Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Origin está perto de alcançar 40 milhões de usuários

Por em 11 de fevereiro de 2013

dori_ori_11.02.13

Apesar de contar com uma respeitável linha de jogos, a Electronic Arts está longe de ser uma das editoras mais amadas pelos gamers e não é raro encontrarmos pessoas que odeiem o Origin ou que simplesmente preferem ficar sem jogar um determinado título apenas porque ele será vendido pelo seu serviço de distribuição digital

Mesmo assim, a EA afirma que a loja está indo muito bem e soltou um comunicado afirmando que o número de usuários está perto de ultrapassar a casa de 40 milhões. A façanha se torna ainda mais impressionante quando nos damos conta de que em outubro passado eles tinham “apenas” 30 milhões de usuários, mostrando um crescimento notável num curto período. Só para termos uma ideia, embora eu não tenha encontrado o número atual de usuários no Steam, a loja da Valve só conseguiu chegar aos 40 milhões em janeiro do ano passado.

Além disso, a empresa liberou uma versão para Mac que conta com 50 jogos, inciativa que certamente aumentará o número de consumidores e ainda aproveitou para dizer que o catálogo para PC já conta com mais de 500 títulos de 70 estúdios diferentes, número que infelizmente é muito menor na versão brasileira do serviço.

Eu não diria que sou uma pessoa que morre de amores pelo Origin, mas também não consigo entender muito bem o ódio que alguns possuem pela loja. Já comprei vários jogos por lá e mesmo reconhecendo que o serviço está longe da qualidade de um Steam, apenas me limito a iniciar o game e na maior parte do tempo esqueço que ele existe, então não vejo tantos problemas.

[via CVG (1 e 2)]

emComputadores Indústria

Steam e a perigosa tentativa de se tornar uma loja mais aberta

Por em 8 de fevereiro de 2013

Ultimamente Gabe Newell tem dado diversas declarações sobre a preocupação da Valve em tentar adaptar o Steam as mudanças do mercado, algo que ele afirma ser necessário para que o serviço não perca sua liderança e durante uma interessantíssima palestra aos estudantes da Universidade do Texas o executivo falou um pouco sobre como eles pretendem facilitar o processo de publicação através da loja.

Neste momento o Steam é essencialmente uma loja controlada. É um monte de outras coisas, mas você pode pensar nele como uma loja controlada por nós. Nós temos essas pessoas que trabalham duramente recebendo telefonemas de outras companhias dizendo, ‘Ei, vocês podem colocar meu jogo no Steam’, e elas respondem ‘Oh, sabe, nós publicamos três jogos hoje…’.

Essencialmente – querendo ou não – nós nos tornamos um gargalo em termos de conteúdo se conectando ao usuário… Ao invés de ter esse loja controlada queremos dizer, ‘Ok, se você pensar sobre isso corretamente, seria algo como uma rede API.’ Deve ser esse modelo de distribuição – e sim, você precisa se preocupar com vírus, malwares e coisas desse tipo – mas essencialmente qualquer pessoa deveria ser capaz de publicar qualquer coisa no Steam.

Tal comentário provavelmente agradará algumas desenvolvedoras, já eu imagino que algo tão anárquico seja um tanto perigoso e a única coisa que consigo pensar é no Steam se transformando em alguma coisa parecida com o canal indie da XBox Live ou o Google Play e não tenho a menor dúvida de que não gostaria de ver isso acontecer.

É evidente que dar mais liberdade aos pequeno criadores poderia fazer surgir diversos jogos interessantes e abriria muitas possibilidades, mas por outro lado, tente imaginar o inferno que seria tentar encontrar algo que preste no meio de milhões de porcarias ou títulos que tentem simplesmente nos roubar e para ter uma noção de como seria, lembre-se do início do Steam Greenlight ou mesmo das reclamações que inundaram a internet na época do lançamento do The WarZ.

continue lendo

emComputadores

Poderia a distribuição digital ter salvado a THQ?

Por em 31 de janeiro de 2013

dori_thq_29.01.13

Quando a situação da THQ começou a se tornar insustentável, o CEO da Ubisoft deu uma declaração onde dizia que é normal em um período de transição grandes empresas desaparecerem e se não bastasse estarmos na troca de gerações, temos ainda o surgimento da concorrência dos smartphones e tablets, além dos jogos gratuitos e para Jason Rubin, fundador da Naughty Dog e presidente da THQ, uma maior popularização da distribuição digital poderia ter salvado a companhia.

Acredito que num futuro próximo a distribuição digital e os modelos de negócios alternativos trarão uma grande porcentagem dos dólares gastos nos games para as editoras/desenvolvedoras. Baseado nesta mudança, em poucos anos a THQ seria capaz de sobreviver e editoras maiores poderão ser ainda mais rentáveis. Porém, os próximos anos de transição serão incrivelmente desafiadores para todas os criadores de jogos de grande porte.

A Clearlake [Capital Group] forneceria o capital para a THQ fazer a ponte para esse período. O tempo dirá se estou certo, mas infelizmente eu não poderei provar essa ideia com a THQ.

Acredito que hoje em dia ninguém discorde de que a distribuição digital é mesmo benéfica para a indústria e que com ela muitos obstáculos são eliminados, porém, será mesmo que apenas isso resolveria a situação? Acho que até disse em algum texto que não lamento tanto o fim da THQ, afinal o fracasso é apenas consequência das decisões equivocadas daqueles que a geriram e o que garante que se tivesse entrado mais dinheiro eles não teriam aplicado em produtos que não obteriam sucesso?

