Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

O dia em que a Microsoft elogiou a PlayStation Network

Por em 3 de junho de 2013 - 5 Comentários

psn_03.06.13

Se tem uma coisa na indústria de games que podemos considerar incomum é vermos executivos elogiando outras empresas e por isso causou um certo espanto saber que Phil Spencer, vice-presidente da Microsoft Studios, reconheceu os méritos da Sony ao falar sobre a distribuição digital.

Estou muito orgulhoso do trabalho que fizemos digitalmente ao longos dos últimos três ou quatro anos no Xbox 360… Acho que a Sony tem feito um bom trabalho nesta área se você olhar para os últimos dois anos no espaço digital. O Journey é um jogo fantástico. Penso que eles fizeram um trabalho realmente bom e você sabe, como um gerente de portfólio, é meu trabalho descobrir no que você se focará.

Em relação ao futuro do Xbox One e os jogos independentes, o executivo afirmou que nem tudo o que for lançado para o videogame terá que se parecer com o Halo – o que é é ótimo, evidente – e garantiu que a plataforma estará preparada para receber os títulos de pequeno porte, reforçando assim o comentário feito recentemente por Don Mattrick.

Mas voltando ao elogio de Spencer à PSN, acho legal ver esse reconhecimento, principalmente quando ele não vem carregado de ironia ou qualquer tipo de provocação e por mais que alguns detratores do PlayStation 3 gostem de defender essa ideia, a rede do console possui algumas qualidades, especialmente quando se trata dos títulos exclusivos vendidos por lá.

Agora Sony, bem que vocês poderiam retribuir a gentileza, mas quer saber? Acho que isto nunca acontecerá.

[via Official Xbox Magazine]

emMicrosoft Sony

Após tentar Greenlight e conseguir editora, jogo não é aceito no Steam

Por em 3 de junho de 2013 - 3 Comentários

Uma das iniciativas da Valve que considero mais interessantes recentemente foi o Steam Greenlight, onde os jogadores escolhem quais jogos independentes serão vendidos na loja. Desde que entrou em funcionamento esse serviço permitiu que muita coisa que poderia ser ignorada fosse aprovada, mas como qualquer outro projeto este possui suas falhas e o último deles foi revelado pela Code Avarice.

Tudo começou quando o estúdio enviou o jogo Paranautical Activity para aprovação no Greenlight e não se sabe ao certo se numa tentativa de burlar o sistema ou apenas aproveitando uma oportunidade que apareceu, o eles assinaram um contrato com a editora Adult Swim, assim o título seria publicado mais rapidamente.

Pedido de publicação feito, dessa vez direto no Steam, e vejam só, a Valve decidiu negar a produção e a explicação pode ser vista abaixo, nas palavras do vice-presidente de marketing da proprietária do serviço de distribuição digital, Doug Lombardi:

Nós verificamos os votos no Greenlight, análises e uma variedade de fatores no processo do Greenlight. Contudo, nossa mensagem aos indies sobre as editoras é que façam isso por suas próprias razões, mas não dividam seus royalties com uma editora esperando um ‘Sim’ automático no Greenlight.

continue lendo

emComputadores

The Last of Us poderá ser jogado enquanto download ainda é feito

Por em 20 de maio de 2013 - 4 Comentários

the-last-of-us_20.05.13

Não há mais como negar que a distribuição digital é um ótimo negócio, tanto para as empresas quanto para os consumidores, mas se tem algo nesse tipo de comércio que pode ser bastante frustrante é ter que esperar horas, dias até que o download de um jogo seja terminado para que possamos aproveitá-lo.

Quando a Sony anunciou o PlayStation 4 eles revelaram que o console teria uma função muito interessante que nos permitirá jogar enquanto enquanto o game ainda estiver sendo baixado e de maneira até certo ponto surpreendente, a fabricante anunciou que o seu atual videogame fará algo parecido com um título que está pare ser lançado, o The Last of Us.

Sendo assim, a partir do dia 14 de junho aqueles que já tiverem baixado metade do jogo já poderão começar a aproveitá-lo e embora isso ainda não seja o ideal, ao menos serve para amenizar a ansiedade de conhecer a nova criação da Naughty Dog. O único ponto negativo é lembrar a terrível velocidade da rede do PS3 e perceber que talvez ainda tenhamos que esperar uns cinco meses até que esses 50% sejam baixados.

