Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

HBO prepara seu serviço de streaming livre para abril

Por em 10 de dezembro de 2014

tyrion-like-a-boss

A HBO pelo visto vai mesmo entrar com os dois pés no mercado de streaming de conteúdo, graças a seu excelente acervo. E a data para a possível estreia do que pode ser ou não uma versão desmembrada da assinatura de TV do HBO Go não poderia ser mais providencial: se tudo correr bem ele será disponibilizado em abril de 2015, junto com a estreia da próxima temporada de Game of Thrones.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Destaques Entretenimento Internet Miscelâneas Planeta Sem Fio Web 2.0

HBO e JJ Abrams produzirão série baseada em Westworld

Por em 19 de novembro de 2014

westworld-yul-brynner

Muito antes dos irmãos Wachowski apresentarem o futuro distópico de Matrix, Michael Crichton já havia escrito e dirigido um filme que serviu como referência para muitos que vieram depois: Westworld foi um dos primeiros a mostrar uma realidade em que máquinas criadas pelo homem começam sistematicamente a se voltarem contra seus progenitores, sem que eles sejam capazes de reverter a situação.

Agora, mais de 40 anos depois Westworld será transformado em série, cortesia da HBO, JJ Abrams e Jonathan Nolan.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Entretenimento Miscelâneas

HBO considera oferecer serviço Go para todo mundo

Por em 12 de setembro de 2014

daenerys

Uma verdade: todo mundo adoraria assistir sua série favorita na internet em qualquer horário, com qualidade máxima, pagando o mínimo possível e principalmente sem trabalheira. Foi isso que permitiu o sucesso absoluto do Netflix e em menor grau do Hulu, que entregam uma experiência muito boa, contam com acervos excelentes e um precinho que justifique ao usuário abrir mão do torrent. Só que nem todos os donos de conteúdo pensam assim.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Entretenimento Internet Telecom Web 2.0

Time Warner rejeita oferta de US$ 80 bilhões feita pela 21st Century Fox

Por em 16 de julho de 2014

time-warner

Rupert Murdoch, o chefão da News Corp e Fox se tornou um magnata da mídia absorvendo companhias pequenas e grandes, fazendo ofertas suntuosas de dinheiro a fim de criar o que quase se tornou um monopólio da mídia, não houvessem corporações tão grandes quanto nos Estados Unidos como Disney e Warner. Não que isso o impeça de expandir ainda mais seu território, nem que tenha que gastar bilhões para absorver seus concorrentes diretos.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Entretenimento Miscelâneas

A Locadora do Paulo Coelho está falindo? Nem de longe

Por em 18 de junho de 2014

daenerys-targaryen

Com a melhoria geral das conexões de internet local, maior e melhor oferta de planos e de serviços baratos e de qualidade, era de se supor que a pirataria estaria arrefecendo. Esse seria o cenário ideal que Gabe Newell apontou como o caminho tempos atrás ao explicar o sucesso do Steam: você desestimula o download ilegal com serviços, não com combate ferrenho.

Com o passar dos anos, serviços como iTunes, Spotufy, Netflix, Hulu, PSN, GOG, Comixology, Crunchyroll e outros tem feito muito sucesso ao fazer exatamente isso: o usuário não se importa de pagar para acessar determinado conteúdo, desde que o serviço seja bom e que o valor seja justo. Entretanto a verdade é que isso apenas a ponta do iceberg.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Destaques Entretenimento Internet Telecom Web 2.0

Netflix leva o Emmy, HBO que se cuide!

Por em 23 de setembro de 2013
Laguna_Kevin_Spacey_Emmy

Kevin Spacey na entrega dos Emmys 2013 (Crédito: Entertainment Weekly)

Netflix seria a nova HBO? Ainda lembro que esta teve bastante destaque de crítica com um de seus primeiros seriados originais, o Família Soprano, tanto que tal canal fechado de TV conseguiu estabelecer alguma conexão de fidelidade com o espectador. Espectador esse que quer fugir da TV aberta, lugar onde provavelmente alguns dos atuais sucessos da HBO como Boardwalk Empire e Game of Thrones fracassariam graças ao modelo tradicional de negócios: a produtora de um seriado tem a obrigação de enviar um episódio piloto que pode simplesmente ser reprovado.

Se no final do século passado a HBO teve coragem de apresentar um seriado sem a obrigação de saciar o apetite das emissoras de TV aberta por mais e mais episódios e no menor tempo possível, liberdade que a assinatura dos usuários lhe permitiu, o tio Laguna encontra fórmula parecida no Netflix quando este começou a investir pesado em conteúdo original e exclusivo.
continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Entretenimento Indústria Internet Miscelâneas

Adivinha quem não gostou nada do Chromecast?

Por em 25 de julho de 2013

gogoni-chromecast

Vamos lá, nem é tão difícil assim: qual é o tipo de profissional ganancioso, retrógrado, nocivo e que só não dá para chamar de câncer porque o último evolui?

Pois é, executivos de TV. A possibilidade de um dongle como Chromecast, que quebra os limites entre TV e outros dispositivos permitindo que você reproduza seu conteúdo no conforto de sua tela grande acionou todas as sirenes em suas cabeças, acostumados a lucrar com pacotes extras pois consideram cada tela um serviço à parte.

O melhor exemplo é o Hulu. A empresa trata o streaming na net e o app das Smart TVs como serviços separados: você pode utilizar o serviço gratuitamente no desktop, mas para assistir seus programas na TV você precisa assinar o serviço Plus, por US$ 8/mês. Ainda que desconheçam a possibilidade de ligar um cabo HDMI entre a TV e o PC, a ideia de espelhar o streaming do Chrome na TV aterrorizou a empresa, que diz estar desenvolvendo um app para o Chromecast, muito provavelmente atrelado à Plus.

Outra que expressa preocupação é a HBO, a mesma que impediu a Apple de reproduzir seu conteúdo por muito tempo. O HBO Go, serviço de streaming da emissora só teve a função Air Play liberada em iPhones e iPads em fevereiro, e o app dedicado só chegou à Apple TV mês passado. A possibilidade de também espelhar seu conteúdo na TV sem que a emissora possa controlar isso é algo inadmissível para quem está acostumado a tratar cada device como um cliente.

Parece bobeira argumentar com um consumidor que se ele possui uma assinatura ele pode reproduzir o que quiser em quantas telas ele possuir, mas os executivos sempre desenharam uma linha entre dispositivos. Que o diga a cobrança por ponto extra em instalações de TV a cabo.

O Google não parece preocupado, na verdade segundo o gerente de do setor de desenvolvimento Ossama Alami, isso é exatamente o que a companhia quer: dar liberdade ao consumidor de reproduzir o que quiser onde quiser. Aos executivos de TV, ele deixou uma solução simples: “deixem de compartilhar seu conteúdo no Chrome”.

Conhecendo esses cabeças de ostra, não duvido que será exatamente o que eles irão fazer.

Fonte: AllThingsD.

emÁudio Vídeo Fotografia Hardware Internet Web 2.0