Digital Drops Blog de Brinquedo

Curso introdutório da Linux Foundation será disponibilizado online gratuitamente

Por em 10 de março de 2014

tux-family

A Linux Foundation, a organização que promove o crescimento do SO do pinguim tomou uma atitude interessante no que diz respeito a atrair curiosos a conhecer a plataforma, principalmente àqueles que não queriam pagar por algumas horas de curso e ter um certificado original. Neste verão (no hemisfério norte, ou seja no meio do ano) entrará em vigor uma parceria com a edX, um site de cursos online gratuitos mantido pelo MIT e a Universidade de Harvard. O plano é oferecer uma versão online de seu curso básico “Introdução ao linux” totalmente de graça.

continue lendo

emComunicação Digital Internet Linux Open-Source Software Web 2.0

Fez chegará ao PS3, PS4 e PS Vita no dia 25 de março

Por em 3 de março de 2014

fez

Serei sincero, Fez é um jogo genial. Ainda que eu não tenha tempo suficiente para jogá-lo como deveria, reconheço que a única obra do atormentado Phil Fish é um game de plataforma dos mais geniais dos últimos tempos, no mesmo nível de seus “pares” que foram apresentados no aclamado documentário Indie Game: The MovieBraid de Jonathan Blow e Super Meat Boy de Edmund McMillen.

Depois de revelar no início de 2013 que o game, até então exclusivo do Xbox 360 estava a caminho de outras plataformas muitos comemoraram, mas após um ano de seu lançamento ele foi lançado somente para PC, e alguns meses depois (após a jogada de toalha de Fish e o cancelamento de Fez II) foram liberadas as versões de Mac e Linux. Os donos de sistemas da Sony vem desde então chupando o dedo, mas finalmente a espera irá terminar.

Através de uma postagem no PlayStation Blog, a produtora da Polytron Marie-Christine Bourdua finalmente fixou uma data para o lançamento de Fez: a partir do dia 25 de março donos de PS3, PS4 e PS Vita poderão adquirir o game, que foi portado pela Blit Software. Eles desenvolveram uma versão em C++ com o apoio da equipe da Sony. Ela lembra que “a demora valerá a pena”: a versão para PS4 será a mais bela vista em console, já que rodará em 1080p a 60 frames por segundo. A versão do PS3 também rodará em 60 fps, porém em resolução de 720p. E mais: a Polytron confirmou em seu blog que o game será Cross Buy e Cross Play: compre uma vez e poderá jogá-lo nos três consoles, compartilhando o save entre as plataformas. Ainda não há informações sobre o preço do game.

Com esse lançamento, é seguro afirmar que o ciclo de desenvolvimento em torno de Fez se encerrou, bem como qualquer coisa que pudesse vir de Phil Fish. Embora eu não vá muito com a cara dele, penso que o temperamental desenvolvedor é um mal necessário à indústria, numa época em que desenvolvedores viraram popstars é bom lembrar que eles são tão humanos como nós, e Fish ao menos tinha uma qualidade: ele era sincero, falava o que vinha á mente e não media consequências. Fico pensando o que poderia acontecer caso ele não tivesse desistido, embora não me surpreenderia se ele voltasse atrás do nada.

Fonte: PS Blog e Polytron.

emSony

Eu acho que já vi esse Linux da Melhor Coreia em algum lugar…

Por em 4 de fevereiro de 2014

red-flag-002

Uma coisa sobre o Linux que os defensores da plataforma adoram é o fato de que ele é livre para quem quiser utilizar e/ou modificar a seu bel prazer. O problema é que liberdade tem um preço, o sistema pode ser utilizado por virtualmente qualquer um, com a cara que o desenvolvedor resolver dar, e ninguém pode reclamar.

Foi o que aconteceu quando Cuba e Coreia do Norte resolveram abrir mão de seus computadores com cópias piratas do Windows e resolveram desenvolver versões estatais do Linux, “em nome da soberania nacional”. Muitos freetards reclamaram pelo fato da plataforma ter sido associada à ditaduras, mas liberdade vale para todos e o Windows não pode ser vendido para esses países legalmente. Cuba possui o Nova, já a Melhor Coreia desenvolveu uma distro baseada no KDE, com o nome originalíssimo de Red Star OS.

continue lendo

emComunicação Digital Linux Software

China kiba Android e iOS e lança o COS, um sistema mobile estatal

Por em 16 de janeiro de 2014

cos-china

Não é de hoje que a China faz de tudo para sugar know-how de empresas estrangeiras e implantar seus projetos democráticos populares para o benefício do povo chinês, sem ter que pagar nenhum centavo aos porcos capitalistas que exploram a nação. Por outro lado, nós que estamos do outro lado temos um nome diferente para isso: kibe. Que o diga a Kawasaki, que fechou uma joint venture com Pequim, foi expulsa do país depois de compartilhar a tecnologia de trens-bala e depois o governo chinês apresentou sua própria solução, um Ctrl+C Ctrl+V sem vergonha. Muitos países estão na mesma situação, até o Brasil: há anos o governo tenta vender aviões da Embraer, mas a joint que está kibando até a Boeing também está desenvolvendo um bólido praticamente igual ao brasileiro E-195.

