Digital Drops Blog de Brinquedo

A Globo não curte mais o Facebook… Magoei. :(

Por em 11 de abril de 2013

Alheia ou indefesa ao crescimento do Facebook, as organizações Globo decidiram executar uma manobra um tanto polêmica. Todas postagens para conteúdos do G1, O Globo ou Editora Globo não poderão mais conter links ou deeplinks.

Deeplink, no jargão dos mercenários da internet, é um link que direciona um usuário para dentro de um site e não para uma capa geral ou de categoria. Para os usuários dos serviços da empresa, ficará um pouco mais trabalhoso acessar o conteúdo, visto que terão de buscar a página do veículo e então buscar a notícia.

Veja o impacto disso nas publicações da revista Época:

epoca-sem-links

Quer ver o post? Veja lá no perfil da revista no Facebook e tente procurar depois no portal.

Tipo assim, é algo que o Meio Bit jamais faria sem um pedido direto da Luciana Vendramini. E não por mais do que 1 dia, a não ser que ela venha pelada e traga cerveja. Aí pode ser que aguentemos 2 dias sem postar links onde quer que seja.

Bom, voltando à Globo, há algumas explicações para essa manobra:
continue lendo

emInternet Propaganda & Marketing Publicidade Web 2.0

Gradiente reconhece: “meu iPhone não é tão bom quanto o da Apple, mas compre assim mesmo”

Por em 27 de dezembro de 2012

Ao falarmos sobre emissoras de televisão que transmitem gratuitamente sua programação e, em teoria, vivem de publicidade, é consenso que no Brasil temos a Rede Globo e o resto: as outras emissoras de TV aberta simplesmente disputam migalhas da audiência não coberta pela maior rede de televisão deste país. Há momentos em que as outras emissoras simplesmente reconhecem que não podem concorrer contra a “Vênus Platinada”: o SBT, na época em que era vice-líder de audiência, já tentou concorrer contra os filmes da Globo ao propagandear que exibiria produções de gêneros bem distintos dos filmes exibidos pela emissora da Máfia, digo família Marinho.

Inclusive o tio Laguna lembra que quando o terceiro filme da franquia Rambo chegou aos cinemas brasileiros, Globo e SBT iriam exibir os filmes anteriores no mesmo dia e horário. Entretanto, quando chegou o tão anunciado momento, o sensato dono do SBT, Silvio Santos, anunciou pessoalmente na TV que o primeiro Rambo seria exibido num outro dia e colocou qualquer coisa para concorrer contra o segundo Rambo, exibido na Globo. Utilizando-se de um raciocínio parecido, a Gradiente tenta explicar a confusão, que envolve a marca iPhone no Brasil, num vídeo no mínimo bizarro:

A bela voz feminina explica que “iPhone” é uma palavra criada pela empresa brasileira e que seria resultado da junção de internet e telefone, mas o mais gozado é ver a Gradiente enaltecendo o produto da Apple ao dizer que os verdadeiros iPhones teriam maior velocidade e melhor resolução que os celulares Android que ela venderá sob tal marca mundialmente famosa. Sim, a empresa brasileira reconhece claramente que o produto que venderá é inferior.

Não basta o Brasil ser o país do coitadismo, dos ativistas políticos bundões e dos gafanhotos digitais, também somos o país onde o iPhone nacional usa 2 chips SIM e roda Android. Ao menos os chineses kibam as coisas em silêncio. Ou quase isso.

emApple e Mac Destaque Mercado Mundo Estranho Propaganda & Marketing Publicidade

YouTube transmitirá jogos da Copa América — mas não no Brasil…

Por em 16 de junho de 2011

Éééééé do Brasil!

Cansado do Galvão? Longe de uma TV ou impossibilitado de ligar seu xing-ling celular com TV digital no trabalho? A Google tem a solução para o seu problema!

Às vésperas do início da Copa América que, nessa edição, rolará na Argentina entre os dias 1º e 24 de julho, a gigante das buscas anunciou que o YouTube transmitirá, na íntegra, todos os 26 jogos da competição com narração exclusiva, além de destaques das partidas e compilações de gols. Tudo isso no canal Copa América.

continue lendo

emGoogle Internet Meio Bit

A TV Interativa chegou, mas pra que ela serve mesmo?

Por em 27 de junho de 2010

Há algumas semanas, a Sony liberou uma atualização habilitando o Ginga (ou seja, o Middleware usado para interatividade na TV Digital brasileira) nas suas TVs da “linha 2010″. Como tenho uma dessas TVs, logo atualizei para ver como é a tal TV Interativa.

No exterior, ela é considerada um fiasco, mas será que por aqui a história se repete?

continue lendo

emAnálise Áudio Vídeo Fotografia Meio Bit