Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Humble Bundle agora tem uma loja

Por em 12 de novembro de 2013

dont-starve

Além de ajudar diversas instituições de caridade, o Humble Bundle se tornou uma excelente maneira de adquirirmos jogos para PC por preços muito inferiores ao que normalmente nos é cobrado e depois de ter nos dados diversas oportunidades de aumentar nossas bibliotecas, os responsáveis pelo serviço fizeram o inevitável e lançaram uma loja.

Embora lugar não tenha adotado o modelo “pague o quanto quiser” que se tornou marca registrada dos pacotes vendidos por eles, 10% de tudo o que for vendido na loja será doado à caridade e mesmo que a quantidade de títulos à disposição não seja muito grande, pelo menos por enquanto há uma série de promoções interessantes acontecendo.

Neste sentido os destaques vão para o The Swapper, por US$ 4,99; o excelente Euro Truck Simulator 2, o Natural Selection 2 e a versão completa do Orcs Must Die! 2, cada um deles saindo por US$ 6,25 e eu ainda recomendaria o Don’t Starve, por US$ 7,49; sendo que todos podem ser ativados no Steam.

A julgar por este início, não dá para dizer que a loja do Humble Bundle conseguirá fazer frente a gigantes como o Steam, GOG ou Green Man Gaming, mas é sempre bom termos mais uma opção na hora de comprar um jogo e se parte do nosso dinheiro ainda servirá para ajudar algumas pessoas, como reclamar?

emComputadores

Steam chega a 65 milhões de usuários

Por em 31 de outubro de 2013

steam

Se você acompanha a indústria de games há um bom tempo, provavelmente já ouviu a história de que o PC, como plataforma de jogos, estava morrendo. Talvez isso nunca tenha chegado realmente perto de acontecer, mas se tem uma coisa que contribuiu muito para provar que valia a pena continuar investindo nos computadores, foi o Steam.

Este ano o sistema da Valve completa 10 anos de existência e um dos indícios de que ele segue muito bem é a sua quantidade de usuários, que de acordo com a empresa, acaba de ultrapassar a marca de 65 milhões. O número se torna ainda mais impactante ao sabermos que trata-se de um aumento de 30% em relação ao registrado no ano passado.

O objetivo principal do Steam sempre foi aumentar a qualidade da experiência do usuário ao reduzir a distância entre os criadores de conteúdo e seu público,” disse Gabe Newell, presidente da Valve. “Conforme a plataforma cresce, nosso trabalho é adaptá-la às mudanças exigidas tanto pelos desenvolvedores quanto pelos usuários. No ano que vem, planejamos fazer o que talvez será a nossa maior colaboração com ambas as comunidades, através do Steam Dev Days e do beta do Steam Machines.

Como bem lembrou Newell, o mais impressionante no Steam é que o programa está sempre evoluindo e quando achamos que eles não tem mais nada para nos oferecer, surgem com propostas inovadoras e arriscadas, como um sistema operacional e um controle que promete substituir a dupla teclado e mouse.

Muitos gostam de citar as promoções incríveis que a loja costuma fazer como o motivo do seu sucesso, o que não deixa de ser verdade, mas na minha opinião, a grande sacada da Valve foi utilizar o sistema para criar um ambiente simples e agradável no PC, há muito tempo já tendo aproximado a plataforma do que víamos nos console.

Lembre-se, usando o Steam não precisamos instalar jogos, podemos ter contato com nossos amigos e ainda temos acesso a modificações, tutoriais e até programas, logo, não é de se estranhar que o serviço de distribuição digital esteja crescendo tanto e ainda tenha potencial para ir muito além.

Fonte: The Verge.

emComputadores

Sony detalha compartilhamento digital no PS4

Por em 28 de outubro de 2013

PlayStation 4

A Sony havia deixado claro – e de forma bem humorada – que permitiria que os jogos físicos do PlayStation 4 poderiam ser trocados e emprestados, mas restavam algumas dúvidas em relação a como funcionaria o compartilhamento de contas no console e através de uma seção de perguntas e respostas, algumas dúvidas foram eliminadas.