Agora a bola da vez são os smartphones. Após montando smartphones e tablets e testando iOS, Android e Windows Phone em seu território, era evidente que uma iniciativa nesta área iria aparecer mais cedo ou mais tarde. Pois hoje o governo chinês revelou o COS, um sistema operacional estatal que irá equipar os smartphones vendidos no país, com a missão de combater a expansão dos três principais SOs mobile estrangeiros com um produto “popular”. E como você deve ter imaginado, o nome significa “China Operating System”.

continue lendo

emComputação móvel Comunicação Digital Mercado Mundo Estranho Planeta Sem Fio Software

CES 2014: Intel Edison, um dual-core do tamanho de um cartão SD

Por em 7 de janeiro de 2014

intel-edison

É, parece que a Internet das Coisas veio para ficar. Há quatro meses atrás a Intel apresentou o Quark, um SoC tão pequeno que chega a possuir um quinto do tamanho dos atuais e diminutos Atom. A intenção por trás da empresa é fornecer os meios para os fabricantes conectarem virtualmente tudo. E agora ela demonstrou o que é possível fazer ao apresentar o Edison, um computador tão pequeno que cabe literalmente num cartão SD.

Equipado com um Quark e construído com um processo de litografia de 22 nanômetros, o Edison é um conjunto dual-core de 400 MHz, possui conectividade Wi-Fi e Bluetooth e foi desenvolvido para rodar Linux, embora por ser de arquitetura x86 seja virtualmente possível instalar outros sistemas operacionais nele. Mais interessante, o minúsculo PC pode-se conectar à sua própria loja de aplicativos. Novamente o CEO da Intel Brian Krzanich lembrou que o Edison é voltado para desenvolvedores, fornecendo uma solução completa de hardware para ajudar a alavancar a nova geração de computadores, sejam vestíveis ou eletrodomésticos inteligentes.

A Intel demonstrou o funcionamento com uma espécie de babá 2.0: no conceito um bebê vestia uma roupa especial com sensores que monitoram seus sinais vitais e envia as informações para uma caneca com LEDs, que se acendiam de acordo com o estado do pequeno; verde se ele está confortável, vermelho em estado de alerta. Ao mesmo tempo os sensores enviam comandos para um aquecedor de mamadeiras, que entra em ação quando o bebê começa a chorar de fome.

Como a Intel não é boba ela revelou uma competição onde premiará os melhores projetos dos desenvolvedores envolvendo o pequeno computador. Sem dar maiores detalhes, Krzanich apenas disse que o valor total de prêmios será de US$ 1,3 milhão e o primeiro colocado levará a bolada de US$ 500 mil. O Edison estará disponível em meados de 2014 e seu preço não foi divulgado.

Fonte: Engadget.

emComputação móvel Comunicação Digital Destaques Hardware Mercado Mundo Estranho Planeta Sem Fio

CES 2014: Valve revela modelos e preços das Steam Machines

Por em 7 de janeiro de 2014

steam-machines

Se você esperava que Gabe Newell iria à CES 2014 para anunciar Half-Life 3, sinto desapontá-lo mas não foi dessa vez (e pelo que ele disse numa entrevista ao Washington Post, as chances dele e de qualquer outra sequência de títulos da Valve surgirem num futuro próximo é bem baixa).

Para quem está acompanhando as novidades o evento nem foi muito surpreendente, Gabe apenas revelou as empresas parceiras que serão responsáveis por fabricar as esperadas Steam Machines, a aposta da Valve para levar sua plataforma e por tabela o Linux para a sala de estar, além dos preços que variam entre as categorias “console de última geração” e “computador da NASA”. Delas, 12 detalharam seus produtos, a Alienware forneceu apenas imagens e a Maingear entrou tarde na lista e não conseguiu incluir detalhes de seu modelo.

Sem mais delongas, vamos às máquinas:

continue lendo

emComputadores Destaques Hardware

Windows 8 ganha espaço entre usuários do Steam

Por em 6 de janeiro de 2014

windows-8.1

Quem aí se lembra do período que antecedeu o lançamento do Windows 8? Várias pessoas da indústria de games declararam preocupação com a maneira como a plataforma era fechada e mesmo sem citar explicitamente isso, ficaram assustadas com a loja própria que o sistema traria, dando-se início a um processo de tentar enfraquecer a criação da Microsoft.

A investida mais forte neste sentido foi feita pela Valve, que valendo-se de sua força, propôs a utilização do Linux para games e após o anúncio de várias novidades, incluindo aí seu próprio SO, era de se imaginar que a adesão ao Windows 8 poderia sofrer, mas não foi bem isso o que uma pesquisa realizada pela editora constatou.

Se considerarmos as versões 8 e 8.1 do Windows, hoje 19,97% dos usuários do Steam usam o sistema. uma parcela que está muito abaixo dos mais de 60% dos que ainda continuam no Windows 7, mas que sem dúvida não pode ser ignorada. Na verdade, essa quantidade de pessoas é tão significativa que supera – e muito – os jogadores que utilizam Mac ou Linux, que somados são apenas 4,63%, sendo que menos de 1% estão no sistema do pinguim.

No entanto, temos que levar em consideração alguns detalhes nestes números, como o fato de a pesquisa não ser obrigatória e o estado em que o SteamOS foi liberado, pois embora ele esteja funcional, instalá-lo está longe de ser algo tão simples quanto um Ubuntu ou o próprio Windows.

Mas isso significa que fracassou a ideia de roubar a soberania da Microsoft? Ainda não podemos fazer tal afirmação. Temos que lembrar que cada Steam Machine virá instalada com Linux, o que deverá aumentar consideravelmente a utilização do sistema nos próximos meses, só resta saber quanto dos mais de 95% desse mercado eles conquistarão e principalmente, se isso será o suficiente para convencer as editoras a lançarem seus jogos para Linux e assim fazer com que mais pessoas mudem de lado.

emComputadores Games Linux