Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Vendas nos EUA: em junho, o PS4 atropelou o XBO, mesmo ambos agora sendo US$ 399

Por em 17 de julho de 2014
Laguna_XBO_399

Xbox One: jogos melhores, 100 dólares mais barato saindo agora com o mesmo preço do PS4 e a Microsoft segue perdendo para a Sony pelo 6º mês consecutivo nos Estados Unidos (Crédito: WP Central)

Em junho tivemos o início da Copa do Mundo no Brasil, eventos como o Google I/O e a tradicional edição 2014 da Electronic Entertainment Expo, tudo isso coincidindo com o início das férias escolares de verão nos Estados Unidos.

Graças ao pacote do Xbox One sem o Kinect v2 a 399 dólares (o acessório será lançado avulso para o PC ainda em julho), a Microsoft conseguiu vender em junho nos Estados Unidos pouco mais que o dobro de unidades que esse console havia conseguido em maio. Infelizmente isso não bastou para conter o fenômeno da 8ª geração chamado PlayStation 4.

Isso mesmo, junho foi o sexto mês consecutivo em que o console de 8ª geração da Sony permaneceu como líder em vendas nos Estados Unidos, território no qual a Microsoft liderava com o Xbox 360 na geração passada. Tanto nas vendas de hardware como software o PS4 venceu mês passado.

Sobre os jogos, Watch Dogs terminou junho com 8 milhões de cópias vendidas no mundo, sendo o PS4 o console com a versão mais vendida. Se pegarmos apenas as cópias de Watch Dogs vendidas para o PS4 (210 mil cópias somente nos Estados Unidos no mês passado) o número delas é superado pelo Mario Kart 8, pois o jogo exclusivo do Nintendo Wii U conseguiu vender um total de 885 mil cópias por lá desde o lançamento, sendo 401 mil em junho. Em terceiro lugar na gringolândia temos o velho e bom Minecraft, cuja versão 360 vendeu 151 mil cópias, 7 mil a mais que a versão PS3.

Em relação ao mercado, junho seria o último mês do ano fiscal de 2014 para algumas empresas e a receita total da indústria saltou 24 por cento em relação a junho de 2013: arrecadou US$ 736,4 milhões. Apenas em hardware, houve alta de 106%, muito provavelmente por causa da 8ª geração: foram 292,7 milhões de dólares de receita com os aparelhos. No software, a queda em relação a junho de 2013 foi de 3% e a arrecadação foi de US$ 286,8 milhões. Acessórios se mantiveram estáveis com receita de 156,9 milhões de dólares.

Segundo o NPD Group, com relação ao hardware dedicado a jogos, o ranking de vendas norte-americano ficou assim em junho:
continue lendo

emDestaques Hardware Microsoft Nintendo Sony

Kojima diz que gráficos do GTA V na nova geração o deprimiram

Por em 18 de junho de 2014

gta-5

Se você ficou empolgado com o anúncio de que o PlayStation 4, o Xbox One e o PC receberão uma versão melhorada do Grand Theft Auto V, saiba que não está sozinho, mas no caso de Hideo Kojima, o trailer divulgado durante a conferência da Sony teve um efeito bem diferente.

Muito elogiado pela sua Fox Engine, que promete fazer do Metal Gear Solid V: The Phantom Pain um dos jogos mais bonitos já criados, o japonês deu uma declaração inusitada ao descrever a sua impressão sobre o jogo.

continue lendo

emComputadores Games Microsoft Sony

GTA V chegará em breve ao PC, Xbox One e PS4

Por em 10 de junho de 2014

gta-5

Durante a sua conferência na E3 deste ano, a Sony revelou que a Rockstar lançará uma versão do espetacular Grand Theft Auto V para o novo console da empresa e para não deixar os donos de um Xbox One ou os jogadores de PC desamparados, a desenvolvedora correu para soltar uma nota oficial confirmando aquilo que todos esperavam: o jogo está chegando à nova geração!

Depois de fazer um gigantesco sucesso no PlayStation 3 e no Xbox 360, onde vendeu mais de 33 milhões de cópias, a promessa é de que o quinto jogo da série apareça nas novas plataformas durante a nossa primavera e se antes ele já era muito bonito, deverá ficar ainda melhor.

continue lendo

emComputadores Games Microsoft Sony

E3 2014 – Conferência da Sony

Por em 10 de junho de 2014

playstation

A Sony não poupou esforços em fazer uma apresentação bombástica na E3 2014, de modo a destruir a Microsoft de todas as maneiras possíveis. Como Redmond não fez questão de dar atenção a games de third parties, a turma do tio Kaz Hirai chegou com força total, despejando conteúdo que não se viu nas outras conferências: de franquias próprias a retornos inesperados de games clássicos.

continue lendo

emDestaques Games Portáteis Sony

Um celular na mão e uma ideia na cabeça… em GTA V

Por em 24 de janeiro de 2014

gta-v-photos-006

Convenhamos que Grand Theft Auto V se tornou um game que ultrapassou todas as escalas possíveis e imagináveis. Mais do que um game, o título da Rockstar está sendo considerado um fenômeno cultural. Mesmo quem não é fã da sandboxes, que não gosta de games violentos ou até mesmo não dá a mínima para videogames ao menos mostrou certo interesse nesse game, que se tornou a obra midiática mais lucrativa da história.