Conforme explicou a fabricante, cada usuário terá sua conta atrelada a um console principal e a partir do momento em que ele baixar um determinado jogo neste aparelho, qualquer um que utilizar o videogame poderá aproveitar o título, mesmo que estejam logados como outro usuário. Além disso, se o titular for assinante da PS Plus, pessoas que utilizarem aquele PS4 também terão direito aos benefícios da conta principal, como acesso as porções multiplayer dos jogos.

A grande diferença em relação ao modelo atual diz respeito ao compartilhamento entre videogames diferentes, pois embora isso ainda será possível, no PlayStation 4 apenas aquele que comprou um jogo poderá iniciá-lo e só o assinante terá acesso às vantagens da PS Plus, o que provavelmente fará com que os jogadores percam o interesse em dividir suas contas com amigos.

Como tais informações só foram confirmadas agora, faltando poucos dias para o lançamento do videogame, será interessante ver como os interessados em adquirí-lo encararão as mudança, mas quem achava que a Sony adotaria uma postura muito mais aberta em relação a esse aspecto, imagino que agora esteja um pouco decepcionado.

emGames Sony

Versão digital do Killzone: Shadow Fall terá 50 GB

Por em 1 de outubro de 2013

Killzone-Shadow-Fall

Uma das coisas mais legais da próxima geração é a promessa de que os jogos serão lançado também digitalmente, algo que poderá facilitar muito a vida dos brasileiros. Pelo menos na teoria isso nos dará acesso a um número maior de títulos de forma mais rápida e barata, mas se você está empolgado com esta possibilidade, é bom preparar a banda larga, pois alguns lançamentos poderão ser bem grandes.

Peguemos como exemplo o Killzone: Shadow Fall. Segundo Fergal Gara, diretor da Sony no Reino Unido, quem preferir adquiri o jogo digitalmente terá que baixar 50 GB de dados, o que para muita gente deverá ser um verdadeiro tormento.

Primeiro de tudo, a distribuição digital definitivamente crescerá como forma de consumo e haverá grandes inovações no PS4 para fazer isso mais atraente e fácil para o jogador que queira fazer um download.

A funcionalidade ‘Jogue enquanto baixa’, por exemplo, significa que você não precisará de todos os arquivos antes de jogar. Isso será um pouco contrabalanceado pela fato de que os arquivos em si se tornarão bem maiores. O Killzone: Shadow Fall será bem grande – acho que terá 50 GB.

De fato essa possibilidade de jogarmos antes mesmo de termos baixado todo o jogo poderá ser algo muito bom, mas Gara admite que o serviço de downloads da PSN precisa melhorar muito, o que qualquer pessoa que tenha baixado algo na rede da Sony deve estar careca de saber e se hoje já temos títulos que beiram os 20 GB e alguns que passam de 40 GB, como o Uncharted 3, com os novos consoles isso deverá se tornar ainda pior e mais frequente.

Fonte: Gamespot.

emSony

Microsoft diz que há espaço para vendas físicas e digitais

Por em 26 de setembro de 2013

xbox-360-disc

Com a popularização do Steam e a chegada da próxima geração se aproximando, tem se tornado cada vez mais forte a ideia de que a distribuição digital engolirá as vendas físicas, mas para Pav Bhardwaj, gerente de produto da Xbox Live, isso não precisa acontecer.

Eu não acredito que existirá mais produtos digitais do que físicos. Na verdade penso que todo o mercado crescerá. Acho que existe espaço para ambos – há um certo tipo de consumidor que realmente quer um produto físico, porque, quem não quer essas edições limitadas com embalagens steelbook? Acho que todo mundo quer isso e há um certo tipo de consumidor que quer o digital.

Então, acho que existe espaço para ambos e é nosso dever crescer com toda a indústria, oferecendo às pessoas que querem um certo tipo de produto de uma certa maneira.

