Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Steam já conta com preços em reais

Por em 6 de novembro de 2012

dori_ste_06.11.12

Há praticamente um mês publicamos aqui a informação de que o Steam estava finalmente chegando ao Brasil e antes do que muitos poderiam imaginar, a partir de hoje o serviço de distribuição da Valve passa a cobrar em reais pelos jogos e se a simples possibilidade de pagarmos com cartão de crédito nacional ou boleto bancário já não fosse motivo suficiente para comemorarmos, agora temos certeza de que os preços estão, em muitos casos, melhores do que antes.

De acordo com o pessoal da Valve, o horário oficial para o sistema passar a funcionar seria a partir das 16h, mas como você pode ver, eles já estão realizando testes com a versão brasileira da loja, o que explica tanta lentidão nos servidores e alguns valores incorretos.

Por falar em preço, é extremamente gratificante ver um The Darkness II sendo vendido por R$ 75, enquanto que nos Estados Unidos eles pagam US$ 50 pelo mesmo jogo, ou então poder adquirir o Football Manager 2013 por R$ 60, sendo que antes da conversão o seu preço era de US$ 40. Porém, há de se dizer que nem todas as editoras aceitaram adaptar o preço de seus jogos para os brasileiros e por isso será cobrado R$ 120 pelo Dishonored, enquanto o Call of Duty: Black Ops II está em pré-venda por R$ 99 109 e ambos lá fora custam o mesmo US$ 60.

Enfim, considero esta uma excelente notícia para os gamers brasileiros que antes não podiam adquirir seus jogos pelo Steam por não terem um cartão de crédito internacional e acredito que a partir de hoje passaremos a ver uma grande a mudança no nosso mercado de games, já que outros serviços terão que se adaptar a este “novo” concorrente.

emComputadores Games

A morte dos manuais dos games

Por em 2 de novembro de 2012

dori_rdr_30.10.12

Aqui vai uma pergunta bem simples: Você costuma ler o manual de um game antes de começar a jogá-lo? Para muitas pessoas esses livrinhos não tem a menor importância e sem conseguir controlar a expectativa para começar aquele tão aguardado jogo, elas simplesmente os ignoram. Há no entanto aqueles que encaram a leitura de um manual como parte do ritual para se entrar no universo proposto por um game e se assim como eu, você se encontra neste segundo grupo, provavelmente deve estar lamentando a atrocidade que a indústria tem feito com os manuais.

Não é de hoje que algumas empresas tem feito trabalhos bem simples (para não dizer porcos mesmo) quando o assunto são os manuais, muitas vezes trazendo apenas uma ou duas folhas sem informações relevantes, isso quando se dão ao trabalho de incluí-los nos games. Só para citar um exemplo recente, ao abrir a caixa do Forza Horizon fui surpreendido ao perceber que dentro só havia o disco do jogo. Na hora pensei, “bom, deve ter uma versão digital do manual no game”, mas ao iniciá-lo… nada, apenas as típicas instruções iniciais.

Como ultimamente a inclusão de algum tipo de tutorial nos jogos é algo praticamente obrigatório, parece que as empresas chegaram à conclusão de que um manual é algo irrelevante, que ninguém se dá ao trabalho de ler, ideia que a inclusão digital ajudou a fortalecer. Apesar de serviços como o Steam e o GOG em muitos casos disponibilizarem versões digitais dos manuais daqueles jogos que distribuem, tenho a sensação de que eles são ainda mais ignorados do que as edições físicas.

continue lendo

emDestaque Indústria

Baixa velocidade da banda larga estaria impedindo evolução dos games

Por em 22 de outubro de 2012

dori_lond_22.10.12

O fim da atual geração de consoles está se aproximando e com ela uma reclamação que sempre vemos quando isso acontece, a de que as limitações técnicas dos videogames estão impedindo a criação de jogos melhores para PC. Há algum tempo o principal alvo das críticas é a baixa quantidade de memória RAM presente no Playstation 3 e Xbox 360, mas para Ian Livingstone, presidente da Eidos, o maior problema estaria mesmo na velocidade da banda larga.

Vocês estão nos travando em muitos aspectos. Nós temos que nos preocupar com a banda larga quando pensamos em jogos melhores,” disparou Livingstone contra as operadoras de telefonia durante o Broadband World Forum, realizado em Amsterdam durante a semana passada.

Segundo o executivo, embora a velocidade da banda larga tenha melhorado bastante em todo o planeta, o tamanho dos arquivos dos jogos tem aumentando numa taxa ainda maior e por isso obter um game digitalmente tem se tornado cada vez mais demorado. Logo, este seria o motivo pelo qual a distribuição online não tenha se tornado mais comum nos consoles e o porque da próxima geração ainda ter que contar com a venda de jogos em disco.

Por fim, ele pediu que as empresas entregam banda larga com uma capacidade maior do que a que precisamos atualmente e fez uma analogia ao sistema de esgoto de Londres no século 19, construído para suportar seis vezes o necessário para a época e que visava eliminar expansões futuras. Então ele disse: “construam canos maiores e tentaremos não enchê-los. ISPs, por favor não descansem sobre os louros.

Confesso nunca ter pensado desta maneira e a opinião me parece fazer sentido. Quanto a banda larga por aqui, desde que mudei para GVT não tenho muito o que reclamar. Até o momento a empresa tem entregado um bom serviço, com um preço que considero justo, mas como sei que em grande parte do Brasil isso não é realidade, tenho certeza que muita gente apoiará o protesto de Livingstone, não só clamando por velocidade, mas principalmente, por qualidade.

