabalhar em alguns deles para garantir que rodarão sem problemas nas versões mais recentes do Windows.

Por se tratar de empresas tão importantes, é difícil escolher qual eu prefiro que apareça antes, já que pelo lado da Microsoft temos clássicos como o Freelancer e a série Age of Empires, enquanto que no da LucasArts temos todos os seus adventures (embora parte já esteja no Steam), além da Take-Two, dona de marcas como Civilization, Grand Theft Auto e Max Payne. Se fosse para apostar, acho que será esta última que fechará o acordo antes, mas é de longe a que menos gostaria que fosse confirmada.

[via PCGamer]

emComputadores Museu

Microsoft deve lançar suíte Office para iOS e Android em 2013

Por em 18 de outubro de 2012

office_mobile

Mesmo com o lançamento de sua nova empreitada no mundo dos tablets, o Surface, a Microsoft parece estar ciente de que a plataforma e o hardware são apenas alguns dos itens para conquistar esse novo mercado portátil (onde anda, a meu ver, meio de fora). Por isso, a empresa anunciou que deve lançar a suíte Office para os sistemas operacionais móveis iOS e Android.

Em uma busca muito básica na Apps Store e na Play Store, encontramos dezenas de apps que leem e editam praticamente todos os arquivos da suíte da Microsoft. É uma necessidade que já existe há muito tempo (desde o Palm, aliás), e que há muito tempo já vem sendo suprida por outras empresas que não a Microsoft.

Para os proprietários de iPads, inclusive, há disponível a suíte iWork, que consiste em aplicativos que fazem praticamente a mesma coisa que o Office, só que com aquele visual muito mais bonito. Não custa barato, mas vende muito bem na App Store. Para Android, também são muitos os disponíveis, como o Polaris Office, o tradicional Documents to Go e o Quickoffice.

Mas então, o que estaria fazendo a Microsoft, embarcando tão tardiamente nesse barco?

continue lendo

emApple e Mac Software

Multiplayer do Halo 4 usará 8GB do HD

Por em 16 de outubro de 2012

dori_halo4_16.10.12

Há alguns dias começaram a surgir na internet alguns vídeos que mostravam pessoas jogando a campanha inteira do Halo 4 e como o jogo só será lançado no dia 6 de novembro, aquele que pode ser considerado o maior temor de qualquer desenvolvedora acabou sendo confirmado, o tão aguardado game havia vazado.

A Microsoft correu para começar o banimento de todos aqueles que estavam aproveitando uma cópia ilegal do FPS, mas a divulgação antecipada de alguns aspectos do jogo, como a existência de um segundo disco, deixou muita gente curiosa para saber o que haveria nele e agora a companhia resolveu esclarecer a questão.

Segundo eles, para aproveitarmos toda a grandiosidade do multiplayer do jogo será preciso instalarmos o conteúdo desse disco adicional em um HD e aqueles que possuem um Xbox 360 sem tal unidade de armazenamento podem ficar tranquilos, já que um pendrive com pelo menos 8GB de capacidade servirá.

Embora essa tática já tenha sido utilizada anteriormente pela Microsoft, como no caso do Forza Motorsport 4, há pessoas que já estão reclamando da necessidade, eu no entanto acho ela bem vinda, pois pelo menos assim dispensará a troca de disco para jogarmos o mata-mata, já que após instalado o conteúdo no HD/pendrive, tudo funcionará a partir do DVD principal.

[via VG247]

emMicrosoft

Inexistência do Killer Instinct 3 não é culpa da Rare

Por em 22 de agosto de 2012

dori_ki_22.08.12

Se você sempre quis que a série Killer Instinct ganhasse um terceiro capítulo e nós últimos anos tem praguejado contra a Rare por nunca tê-lo feito, saiba que o problema pode não estar no estúdio. Pelo menos é isso o que diz Donnchadh Murphy, um ex-funcionário que jogou toda a culpa nos atuais donos da companhia, a Microsoft.

“Vários projetos foram apresentados e que acredito poderiam ter sido grandes sucessos, mas a Microsoft os rejeitou, um após o outro. Lembro de ter visto alguns protótipos que Chris Seavor [designer do Conker’s Bad Fur Day] havia feito e em que estava trabalhando que pareciam fantástico, mas eles foram arquivados. Parecia que a Microsoft não queria assumir riscos de nada que não fosse voltado para um público mais jovem. Começamos a perder muitos grandes talentos ali, as pessoas perderam a satisfação pelo trabalho, então simplesmente saíram.

Provavelmente o jogo que todos os fãs da Rare queriam ver é o Killer Instinct. Todos nós queríamos o KI3, mas a Microsoft estava mais interessada em ampliar o seu público do que em fazer outro jogo de luta. Então ele nunca foi feito e duvido que um dia será.