Concordo com Bhardwaj e até espero que as vendas físicas não fiquem limitadas apenas as edições especiais, mas o que acho realmente interessante – e até importante – nesta nova geração é esse conceito de oferecer os jogos tanto física quanto digitalmente. Assim todo mundo poderá adquirir os games da maneira que achar melhor e só gostaria que os jogos comprados pela rede custassem um pouco menos.

Fonte: OXM.

emDestaques Indústria Microsoft

OMG! Steam permitirá o compartilhamento de contas

Por em 11 de setembro de 2013

Steam-Family-Sharing

Em um comunicado que pegou todo o mundo de surpresa, a Valve anunciou há pouco uma função que deverá fazer com que o Steam seja capaz de conquistar um número ainda maior de usuários, trata-se do Steam Family Sharing.

Como o nome sugere, basicamente o que a novidade fará é permitir que as pessoas sejam capazes de compartilhar suas contas com amigos e familiares, assim aqueles que você escolher (de um total de 10 computadores) terão acesso a todos os títulos que possui e a coisa só melhora, pois a grande sacada é que ao fazer isso a pessoa não interferirá nas suas conquistas ou progresso, já que essas informações ficarão atreladas à conta dela.

Nossos consumidores expressaram o desejo de compartilhar seus jogos digitais com amigos e familiares, assim como seus jogos, livros e DVDs adquiridos fisicamente podem ser compartilhados,” declarou Anna Sweet, da Valve. “O Steam Family Sharing foi criado como uma reposta direta aos pedidos dos usuários.

Contudo, o sistema terá algumas limitações, como o fato de nem todos os jogos poderem ser compartilhados e apenas uma pessoa ter acesso por vez à biblioteca, dando ao convidado mais alguns minutos para jogar quando o dono iniciar uma partida e ainda lhe dando a opção de comprar o título, mas sinceramente? A novidade é tão fantástica que não consigo lamentar isso.

Sem uma data para que o período de testes tenha início, os interessados deverão se inscrever neste grupo para tentar ganhar acesso à função e confesso que ainda não consegui assimilar muito bem o impacto inicial da notícia. Na minha opinião, se o número de títulos disponíveis for grande, chego a achar a ideia tão fantástica que não estranharei se a Valve conseguir mudar radicalmente toda a indústria de games com essa iniciativa.

emComputadores Destaque Destaques Games

GOG não planeja vender jogos para Linux

Por em 10 de setembro de 2013

gog

Muito devido a inciativa da Valve e que foi seguida por algumas desenvolvedoras, aos poucos os gamers que utilizam o Linux como sistema operacional tem ganhado motivos para sorrir, mas se depender de outro serviço de distribuição digital, o GOG, essas conversões não se tornarão tão comuns quanto poderiam e quem explicou o motivo desta resistência foi o responsável pelo marketing da empresa, Trevor Longino.

Infelizmente pouco mudou na nossa posição em relação a dar suporte ao Linux nos últimos meses e há uma razão principal para isso. Desde o nosso nascimento, há cinco anos, temos dado total suporte aos consumidores em todos os jogos que lançamos e isso não mudará. Para cada jogo que lançamos damos garantia de total devolução do dinheiro: se não pudermos fazer o jogo funcionar no computador do consumidor através da ajuda da nossa equipe, devolvemos o dinheiro.

A arquitetura do Linux, com suas muitas distros, cada uma delas sendo atualizadas constantemente torna incrivelmente desafiador para qualquer companhia de distribuição digital poder testar apropriadamente o jogo em questão e então oferecer o suporte para o lançamento.

Longino disse que eles poderiam liberar um aplicativo que venderia os jogos e deixasse que os usuários do Linux se virassem para fazer com que eles funcionassem corretamente, mas que isso está fora de cogitação devido a política de negócios que adotaram.

Se por um lado considero a atitude deles louvável, por outro acho triste pensar que com essa “desistência” perdemos uma ótima oportunidade de termos acesso a uma vasta biblioteca de títulos antigos que cairiam muito bem em computadores mais modestos rodando Linux, quem sabe até videogames portáteis usando o sistema do pinguim.

Fonte: Destructoid.

emComputadores Linux Museu