Digital Drops Blog de Brinquedo

Google fica fora do ar por menos de cinco minutos e leva 40% do tráfego web com ele

Por em 17 de agosto de 2013

gmail_downtime

Quando qualquer serviço web capota, é mais do que normal que os usuários afetados reclamem. Afinal, tudo o que a gente não quer é ficar sem poder usar o que gosta. É assim quando o Outlook.com, Instagram, Gmail e muitos outros simplesmente saem do ar, deixando os seus usuários na mão. Entretanto, quando o problema afeta toda uma empresa e retira do ar dezenas de serviços utilizados por centenas de milhões de usuários ao redor do mundo, a coisa fica bem mais séria.

Na noite da última sexta-feira, por volta das 20 h (horário de Brasília), o Google sofreu um apagão em todo o mundo. Apesar do número de serviços e usuários afetados, o blackout durou menos de cinco minutos e logo foi restabelecido. Na minha opinião, o mais impressionante foi como a queda dos serviços da gigante das buscas afetou o tráfego web mundial.

De acordo com a empresa de análise web GoSquared, durante os meros cinco minutos em que os serviços do Google ficaram inacessíveis, nada menos que 40% de todo o tráfego web simplesmente sumiu. Ninguém conseguia assistir vídeos no YouTube, enviar mensagens pelo Gmail, acessar os arquivos do Google Drive… nada, tudo parou. No entanto, o apagão não afetou somente o Google. Imaginem quantas milhões de pesquisas e, consequentemente, acessos deixaram de serem feitos pela indisponibilidade do Google Search.
continue lendo

emDestaques Google Internet

Novo app do YouTube, lançado pela Microsoft, é bloqueado pelo Google

Por em 15 de agosto de 2013
App do YouTube para WP, desenvolvido pela Microsoft, não ficou dois dias no ar

App do YouTube para WP, desenvolvido pela Microsoft, não ficou dois dias no ar

Estava, há alguns minutos, pensando em como iniciar este texto, mas, como ainda não consegui parar de rir, vou começar assim mesmo.

Na última terça-feira, eu escrevi, aqui no Meio Bit, que a Microsoft havia relançado o app do YouTube desenvolvido por ela para a plataforma Windows Phone. No lançamento, a empresa afirmou ter trabalhado juntamente com o Google para que todas as diretrizes da gigante das buscas fossem atendidas e, assim, os usuários do WP finalmente pudessem desfrutar de um app “nativo” para ver os vídeos. Mas, aparentemente, a empresa não fez o dever de casa direitinho.

Nesta quinta-feira, o Google bloqueou o acesso da Microsoft à API do YouTube, tornando o app… bem, um app morto. De acordo com o que o The Verge conseguiu apurar junto ao Google, “a Microsoft não fez as melhorias necessárias na navegação para permitir uma experiência completa do YouTube e, em vez disso, lançou novamente o aplicativo do YouTube que viola os nossos Termos de Serviço”. Ainda de acordo com o Google, a decisão da empresa foi tomada pois a empresa valoriza “a nossa ampla comunidade de desenvolvedores e, portanto, quer que todos adiram às mesmas diretrizes”. A Microsoft, por sua vez, se limitou a confirmar o bloqueio e diz que está trabalhando para resolvê-lo.

Por que o Google bloqueou a Microsoft, mas não bloqueou o Facebook quando fez aquela lambança no Google Play? Por que a Microsoft não consultou o Google antes de lançar o raio da nova versão? Independentemente das respostas, o que ninguém pode negar é que, como sempre, o prejudicado acaba sendo o usuário.

Atualização: o The Verge conseguiu mais informações sobre a confusão envolvendo as duas empresas. Segundo o site, uma das imposições do Google era para que a Microsoft fizesse todo o app do YouTube utilizando HTML5 para dar, ao usuário, a mesma experiência de uso que há nos apps oficiais para Android e iOS (que, vale ressaltar, não são feitos em HTML5), mas a empresa do tio Bill diz ser impossível na atual plataforma móvel da Microsoft.

Resumindo, o Google faz exigências que sabe que a Microsoft não pode cumprir, ao mesmo tempo em que não disponibiliza o seu próprio app para WP. Interessante ver o descaso que a gigante das buscas tem que os usuários da Microsoft, atitude muito diferente da que tem com os usuários da Apple.

emCelular Computação móvel Google Internet Meio Bit Microsoft Mobile Software

Google Search está aprendendo a ouvir: busca por voz estará presente em Gmail, Calendar e Google+

Por em 15 de agosto de 2013

google-search

O Google Search ainda está bem limitado no que diz respeito a entender português, mas o sistema continua recebendo melhorias significativas em inglês. Hoje a empresa divulgou que o recurso presente no Google Now recebeu passe livre para outras aplicações, e em breve a busca por voz estará presente no Gmail, Calendar e Google+.

Por enquanto exclusivo para usuários dos Estados Unidos, a ferramenta vai permitir que você pergunte diretamente ao Google sobre situações de seus voos, entregas, fotos compartilhadas no Google+ e outras coisinhas. A vantagem agora é que além de não mais precisar abrir o Google Now para isso, o Google se concentrou no último ano para melhor o algoritmo de reconhecimento de voz e ampliou seu banco de dados, tudo para fazer com que a conversação seja a mais natural possível. Basta perguntar: “a que horas sai meu voo?” ou “onde está minha encomenda”, ou ainda “mostre minhas fotos de Salvador”. O Search vai fazer o que já está acostumado, independente de qual app do Google você esteja usando.