Mesmo pessoas que trabalham em ramos que nada tem a ver com videogames se sentiram atraídos pelo belo trabalho que a Rockstar conseguiu. Los Santos é uma cidade enorme e cheia de contrastes, como já vimos num vídeo que captura sua inesperada natureza bucólica. Agora fotógrafos profissionais e amadores estão registrando o cotidiano dessa cidade, que realmente criou vida.

continue lendo

emCultura Gamer Microsoft Sony

Os jogos cooperativos para jogadores solitários

Por em 10 de janeiro de 2014

brothers

Eu nunca havia pensando neles desta maneira, mas o IGN publicou um artigo bastante interessante onde o autor fala sobre a evolução de um estilo de game cooperativo que pode ser jogado sem a ajuda de amigos, o que eles chamam de “single-player co-op”. Tal definição pode ser contraditória e até um pouco difícil de entender, mas basta citarmos alguns títulos para notarmos como esses jogos estão ganhando popularidade.

Basicamente a ideia aqui são jogos que nos permitem controlar vários personagens ao mesmo tempo ou que nos dê a oportunidade de alternar entre eles, recurso que se tornou marca registrada nos títulos da franquia LEGO e que aos poucos está evoluindo, com um belo exemplo disso podendo ser visto no Grand Theft Auto V.

Embora sua campanha principal seja tipicamente para um jogador, a maneira como a Rockstar aproveitou os três protagonistas fez com que em muitos casos sentíssemos como se estivéssemos jogando na companhia de outras pessoas, o que fica mais claro nas missões onde os personagens precisam cooperar uns com os outros para atingir seu objetivo.

Outro exemplo muito bom é o Brothers: A Tale of Two Sons, que de forma brilhante nos coloca no comando de dois irmãos, cada um deles sendo controlado por uma alavanca analógica do joystick. Além disso ter um impacto tremendo na jogabilidade, sendo na minha opinião um dos jogos mais inovadores dos últimos anos, também influência no enredo e ao contrário de boa parte dos ditos single-player co-op, funciona muito melhor assim do que se fosse encarado com um amigo.

Enfim, muitos títulos estão se valendo desta estratégia para agradar aqueles que gostam de jogar cooperativamente, mas não gostam de depender da disponibilidade dos outros (meu caso) e há ainda aqueles caso onde a inteligência artificial pode assumir esse papel, como no Left 4 Dead, Mass Effect ou Kane & Lynch e mesmo que esta não seja a solução ideal, a linha entre single e multiplayer está se tornando cada vez mais tênue e penso que isso pode ajudar muito a aumentar a imersão nos games.

emMiscelâneas

GTA V e o risco de múltiplos protagonistas

Por em 6 de janeiro de 2014

grand-theft-auto-5

O Grand Theft Auto V possui um bom enredo, um dos mundos abertos mais incríveis já criados e tudo aquilo o que os fãs da série tanto gostam, ou seja, muito caos, porém, o grande destaque do jogo na minha opinião é a possibilidade de alternarmos entre os três protagonista, mecânica brilhantemente implementada e que trouxe alguma novidade não só à franquia, mas aos jogos de ação em geral.

Olhando para ela hoje, podemos considerar a ideia um tiro certo, mas de acordo com o diretor do game, Aaron Garbut, aquela foi uma aposta bastante arriscada.

Decidimos já no início que queríamos fazer três personagens selecionáveis, decidimos quais seriam os personagens principais e decidimos o tom geral do jogo. Então apenas os construímos, os evoluímos e deixamos que o jogo os guiasse por si só… Ter vários personagens foi uma aposta arriscado. Era uma ideia interessante e senti como se pudéssemos fazer coisas interessantes com ela, mas também que seria uma mudança para a essência do jogo que poderia produzir efeitos negativos. Acho que funcionou.

E como funcionou! Porém, acho que eles foram tão longe que poderão se tornar refém da sua própria criação, afinal, quando o próximo Grand Theft Auto for lançado, duas cosias poderão acontecer, que é eles abandonarem os múltiplos protagonistas e serem criticados por terem dado um passo atrás e seguir no mesmo caminho e vejam só, sofrerem ataques por não terem inovado.

No entanto, estamos falando de uma desenvolvedora que tem se especializada em se reinventar e se depois do Red Dead Redemption eles conseguiram nos surpreender com o GTA V, não ousarei duvidar da capacidade dos profissionais que trabalham na Rockstar.

Fonte: The Escapist.

emMiscelâneas