[via Opposable Thumbs]

emGames Indústria Internet

UOL anuncia nova publisher e parceria com a Valve no Brasil

Por em 9 de outubro de 2012

Dois grandes anúncios foram feitos pela UOL nesta semana, referentes ao aumento de sua atuação no mercado de jogos: o primeiro deles é a inauguração da Gamérica, uma distribuidora de jogos online, e a segunda e não menos importante, é a parceria entre o Boa Compra – empresa especializada em formas de pagamento online – com a gigante norte-americana Valve, criadora do Steam e atual líder do mercado de jogos digitais para computador.

Em uma linguagem mais usada por quem trabalha na área de jogos, a Gamérica será uma publisher. Isso significa que ela funcionará como um portal que dará acesso a diversos jogos. O primeiro título publicado pela empresa é o MMORPG Order of Magic, desenvolvido na Rússia.

Segundo o executivo-chefe da Gamérica, Anderson Abraços, serão investidos mais de R$ 1 milhão em ações de marketing para o lançamento do novo MMO, e até o final de 2013, a intenção é lançar mais cinco jogos que visam totalizar 8 milhões de usuários cadastrados – um número próximo ao total de clientes do Boa Compra.

continue lendo

emComputadores Indústria

Nuuvem tem semana das crianças com várias promoções

Por em 8 de outubro de 2012

dori_nuu_08.10.12

Aproveitando o dia das crianças, que acontecerá na próxima sexta-feira, o Nuuvem iniciou hoje uma semana onde vários jogos do seu catálogo serão vendidos com descontos generosos e apesar do tema, não se engane, pois pelo menos nessa leva inicial só tem games para marmanjos por lá.

Só para ter ideia do que você encontrará na loja virtual, basta citar o excelente Sleeping Dogs saindo por apenas R$ 40 (paguei quase o dobro disso e ainda assim o jogo está valendo cada centavo) ou o Dead Island por R$ 30, mesmo valor cobrado pelo Driver San Francisco e nos caso dos dois primeiros, é importante dizer que os games podem ser registrados no Steam.

No total são 18 títulos disponíveis nesse primeiro dia e ainda temos a opção de doarmos qualquer valor para a instituição Casa Ninho, sendo que acima de R$ 5 teremos direito a uma cópia do jogo Guy vs The Wicked and Nefarious Land.

Mais um ponto para o Nuuvem, que cada vez mais se torna uma ótima alternativa ao serviço da Valve.

emComputadores

E o Steam começa a vender aplicativos

Por em 3 de outubro de 2012

dori_ste_03.10.12

Em julho passado começou a circular pela internet um rumor dizendo que o Steam estaria se preparando para vender aplicativos. Ter a facilidade oferecida pelo serviço de distribuição digital da Valve também na hora de adquirirmos algum programa parecia um sonho que estava longe de se realizar, mas para surpresa de muitos, a nova seção dedicada à venda de software já está disponível.

Há de se dizer no entanto que a quantidade de programas nessa leva inicial não é muito grande, mas pelo menos eles estão oferecendo 10% de desconto até a próxima terça-feira (9/10) e na loja já podemos encontrar ferramentas para a edição de fotos, ilustrações, realização de testes de desempenho ou mesmo um kit para a criação de jogos.

Um detalhe interessante é que alguns dos programas aproveitam algumas funções oferecidas pelo Steamworks, como atualização automática, a possibilidade de salvarmos o trabalho na nuvem e acredite, até mesmo algumas conquistas, ou seja, tudo o que o serviço tem de melhor, fazendo com que o Steam tenha potencial para se tornar a loja ideal também para quem não está muito interessado em games.

Abaixo você confere os softwares que já estão disponíveis e a promessa é de que muitos outros sejam adicionados em breve.

continue lendo

emComputadores Miscelâneas

Lexis Numerique critica modelo de distribuição digital da Nintendo

Por em 28 de setembro de 2012

dori_red_27.09.12

Durante a geração passada e a atual a Nintendo foi duramente criticada por não oferecer um bom serviço online em seus consoles e com a chegada do Wii U se aproximando, muitos estão esperançosos em relação a como o aparelho estará conectado com o mundo. Porém, este não é caso do Djamil Kemal, diretor de desenvolvimento de marketing e negócios da Lexis Numerique. Ao ser questionado se a tela do controle do Wii U lhes interessa de um ponto de vista de criadores de adventures, Kemal não escondeu sua preocupação:

Teoricamente sim, mas para ser totalmente honesto, é difícil trabalhar em uma plataforma da Nintendo. Não devido a razões técnicas, mas sentimos que a Nintendo simplesmente não divulga o WiiWare e outros jogos vendidos digitalmente. Eles fazem jogos de grande porte como antigamente, mas se por exemplo você olhar para o que está acontecendo com o WiiWare no momento, verá que não há uma loja apropriada, tornando difícil checarmos os últimos lançamentos.

Para nós como desenvolvedores, precisamos saber que com o lançamento de um novo sistema a companhia irá promover fortemente os jogos digitais e o que temos visto com o WiiWare não nos faz pensar que a Nintendo fará isso.

Pois concordo plenamente com o executivo e acredito que se a Nintendo não investir pesado neste aspecto, o Wii U terá sérias dificuldades. Com o Xbox 360 e o Playstation 3 já tendo mostrado aos jogadores que adquirir games digitalmente pode ser um grande negócio, a BigN não pode se dar ao luxo de ignorar esses consumidores, mas como ter certeza que eles aprenderam a lição se o novo videogame virá com no máximo 32GB de espaço interno para armazenamento de conteúdo? Sim, poderemos utilizar um HD externo, mas isso está longe de ser uma solução ideal, não acha?

emNintendo