O serviço está sendo ativado aos poucos para usuários americanos. Eles poderão tanto desativar a pesquisa por voz em apenas um único serviço como desligá-la completamente, através da opção Preferências de Pesquisa. A busca poderá ser realizada por tablets, smartphones e no Chrome. Ainda não há uma previsão de quando a novidade vai se estender a outros países, mas no caso do Brasil acredito que vá demorar um bocado, primeiro ele precisa aprender português direito.

Fonte: Google.

emComputação móvel Google Planeta Sem Fio Software Telecom

Google+ para Android ganha integração com o Drive, melhorias no compartilhamento de localização e outras novidades

Por em 14 de agosto de 2013

google_plus_android_update

O Google começou a liberar, nesta quarta-feira, uma atualização para o aplicativo do Google+ para Android que traz excelentes novidades, principalmente para os usuários que precisam administrar perfis e páginas ao mesmo tempo, além de melhorias no sistema de compartilhamento de localização e integração com o Google Drive.

continue lendo

emCelular Computação móvel Google Internet Software

Não espere privacidade do Gmail, diz Google

Por em 14 de agosto de 2013

1984

Há tempos que privacidade é o assunto do dia na internet, depois que Edward Snowden jogou tudo no ventilador sobre a espionagem praticada mundo afora pela NSA.

Respondendo a uma ação onde é acusado de invasão de privacidade, o Google, que escaneia automaticamente emails para filtrar spam e exibir publicidade direcionada a seus usuários, alega que os mesmos autorizaram isso em troca do serviço de email. A declaração vai além, dizendo que há jurisprudência sobre o assunto, citando uma decisão da Suprema Corte norte-americana de 1979.

continue lendo

emInternet Telecom

Após pagar US$ 2 milhões em recompensas, Google aumenta o valor por relatos de bugs

Por em 14 de agosto de 2013

money_dolar

Pagar às pessoas que encontrarem falhas de segurança nos produtos e serviços e evitar um grande desgaste da marca é, sem dúvida, uma das ações mais inteligentes que grandes empresas podem fazer. O Google tem investido pesado nisso e, de grão em grão, a empresa desembolsou, nos últimos três anos, a bagatela de US$ 2 milhões (algo perto de R$ 4,6 milhões) aos usuários que reportaram falhas nos mais variados serviços e, claro, ao projeto Chromium, que dá origem ao Chrome. E, ao que tudo indica, o Google quer -comprar- incentivar os usuários a reportarem cada vez mais vulnerabilidades.

A empresa anunciou, nesta terça-feira, que está elevando “significativamente” os valores das recompensas pagos aos usuários. Como exemplo, o Google citou os bugs aos quais a empresa pagava US$ 1.000,00 e que, agora, passarão a valer US$ 5.000,00. O programa de recompensa prevê o pagamento de valores mais altos às falhas que comprometem mais seriamente a segurança dos usuários, além de valorizar os relatos que incluam uma análise precisa da exploração e da gravidade da vulnerabilidade.

Se, por diversão ou passatempo, você gosta de fuçar nos produtos e serviços do Google procurando falhas, esta pode ser uma excelente oportunidade de garantir um dinheirinho extra.

Fonte: 9 to 5 Google.

emGoogle Internet Segurança

Microsoft publica nova versão do seu polêmico app do YouTube para Windows Phone

Por em 13 de agosto de 2013

microsoft_app_youtube_wp

É bem provável que você, leitor, se recorde da pequena grande confusão que houve em maio, quando a Microsoft lançou um app do YouTube para Windows Phone que, dentre outras coisas, permitia que o usuário baixasse os vídeos e, a cereja do bolo, bloquear os anúncios exibidos pelo serviço de vídeos do Google. Se não se recorda, há um resumo dela aqui no Meio Bit escrito pelo Gogoni.

Para a alegria dos usuários do WP, nesta terça-feira, a Microsoft finalmente lançou uma nova versão do app do YouTube. De acordo com a empresa, a nova versão pretende fornecer uma boa experiência aos usuários e que contempla “as preocupações expressas pelo Google”, dentre elas, a adição de anúncios e a remoção da possibilidade de se realizar downloads dos vídeos. Além disso, a nova versão passa a permitir que os usuários façam upload de seus vídeos, tornando o app mais útil. No anúncio, a empresa agradece o apoio dado pelo Google “para garantir que os usuários do Windows Phone tenham uma experiência de qualidade no YouTube” e que Microsoft continua “ansiosa para dar prosseguimento à parceria”.

Para mim, a primeira coisa que fica muito clara é a vontade da Microsoft de levar, aos usuários da sua plataforma móvel, os benefícios de alguns dos serviços do Google (mesmo que enfiando os pés pelas mãos). A segunda e mais estranha é o pouco caso que o Google continua fazendo com os usuários do concorrente do robozinho verde. Diferentemente do que faz com a Apple, quando, muitas vezes, libera novidades aos usuários do iOS antes mesmo do Android, a gigante das buscas parece estar pouco se lixando com os usuários da Microsoft. Decisão, esta, lamentável.

Fonte: Engadget.

emCelular Computação móvel Internet Software