[via MCV]

emIndústria

Vários jogos no Origin por R$ 10

Por em 23 de janeiro de 2013

dori_bc2_23.01.13

Se você não vê problemas em adquirir jogos através do Origin e está procurando alguns bons títulos para aumentar sua coleção, vale a pena dar uma olhada nesta promoção que o serviço de distribuição digital da EA está realizando.

Nela teremos a opção de adquirir, até a próxima segunda-feira (28/01), uma grande quantidade de jogos pelo preço irrisório de R$ 10 e se boa parte deles não chamará a atenção de muitos leitores por serem relacionados à série The Sims, há muita coisa ali que na minha opinião valem muito mais do que o valor pedido.

As minhas principais recomendações seriam o Alan Wake Collector’s Edition, Battlefield: Bad Company 2, Burnout Paradise e Dragon Age: Origins, além dos dois primeiros Mass Effect e do Medal of Honor, que mesmo estando repleto de bugs e de ter uma campanha pouco inspirada, por esse preço vale a pena.

Todos esses que citei eu já possuo, então deixarei passar, mas dois que estou pensando em adquirir são o Jagged Alliance: Back in Action, que me deixou uma ótima impressão quando joguei sua demo e o Game of Thrones, mas a recepção por parte da crítica não foi das melhores e… até onde sei não pode ser ativado no Steam Smiley de boca aberta

[com dica do @Desgastada]

emComputadores

A (fraca) promoção de fim de ano do Steam

Por em 2 de janeiro de 2013

dori_rct3_02.01.12

Não há como negar que as promoções realizadas regularmente pelo Steam são fantásticas. Sempre que uma delas tem início aproveitamos para adquirir por preços muitas vezes irrisórios aqueles jogos que tanto queríamos e muitos outros que nem imaginávamos que um dia nos interessariam.

Contudo, com a atual promoção de fim de ano perto de acabar, cheguei a conclusão de que um temor de algumas pessoas da indústria pode estar se tornando realidade: Nós nos tornamos consumidores mal acostumados, e vou explicar o porque.

continue lendo

emComputadores Indústria

Começa o fim de ano do Steam!

Por em 20 de dezembro de 2012

dori_ste_20.12.12

Como muitos já deviam estar sabendo, começou hoje a tradicional promoção de final de ano do Steam, época que os jogadores de PC tanto aguardam e onde compramos uma grande quantidade de jogos pagando valores que muitas vezes chegam a ser inacreditáveis.

Quem já participou de outras promoções nos anos anteriores deve saber como funciona, com as ofertas principais sendo trocadas todos os dias as 16h (horário de Brasília) e novamente teremos alguns jogos que serão vendidos por preços bem menores apenas por algumas horas. Além disso, teremos ainda a possibilidade de votar nos jogos que ficarão mais baratos, ou seja, a chance de aquele título que você tanto queria sair com um belo desconto é grande.

Neste primeiro dia os grandes destaques são mesmo o Borderlands 2 por R$ 47,50 (com um pacote com quatro cópias saindo por R$ 145), o recém-lançado Hitman: Absolution por R$ 42,50 e o Scribblenauts Unlimited por R$ 33,50, que embora não esteja na descrição da página do jogo, está totalmente em português do Brasil. O interessante é que todos esses jogos foram lançados há pouco tempo e entre  as promoções mais curtas, vale a pena dar uma olhada na edição jogo do ano do Batman: Arkham City, por apenas R$ 12,50.

Portanto caros amigos, de hoje até o dia 5 de janeiro todos nós ficaremos de olho no que aparecer por lá e não custa lembrar, se algum game que você deseja não estiver entre os destaques do dia, é melhor esperar até a última hora pois mesmo com grande parte do catálogo estando com desconto, a economia poderá ser ainda maior se ele for um dos escolhidos, então, tenha um pouco de paciência e boas compras!

Ps.: Se você é usuário de Linux, saiba que agora a loja está disponível para todos, sem a necessidade de convites e o catálogo para o sistema operacional já conta com 39 títulos, quase todos com desconto.

emComputadores

GOG adiciona suporte ao Windows 8

Por em 27 de novembro de 2012

dori_gog_27.11.12

Na minha opinião o grande mérito do GOG, antes conhecido como Good Old Games, foi permitir que pudéssemos manter viva a história dos jogos eletrônicos, oferecendo títulos que marcaram época e cuja aquisição até o lançamento do serviço era um tanto trabalhosa.

Porém, muitas pessoas não se dão conta de um detalhe fundamental para que a loja fosse bem sucedida, que é o fato dos antigos games vendidos por ela serem adaptados para funcionar da melhor maneira possível nas versões mais recentes do Windows e com a chegada do 8, havia um certo temor de que títulos muitas vezes desenvolvidos até para o DOS não fossem compatíveis.

Então, para que todos fiquem um pouco mais tranquilos, o GOG anunciou que 431 jogos vendidos por eles passaram por testes, receberam correções e agora estão rodando perfeitamente no Windows 8. Isso significa 90% do catálogo da loja e uma notícia ainda melhor é que como em boa parte dos casos não precisou serem feitas mudanças, não teremos que baixar atualizações ou todo o instalador novamente.

O ideal é que você dê uma olhada na sua lista de aquisições no site e caso algum dos jogos tenha um mensagem mostrando que há uma atualização, realizar o download, mas pelo menos para mim, nenhum dos 21 games que possuo por lá indicam essa necessidade.

emComputadores Museu