Não ficou claro no entanto se os jogadores poderão fazer o pré-carregamento antes da data do lançamento, algo que se não me engano já vi acontecer no PlayStation 3, mas de qualquer forma essa é mais uma inciativa da Sony que ajuda a fazer com que a distribuição digital seja uma ótima opção, já que há bastante tempo ela vem disponibilizando na PSN muitos jogos no mesmo dia em que eles chegam nas lojas físicas.

[via GameInformer]

emSony

EA divulga desempenho financeiro do último ano fiscal

Por em 9 de maio de 2013 - 1 Comentário

battlefield-3_08.05.13

Os relatórios financeiros anuais divulgados pelas empresas muitas vezes não chamam a atenção de alguns jogadores, mas eles podem ser muito importantes para sabermos como os games estão se saindo e principalmente, para termos uma noção dos próximos passos que as desenvolvedoras tomarão.

No dia 31 de março a EA encerrou o seu último ano fiscal e somente agora a companhia divulgou algumas informações sobre como suas franquias se saíram durante o período, com alguns números sendo bastante interessantes e um exemplo é o faturamento total, que alcançou US$ 3,797 bilhões, algo bastante impressionante, mas que representa uma diminuição significante em relação aos US$ 4,143 bilhões do ano anterior.

Em se tratando do desempenho dos jogos, a EA revelou que o FIFA 13 vendeu 14,5 milhões de cópias, um aumento de 30% quando comprado a versão anterior e em relação as vendas digitais desse título especificamente, o crescimento foi de incríveis 94%, rendendo à empresa mais de US$ 200 milhões, mas se levarmos em conta tudo o que envolve a franquia (FIFA Online e FIFA World Class Soccer), o rendimento chegou a US$ 350 milhões.

Já sobre o SimCity, apenas durante o mês de março o jogo vendeu 1,6 milhão de cópias, sendo que metade delas foram distribuídas digitalmente e Frank Gibeau, presidente da EA Labels disse que eles aprenderam a lição com o lançamento do jogo, garantindo que algo assim não se repetirá.

Outros títulos que tiveram boas vendas foram o The Simpsons: Tapped Out, que gerou mais de US$ 50 milhões aos cofres da EA desde a sua disponibilização e o Battlefield 3, que graças ao serviço Premium gerou apenas no último trimestre mais de US$ 120 milhões.

Isso posto, a EA espera anunciar em breve quem assumirá o cargo de CEO da empresa, assim como a nova engine que será utilizada em sua linha de jogos esportivos, o que deverá acontecer durante a próxima E3. Por fim, foi revelado que a BioWare já está trabalhando num novo jogo baseado na franquia Guerra nas Estrelas (que seja o Knights of the Old Republic, por favor!), ou seja, se depender da Electronic Arts, o ano fiscal recém iniciado deverá ser bastante movimentado.

emIndústria

Nova versão do Origin ganha suporte a conquistas

Por em 9 de maio de 2013 - 7 Comentários

origin_09.05.13

Quem possui alguns jogos no Origin e estava esperando algumas novidades para o sistema de distribuição digital da EA  ganhou alguns motivos para sorrir depois da última atualização, mas primeiro é importante dizer que tais mudanças só aparecerão para aqueles que optaram por utilizar a versão beta do programa, para o resto dos usuários, será preciso esperar algumas semanas até que as novas funções sejam liberadas.

A alteração mais simples é sem dúvida a reformulação na página de configurações do Origin, algo que não será responsável por alterar a cotação do dólar, já para quem esperava conquistas no serviço, finalmente eles começaram a ser suportados. A parte ruim é que apenas três jogos contarão com a função por enquanto, Dead Space 3, Battlefield 3 e Mass Effect 3 e como não possuo nenhum deles no PC, não pude ver se estão realmente funcionando.

Outra melhoria foi feita na parte de transmissão de partidas pelo Twitch, já que o Origin pode passar a armazenar automaticamente as gravações e quem possui um sistema 64 bits deverá ver a inicialização dos alguns jogos acontecer de forma mais rápida, já que programa aproveitará melhor o poderio dos computadores com esta característica.