Por não ser um grande fanático por jogos de luta talvez a minha opinião conte muito, mas nunca consegui entender a idolatria pelo Killer Instinct. Além de achar sua jogabilidade estranha, seus gráficos nunca me agradaram e o que eu gostaria de ver mesmo era um novo Conker, desde que mantivesse o estilo politicamente incorreto do primeiro, mas pelo jeito isto também está longe de acontecer.

[via X360 Official Magazine]

emMicrosoft

Microsoft e polícia de NY desenvolvem sistema de combate ao crime

Por em 8 de agosto de 2012

ED-209

O Prefeito de Nova York Michael Bloomberg anunciou, junto com o Comissário Gordon Kelly um projeto ambicioso na área de segurança, desenvolvido em parceria com a Microsoft.

A idéia é utilizar a arma mais eficiente possível contra o crime: Informação. Não só usada para identificar e prender suspeitos, mas para mapear áreas de risco.

Composto de toneladas de bancos de dados, o Domain Awareness System, como é chamado, coloca na mão dos detetives não só a ficha completa de um suspeito, como feeds de vídeo ao vivo de câmeras da região, chamadas pro 911 relativas a um determinado crime ou suspeito, mapas com informação cronológica e toneladas de outras informações.

O DAS, além das 3000 câmeras operadas pela cidade,  também é conectado a mais de 100 leitores automáticos de placas de carros, podendo identificar em frações de segundo se um veículo suspeito foi avistado. E em tempos pós 11/9, também fazem parte do conjunto 600 detectores de radiação.

Isso vai facilitar a vida do investigador E do policial na rua, e aí entra a grande jogada: Onde isso tudo vai rodar? Exato, aposto duas mariolas e uma Narjara Tureta que funcionará maravilhosamente num Surface RT, além dos desktops.

O projeto estará disponível para aquisição por departamentos de polícia de todo o mundo, e como co-desenvolvedora a NYPD ganhará 30% de comissão. Que vá tudo em lingerie pra Olivia Benson!

Fonte: Blog do Bloomberg

emMiscelâneas

Produtor do Tekken sonha com a existência de um único console

Por em 8 de agosto de 2012

dori_kat_08.08.12

Se tem algo que vem sido prometido na indústria de game há tanto tempo quanto o fim do PC como plataforma ou a chegada de gráficos fotorealista, é a ideia de termos apenas um console, preferencialmente fabricado com a ajuda das gigantes do mercado.

Se por um lado há os que defendem que isso poderia frear a inovação, impedindo que iniciativas como um Wiimote ou Kinect fossem criadas, por outro há os que acreditam que tal movimento facilitaria a vida dos jogadores, opinião defendida por Katsuhiro Harada, produtor da série Tekken.

Por muito tempo a indústria de games tem sido capaz de controlar a maneira como as pessoas jogam,” disse o japonês. “Penso que poderia ser interessante se Sony, Microsoft e Nintendo se unissem para fazer um console. Me faz muito feliz pensar sobre todas as possibilidades que poderiam acontecer por causa disso.

Quem também gostaria de ver apenas um console é Dennis Dyack, chefe da Silicon Knights, que foi até mais taxativo ao afirmar que este é um caminho inevitável a ser seguido, já que atualmente a indústria está dividida demais e como as três fabricantes possuem parcelas parecidas do mercado, fica difícil para as produtoras decidirem sobre qual plataforma apoiar.

Já Todd Howard, diretor na Bethesda, disse que seria bom se os games funcionassem como os DVDs de filmes, que podem ser assistidos no computador, no carro, na TV… Enfim, em qualquer lugar e quer saber? Se eu pudesse comprar um jogo e ele rodasse em qualquer um dos meus videogames, já me daria por satisfeitos. É triste não poder jogar com um amigo simplesmente porque comprei um determinado game para este console e ele o possui para outro.

[via Eurogamer]

emIndústria

Acer lava a roupa em público e mete o dedo na cara da Microsoft por causa do Surface

Por em 7 de agosto de 2012

lavadeiras

Tenho quase certeza de que previ algo do gênero quando falou do Surface, o tablet tudo-ou-nada da Microsoft. Só não previ que seria tão pé-na-porta, tão dedo na cara, tão “ensaboa mulata, ensaboa” quando a atitude de JT Wang, CEO da Acer.

Que os parceiros de hardware não iriam gostar da Microsoft ingressar no mercado de tablets, era favas contadas. Que iriam ODIAR, pois o Surface mais caro é um matador de netbooks, também era óbvio, mas o japa pegou pesado.

“Nós avisamos à Microsoft para pensar bem. Pensar duas vezes. [lançar tablets] vai criar um grande impacto negativo no ecossistema, e outras marcas podem ter uma reação negativa”

 

continue lendo

emIndústria