Ok, eu imagino que nenhuma dessas atualizações serão responsáveis por fazer o programa cair no gosto da maioria dos jogadores, mas não deixa de ser bom ver que a EA está tentando melhorá-lo, mesmo que seja numa velocidade bem abaixo do ideal. A minha pergunta para quem não gosta do Ogirin é: O que você gostaria de ver nele que o faria mudar de opinião em relação ao serviço?

emComputadores

A Nintendo descobriu a distribuição digital – Parte 2

Por em 3 de maio de 2013 - 6 Comentários

wii-u_02.05.13

Em setembro de 2003, portanto há quase 10 anos, uma desenvolvedora de games relativamente pequena lançou um programa que representaria uma das maiores revoluções da indústria de games, o Steam. De lá para cá o serviço se tornou sinônimo de distribuição digital e logo as fabricantes de consoles perceberam que poderiam aumentar as vendas adotando a mesma tática. Quer dizer, pelo menos a Sony e a Microsoft.

A Nintendo por sua vez teve que esperar até que os sucessores do Wii e do DS fossem lançados para entrar na dança e depois de constatarem que há um enorme interesse por parte dos jogadores em adquirir games com o simples apertar de um botão, um discurso feito pelo presidente Satoru Iwata durante uma reunião para investidores chega até a ser engraçado.

Nós já estamos vendo mudanças que seriam inconcebíveis, digamos, há cerca de uma década. Em consideração ao fato mostrado na minha apresentação que diz que uma vez que as pessoas escolham a versão por download, elas tendem a escolher outra compra digital na próxima vez que adquirirem um jogo, eu ainda sinto que a proporção de compras digitais mudará dramaticamente num período de dois ou três anos.

… Nós poderemos ver mais jogos que sejam similares aos Free-to-Play, jogos que custem muito menos ou que exijam o pagamento de mensalidades.  As vendas digitais permitem uma grande flexibilidade, oferecendo mais formas de pagamento e assim tanto os desenvolvedores quanto os consumidores possuem mais opções.

Iwata garantiu então que o 3DS e o Wii U estão preparados para essa tendência e que a Nintendo oferecerá maneiras que vão além de simplesmente substituir o modelo tradicional pela distribuição digital, deixando claro que em breve eles esperam permitir que os pagamentos no console possam ser feitos com crédito obtido através de cartões pré-pagos.

Mas o pior de tudo talvez tenha sido ouví-lo dizer que os donos de um Wii U estão começando a entender as vantagens de ter um videogame que esteja ligado à televisão e conectado à internet, algo que pelo jeito é uma grande novidade. Só estou achando estranho termos voltado à 2004, 2005 e ninguém ter me avisado.

[via VG247]

emNintendo

Vejam só, a Nintendo descobriu a distribuição digital!

Por em 22 de abril de 2013 - 6 Comentários

fire-emblem-awakening_22.04.13

A Nintendo pode até se orgulhar de ser uma das empresas que mais inovou na indústria de games, porém, não podemos esquecer que ela também demorou séculos para aderir a algumas tecnologias que se tornaram quase obrigatórias, como as imagens em alta definição e uma rede online mais robusta.

Sobre esse segundo aspecto quem falou foi Reggie Fils-Aime, presidente da divisão norte-americana da fabricante e segundo ele, a distribuição digital tem sido muito importante para melhorar as vendas de jogos para o 3DS.

Temos 15 títulos publicados pela Nintendo, tanto física quanto digitalmente. Até agora em 2013, desses 15 jogos disponíveis nesse formato, 11% das vendas vieram da distribuição digital.

Mas se o número pode não ser muito impactante, ele chama a atenção quando se trata de games distribuídos por outras empresas específicos, como é o caso do Fire Emblem Awakening. De acordo com o executivo, o jogo teria vendido 240 mil cópias, sendo que dessas, 80 mil foram pela loja virtual do portátil, portanto estamos falando de um terço das vendas.

Outro dado revelado por Fils-Aime diz respeito ao aumento das vendas, que em relação ao ano passado foi de 55% e para aqueles que por muito tempo apostaram no fracasso do 3DS, saiba que nos dois primeiros anos de vida nos Estados Unidos o aparelho já vendeu oito milhões de unidades, um milhão a mais que o seu antecessor. Já os seus jogos já ultrapassaram 20 milhões de cópias no país, sendo que aí estão computadas apenas as vendas físicas.

E para provar que a empresa está mesmo adorando essa “novidade” chamada distribuição digital, eles se orgulharam do fato de que 67% dos donos de um 3DS terem seus portáteis conectados e de boa parte deles terem encontrado algo interessante no eShop, o que significa 41 milhões de itens baixado na lojinha.

Por tudo isso podemos imaginar que nos próximos meses a BigN tentará reforçar ainda mais esse tipo de comércio e é como dizem, antes tarde do que nunca.

[via GamesIndustry]

emNintendo Portáteis